HABITACAO SUSTENTAVEL

  • View
    219

  • Download
    3

Embed Size (px)

DESCRIPTION

HABITACAO SUSTENTAVEL

Text of HABITACAO SUSTENTAVEL

  • HA

    BITA

    O S

    UST

    ENT

    VEL

    Cade

    rnos

    de

    Educ

    ao

    Am

    bien

    tal

    9

    Cadernos de Educao Ambiental

    H A B I T A OSUSTENTVEL

    GOVERNO DO ESTADO DE SO PAULOSECRETARIA DO MEIO AMBIENTE

    COORDENADORIA DE PLANEJAMENTO AMBIENTAL

    935539002_1 capa.indd 1 8/4/2011 17:08:05

  • Cadernos de Educao Ambiental

    9H A B I T A oS U S T E N TV E L

    Autores Christiane Aparecida Hatsumi Tajiri

    Denize Coelho CavalcantiJoo Luiz Potenza

    GOVERNO DO ESTADO DE SO PAULOSECRETARIA DO MEIO AMBIENTE

    COORDENADORIA DE PLANE JAMENTO AMBIENTALS O PAU LO 2 0 1 1

    35539002_1 miolo.indd 1 4/8/11 4:28 PM

  • S24h So Paulo (Estado) Secretaria do Meio Ambiente / Coordenadoria de Planejamento Ambiental. Habitao Sustentvel. Tajiri, Christiane, Aparecida Hatsumi; Cavalcanti,

    Denize Coelho; Potenza, Joo Luiz. So Paulo : SMA/CPLA, 2011. 120 p. : 15,5 x 22,3 cm (Cadernos de Educao Ambiental, 9)

    Bibliografia ISBN 978-85-86624-87-2

    1. Habitao Sustentvel 2. Eficincia Energtica 3. gua - Seleo de Materiais I.Tajiri, Christiane, Aparecida Hatsumi, II. Cavalcanti, Denize Coelho, III. Potenza, Joo Luiz IV. So Paulo (Est.) Secretaria do Meio Ambiente V. Ttulo. VI. Srie.

    CDU 349.6

    Biblioteca Centro de Referncias de Educao Ambiental

    35539002_1 miolo.indd 2 4/8/11 4:28 PM

  • Governo do estado de so Paulo Governador

    secretaria do Meio aMbiente Secretrio

    coordenadoria de PlanejaMento aMbiental Coordenadora

    Geraldo Alckmin

    Bruno Covas

    Nerea Massini

    35539002_1 miolo.indd 3 4/8/11 4:28 PM

  • 35539002_1 miolo.indd 4 4/8/11 4:28 PM

  • Sobre a Srie Cadernos Ambientais

    A sociedade brasileira, crescentemente preocupada com as questes ecol-gicas, merece ser mais bem informada sobre a agenda ambiental. Afinal, o direito informao pertence ao ncleo da democracia. Conhecimento poder.

    Cresce, assim, a importncia da educao ambiental. A construo do ama-

    nh exige novas atitudes da cidadania, embasadas nos ensinamentos da ecologia

    e do desenvolvimento sustentvel. Com certeza, a melhor pedagogia se aplica s

    crianas, construtoras do futuro.

    A Secretaria do Meio Ambiente do Estado de So Paulo, preocupada em

    transmitir, de forma adequada, os conhecimentos adquiridos na labuta sobre a

    agenda ambiental, cria essa inovadora srie de publicaes intitulada Cadernos

    de Educao Ambiental. A linguagem escolhida, bem como o formato apresen-

    tado, visa atingir um pblico formado principalmente por professores de ensino

    fundamental e mdio, ou seja, educadores de crianas e jovens.

    Os Cadernos de Educao Ambiental, em face da sua proposta pedaggica,

    certamente vo interessar ao pblico mais amplo, formado por tcnicos, militan-

    tes ambientalistas, comunicadores e divulgadores, interessados na temtica do

    meio ambiente. Seus ttulos pretendem ser referncias de informao, sempre

    precisas e didticas.

    Os produtores de contedo so tcnicos, especialistas, pesquisadores e

    gerentes dos rgos vinculados Secretaria Estadual do Meio Ambiente. Os

    Cadernos de Educao Ambiental representam uma proposta educadora, uma

    ferramenta facilitadora, nessa difcil caminhada rumo sociedade sustentvel.

    35539002_1 miolo.indd 5 4/8/11 4:28 PM

  • Ttulos Publicados

    As guas subterrneas do Estado de So Paulo Ecocidado Unidades de Conservao da Natureza Biodiversidade Ecoturismo Resduos slidos Habitao sustentvel

    35539002_1 miolo.indd 6 4/8/11 4:28 PM

  • Apresentao do Secretrio

    O setor de construo civil responsvel pelo consumo de aproxima-damente 40% dos recursos naturais e contribui com um tero das emisses de gases do efeito estufa. Portanto, a adoo de novas tecno-

    logias na construo ou reformas de habitaes minimizam e evitam os

    grandes impactos ambientais.

    A adoo de uma habitao mais sustentvel traz uma srie de benef-

    cios, como a minimizao do uso de recursos naturais e da gerao de polui-

    o, o desenvolvimento da economia local e a formalidade nas relaes de

    trabalho, alm do aumento da eficincia no uso de recursos financeiros na

    construo e valorizao do imvel pelo mercado.

