O SETOR FLORESTAL SECULO XXI - ainfo.· » Programa de Apoio ao Fortalecimento da Capacidade de Geração

  • View
    213

  • Download
    0

Embed Size (px)

Text of O SETOR FLORESTAL SECULO XXI - ainfo.· » Programa de Apoio ao Fortalecimento da Capacidade de...

  • O SETOR FLORESTALSCULO XXI

  • PONTOS FORTES

  • AMBIENTAIS

  • Maior rea florestal do mundo com 477 milhes de ha Estoque de carbono nas florestas da ordem de 50 bilhes de t C 150 milhes de ha com terras indgenas e UCs 15 milhes de hectares de Florestas Nacionais. Entre 2004 e 2007 foram criados 40 milhes de ha de Unidades de

    Conservao Conserva uma enorme diversidade biolgica 2,6 milhes de hectares de florestas nativas, inseridas nos

    reflorestamentos; Cerca de 50 % da rea com PFCRC certificadas Possui uma grande rede de ONGs ambientalistas Setor mais adequado a legislao APP e RL Recursos naturais favorveis

  • SOCIOECONMICOS

  • Amaznia: 1/3 das florestas tropicais (300 milhes de ha de florestas densas e 140 de abertas); 14 bilhes de metros cbicos de reserva madeireiras; 30% do estoque de madeira da terra

    6,4 milhes de hectares de PF sendo 4,8 milhes com florestas de produo de Pinus e Eucaliptos

    1,6 milho de empregos diretos

    5,6 milhes de empregos indiretos

    Receita anual de R$ 56 bilhes;

    Com 5% da rea de pecuria produziu equivalente valor de exportaes US$ 8,6 bilhes em 2006

    Nas associadas da ABRAF em 2006 o fomento florestal foi de 320 mil ha ou 13% da rea prpria

  • Contribui com cerca de 5% na formao do PIB Nacional e com 8% das nossas exportaes;

    As grandes empresas so modernas e praticam o planejamento estratgico

    Elevadas taxas de crescimento de plantaes florestais comerciais

    50% de nossas PFCRC sob regime de certiticao

    Temos a melhor ou uma das melhores silvicultura do mundo

    50 Cursos de engenharia florestal 2.500 profissionais

    17 cursos de pos-graduao

    Recolhe anualmente R$ 9,2 bilhes de impostos;

  • POLITICOS

  • Crescimento das politicas ambientais

    Criao da Cmara Tcnica da Madeira no MAPA

    Criao do Servio Florestal Brasileiro

    Forum de Competitividade da Cadeia Madeira e Mveis no MDIC Criao do Centro Nacional de Apoio ao Manejo Florestal CENAFLOR

    Programa de Formao de Agentes Multiplicadores de Assistncia Tcnica Florestal aos Agricultores Familiares nos biomas Mata Atlntica, Caatinga, Cerrado e Amaznia-MMA/PN

  • OPORTUNIDADES

  • AMBIENTAIS

  • O reconhecimento cientfico do papel de florestas na manuteno de processos e mecanismos ecolgicos

    Estabelecimento da Conveno marco das Naes Unidas sobre mudanas climticas

    Estabelecimento da Conveno das Naes Unidas na luta contra a desertificao

    Estabelecimento do convnio sobre diversidade biolgica

    O estabelecimento do Frum das Naes Unidas para Florestas-UNFF

    Problemas climticos na regio sul comprometendo a produo de gros e incentivando o uso de espcies arbreas em especial as florestais

    As demandas associadas ao cumprimento da legislao florestal (recomposio 1 milho de ha de RL s na FOM)

    Necessidade de desenvolver a Amaznia de modo sustentvel

  • POLTICAS

  • Inicio de entendimento por parte da sociedade, de que uma PFC semelhante a qualquer atividade agropecuaria

    Estabelecimento de Programas Estaduais para Plantaes Comerciais

    Reformulao da forma de gesto das Florestas Nacionais

    Plano de Revitalizao da Bacia do Rio So Francisco Criao dos Distritos Florestais Sustentveis Criao do Instituto Chico Mendes Criao do Inventrio Florestal Criao do Servio Florestal Brasileiro Criao do Fundo Florestal Lei da inovao

  • SOCIOECONMICAS

  • A disponibilizao de Zoneamentos Ecolgicos-Econmicos de estados e de reas estratgicas

    As oportunidades associadas valorao, certificao e dos servios ambientais

    A possibilidade da criao de arranjos multi-atores, associados atividade florestal

    Parcerias pblico-privadas Arranjos Produtivos Locais Condomnios municipais Clusters

    As oportunidades de fomento a atividades florestais para pequenos e mdios produtores

    Fomento empresarial Programas estaduais Reforma agrria

  • As demandas associadas ao cumprimento da legislao florestal (recomposio de reas de RLs)

    Uso de mecanismos de crdito de carbono para melhoria da viabilidade de projetos florestais

    As oportunidades de atividades florestais, associadas ao Plano Nacional de Agroenergia