    Outro ponto relevante abordado na publicao a questo da escolha

    do terreno. muito importante que o morador antes da aquisio do terreno

    ou da casa, verifique se a mesma no est localizada em reas de preserva-

    o permanente, reas contaminadas e em reas com potencial a enchentes,

    risco, hoje, to comum nas grandes cidades.

    Iniciativas socioambientais adotadas na construo e reforma de uma

    habitao so fundamentais para garantir o avano econmico com a har-

    monia da natureza.

    Bruno CovasSecretrio de Estado do Meio Ambiente

    35539002_1 miolo.indd 7 4/8/11 4:28 PM

  • 35539002_1 miolo.indd 8 4/8/11 4:28 PM

  • SUMRIO01.Introduo1102.EstadoatualdaConstruoCivil1503.OqueSustentabilidade?1904.CuidadosNecessriosaoAdquirirumImvel2305.OQueumaHabitaoSustentvel?2906.EficinciaEnergtica3307.Conservaodagua47 08.SeleodeMateriais5909.ConfortoTrmico75 10.AcessibilidadeDesenhoUniversal8311.EstudosdeCasos87 12.AvaliaodeSustentabilidade(Certificao)97 13.PolticasPblicasConstruesSustentveis101

    Glossrio105

    Referncias Bibliogrficas109

    35539002_1 miolo.indd 9 4/8/11 4:28 PM

  • 35539002_1 miolo.indd 10 4/8/11 4:28 PM

  • Introduo

    135539002_1 miolo.indd 11 4/8/11 4:28 PM

  • CAdERno dE EduCAo AmBIEntAl haBitao sustentvel12

    1. Introduo

    A s alteraes climticas observadas nos ltimos tempos representam um divisor de guas no setor da construo civil. Estudos demonstram, de forma inquestionvel, a dimenso dos impactos ambientais decorrentes

    dessa atividade; favorecendo, assim, a busca por formas alternativas de cons-

    truo.

    Grande parte da mudana pode ser verificada no universo das construes

    voltadas para a habitao, setor que vem despontando como um dos mais aptos

    a promover a economia de baixo carbono, to em voga no discurso de governos

    e empresas e cujo objetivo consiste em fornecer, ao consumidor, alternativas

    com potencial cada vez menor de emisses de gases de efeito estufa e gerao

    de poluentes, iniciando um processo de mudana cultural, no que diz respeito s

    formas de se habitar um imvel.

    A conjugao de melhor desempenho com maior competitividade s pos-

    svel a partir de mudanas de natureza tecnolgica e gerencial. necessrio lem-

    brar que, enquanto o pilar econmico condio essencial para o surgimento de

    uma empresa, os pilares social e ambiental so responsveis por seu crescimento

    e perenidade. A sociedade vem cada vez mais exigindo uma gesto responsvel

    e competitiva por parte das empresas, de forma que responsabilidade e com-

    petitividade devem corresponder a aes complementares e no excludentes.

    As respostas para as demandas relacionadas legislao, opinio pblica

    e aos problemas globais dentre os quais a degradao dos recursos naturais,

    as mudanas climticas, a pobreza e a corrupo podem ser concebidas de

    diferentes formas por parte dos gestores, tanto de empresas quanto dos gover-

    nos, sendo a pior opo no fazer nada, pois isso resulta em perda de tempo, de

    mercado e, consequentemente, de dinheiro.

    Assim, diante das novas demandas por parte do consumidor, cada vez mais

    interessado em propostas que contemplem critrios de sustentabilidade, o se-

    tor da construo se v forado a investir em pesquisa e desenvolvimento de

    35539002_1 miolo.indd 12 4/8/11 4:28 PM

  • 131. IntRoduo

    tecnologias verdes, criando uma saudvel competio entre as empresas, que

    impactam diretamente o meio ambiente.

    Nesse sentido, o escopo do presente trabalho consiste em demonstrar aos

    consumidores que existem diversas formas de se habitar, sem que isso contribua

    de forma significativa para o esgotamento dos recursos naturais, sem os quais a

    vida no planeta se tornar impossvel.

    35539002_1 miolo.indd 13 4/8/11 4:28 PM

  • 35539002_1 miolo.indd 14 4/8/11 4:28 PM

  • Estado Atual da Construo Civil

    235539002_1 miolo.indd 15 4/8/11 4:28 PM

  • CAdERno dE EduCAo AmBIEntAl haBitao sustentvel16

    2. Estado Atual da Construo Civil

    A construo civil brasileira consome atualmente algo em torno de 40% dos recursos naturais extrados e responsvel pela gerao de, apro-ximadamente, 60% de todo o resduo slido urbano, alm de utilizar madeira

    em larga escala, sendo esta, muitas vezes, extrada de mata nativa, sem a

    observncia de critrios tcnicos e legais.

    Apesar do surgimento de diversas iniciativas voltadas incluso de critrios

    sociais e ambientais no setor da construo civil, dentre os quais a certificao de

    origem dos recursos, verifica-se que os mecanismos propostos para a adequao

    dos processos ainda vm sendo utilizados de forma incipiente.

    A efetivao dos sistemas de certificao , na maioria das vezes, prejudi-

    cada por fatores como falta de incentivo por parte dos governos, resistncias a

    mudanas de atitude e falta de interesse do consumidor em adquirir, na prtica,

    produtos e servios com certificao, que, nos dias de hoje, apresentam valor

    superior s alternativas comuns disponveis no mercado.

    possvel constatar, ainda, que a dificuldade de implementar a cultura da

    certificao e da considerao de critrios socioambientais em empreendimen-

    tos decorre, muitas vezes, da abordagem inadequ