    Cogerao Etanol Biodiesel Energia em comunidades isoladas

    Ampliao de produtores familiares na atividade florestal

  • PONTOS FRACOS

  • AMBIENTAIS

  • Desmatamento ilegal Uso predatrio do fogo sobre a vegetao nativa

    e secundria Um elevado passivo ambiental - APP e RL Poucas pesquisas bsicas sobre substituio de

    florestas naturais por PFRC Grande desperdcio na explorao de florestas

    naturais Poucos pesquisadores em manejo de florestas

    naturais

  • SOCIOECONMICOS

  • Baixa participao do setor de base florestal brasileiro no comrcio internacional

    Falta de espcies nativas para explorao comercial com silvicultura conhecida;

    Manejo florestal inadequado para tirar uma rvore danifica-se quase 20 outras

    Baixo rendimento das indstrias de serrados. 30% de aproveitamento da tora

  • Baixa agregao de valor madeira explorada; especialmente na Amaznia

    Baixa profissionalizao do pequeno e mdio produtor florestal;

    Informaes deficitrias sobre manejo florestal comunitrio

    Falta de dados confiveis para planejamento do setor

    Sistema de transferncia de tecnologia muito fraco

  • POLITICOS

  • Falta de um Frum de Instituies de Pesquisa Florestal para maior Integrao Universidade-Empresa para manuteno da competitividade nos mercados internacionais;

    Falta de planejamento estratgico do setor, considerando o ordenamento florestal e um Plano Plurianual de metas.

    Ausncia de mecanismos inovadores de financiamento e de incentivo atividade florestal;

    Insuficiente restrio para a exportao de produtos sem valor agregado

  • Poucos incentivos financeiros para o setor

    BNDES

    Propflora

    Pronaf Florestal

    Fundos setoriais

    Morosidade do Poder Legislativo

    Pouca participao polticas

    Pouca articulao

  • AMEAAS

  • AMBIENTAIS

  • Desmatamento ilegal e queimadas Falta de experincia da pesquisa em manejo que

    tem apenas 30 anos Presso sobre biomas para produo de carvo

    vegetal Avidez de grandes grupos madeireiros

    internacionais Explorao desordenada das riquezas florestais Movimentos ecolgicos X Movimentos

    produtivistas

  • SOCIOECONMICAS

  • Substituio de produtos de madeira slida por no madeireiros

    Limitaes em investimento em logstica aplicada Riscos inerentes atividade

    Maioria dos produtos Commodities Custo unitrio de produo Eficincia Escala

    Disputa pela matria-prima Elevado capital investido Mercados fragmentados Competio intensa

    Competidores frica China

  • POLITICAS

  • Regulao excessiva por presses externas ao governo

    Poltica competitiva de estados concorrentes Barreiras tarifrias e no tarifrias Imagem junto sociedade

    Desmatamento Mudanas climticas

  • COMO DEVEREMOS ATUAR

  • ESTRATEGICAMENTE

  • Promovendo a marca madeira Brasil no mercado internacional

    Entendendo que h um cenrio novo que considera

    A floresta est saindo do pblico para o privado Crescimento da demanda devido aos BRIC Democracia e transparncia Nova gerao de produtos Floresta de investimentos Uso mltiplo da Floresta Gesto compartilhada Mudanas climticas Servios ambientais Florestas Sociais

    Trabalhando inovaes portadoras de futuro

  • Estabelecendo um modelo de longo prazo Do ponto de vista econmic

    Acompanhamento de mudanas estruturais Novos mecanismos de fiananciamento Polticas de alcance socioambiental Proteo a propriedade privada Menor contedo de regulao Incorporao da mo-de-obra Estatsticas confiveis Melhoria na logstica

    Do ponto de vista do mercado Produto igual ou melhor ao dos concorrentes Boa logstica de entrega Custo unitrio competitivo

    Do ponto de vista poltico Impactante para a economia Impactante para a sociedade

  • Incorporando a inovao no setor Melhorando a posio no agronegcio Gerando mais Impostos Exportando mais

    Estabelecendo polos florestais Valorizando a floresta em p

  • ECONOMICAMENTE

  • Implementando os distritos florestais sustentveis

    Madeira de alto valor agregado integrao lavoura, pecuria e floresta industrializao de produtos florestais Aproveitamento de resduos para energia Biorefino

    Sistemas sustentveis Manejo de uso mltiplo de florestas naturais arranjos agroflorestais

    Muitos empregos

    Modernizando as indstrias de base florestal Produo de laminados Produo de mveis Papel e celulose Serrarias

  • Produzindo energia de biomassa florestal Melhorando a logstica de distribuio Melhorando a qualidade dos produtos Acessando fundos governamentais

    Fundos Constitucionais de Financiamento - FCO, FNE e FNO

    Fundo Nacional de Desenvolvimento Florestal Fundo de Desenvolvimento do Nordeste FDNE Fundo de Desenvolvimento da Amaznia FDA Fundo Nacional de Assistncia Social FNAS Fundo Nacional de Desenvolvimento - FND Fundo Nacional do Meio Ambiente FNMA Fundo de Amparo ao Trabalhador FAT

  • AMBIENTALMENTE

  • Definindo de uma vez por todas as reas de Proteo nos diferentes biomas

    Promovendo o manejo de recuperao de florestas altamente antropizadas

    Promovendo o zoneamento de risco climtico para plantaes florestais

    Atendento a legislao, especialmente, em relao a APP e RL Criando mecanismos que diminuam o desmatamento