of 24/24
Opinião Saúde Segurança Turismo Cidade Educação Entrevista Cultura Motoristas precisam estar atentos às alterações Cidade 7 Lages começa a fazer mudanças no trânsito Projeto da fábrica está pronto para implantação Economia 8 Sinotruk mais próxima da instalação Reunião define novas propostas para o turismo Geral 13 Turismo avança no campo do planejamento Lages, Sexta-feira 14 de Fevereiro de 2014 R$ 2,00 Ano 04 - Edição 117 Central a serviçodavigilância Central Regional de Emergência mantém completo monitoramento sob todos os ângulos. O sistema funciona 24 horas. Pág. | 03 Paulo Chagas atrase seu relógio em uma hora, à meia-noite, deste sábado, dia 15. Horário de Verão:

Vitrine Lageana 117

  • View
    226

  • Download
    4

Embed Size (px)

DESCRIPTION

 

Text of Vitrine Lageana 117

  • VITRINE LAGEANA - LAGEs, SEXTA-FEIRA 14 dE FEVEREIRO de 2014Opinio SadeSegurana Turismo CidadeEducaoEntrevista Cultura

    Motoristas precisam estar atentos s alteraes

    Cidade 7

    Lages comea a fazer mudanas

    no trnsito

    Projeto da fbrica est pronto para implantao

    Economia 8

    Sinotruk mais prxima da instalao

    Reunio define novas propostas para o turismo

    Geral 13

    Turismo avana no campo do planejamento

    Lages, Sexta-feira 14 de Fevereiro de 2014R$ 2,00

    Ano 04 - Edio 117

    Central a servio da vigilncia Central Regional de Emergncia mantm completo monitoramento sob todos os ngulos. O sistema funciona 24 horas. Pg. | 03

    Paulo C

    hagas

    atrase seu relgio em uma hora, meia-noite, deste sbado, dia 15.

    Horrio de Vero:

  • VITRINE LAGEANA - LAGEs, SEXTA-FEIRA 14 dE FEVEREIRO de 2014Salrio e distribuio de rendaO relatrio que o PNUD (Programa das Naes Unidas para o Desen-volvimento) divulgou no ltimo dia 29, traz revelaes inquietantes a respeito da distribuio de renda, mostrando com nmeros insuspeitos, que o mundo nunca esteve to rico, mas que a riqueza nunca esteve to mal distribuda como hoje.No seu recente livro O Futuro, Al Gore mostra como se processam

    os fluxos financeiros na rede mundial que ele chama de Terra S/A. A velocidade eletrnica com que o dinheiro viaja pelos

    cinco continentes criou um cenrio de acelerao dessa concentrao. A distribuio da riqueza mundial sempre foi muito injusta, mas essa injustia cresceu sobremaneira depois da Segunda Guerra Mundial. Esse desequil-brio aumentou nos pases em desenvolvi-mento, a uma taxa de 11%, entre 1990 e 2010. Dentre esses, o Brasil foi um dos poucos que conseguiu reduzi-lo, fazendo a desigualdade cair de 54,2% para 45,9%, de acordo com o ndice GINI, que mede a concentrao de renda. A razo fun-

    damental para essa melhoria da renda dos brasileiros foi a poltica salarial. Em apenas oito anos (entre 2003 e 2010), o valor do salrio mnimo aumentou 80%.Eu sempre tive convico de que o melhor instrumento para reduzir as desigualdades sociais a elevao dos ganhos dos assalariados. Por isso, enviei Assembleia Legislativa e san-cionei o projeto de lei que instituiu o salrio mnimo regional, em vigor no Estado de Santa Catarina.

    No Senado, empenhei-me na aprovao do projeto em que a presidente Dilma Roussef criou a nova metodologia que permitiu a automtica majorao do salrio mnimos dos trab-alhadores, norma que vem contribuindo para a melhoria da renda dos assalariad-os. Porque, repito, a roda que move a mais justa distribuio de renda o salrio.Luiz Henrique da Silveira

    Senador da Repblica

    Nossa Opinio

    O Brasil vive momentos antagnicos e abissais. A democracia, importante para a difuso das ideias em um pas livre, no pode ser confundida com baderna. Os manifestos que levam as diversas justi-ficativas para acontecerem nos grandes centros do pas, apresentam contornos de pura selvageria. Grupos extremos infiltrados ao que deveriam ser protestos pacficos, contabili-zam prejuzos diretamente a pessoas de bem, que tm suas lojas depredadas ou carros incendiados, e pior, causam a morte de annimos que sequer sabem o que lhes atingiu.O uso de artefatos que representa perigo vida provm de pessoas que no esto apenas interessadas em construir um pas melhor ou simplesmente protestar contra o aumento de passagens de nibus urbanos. Mas sim, de

    uma escria obstinada a causar danos e medo. gente que se julga acima da lei, e que desafia a ordem, por causas duvidosas. No caso da morte do cinegraf-ista da Rede Bandeirantes de Televiso, Santiago Andrade, atingido na cabea por um artefato que lhe foi mortal. E depois, em rede social, um dos grupos de manifestantes, de-nominado Black Block, diz que lamenta a morte do profission-al. Um lamento vil, demagogo. Pois, no mesmo manifesto j convoca os militantes para novos confrontos.No h contrariedade realizao de manifes-tos. Afinal, uma das poucas armas que a sociedade ainda tem para demonstrar seus descontentamentos. Mas, pre-ciso lembrar, que nestes atos, quase sempre violentos, a vida se perde, e com ela o sentido das causas pelas quais lutamos.

    Morte em manifesto

    Grimpa

    A ousadia de ladres resultou num assalto ao Museu Thiago de Castro, em pleno Centro da cidade. Obviamente, os gatunos sabiam muito bem o que queriam, ou seja, as armas antigas. Logicamente devem ter estudado minuciosa-mente a maneira pela qual, poderiam entrar e consumarem o intento. Por outro lado, inconcebvel a falta de um sistema de segurana adequando, e se tem, por que no estava ativado? Coisas assim nos levam a pensar que o descuido foi ponto predominante no arrombamento seguido de roubo, ou no...Assaltoao Museu

    A cidade de Lages bem que poderia j ter sido contemplada com um projeto moderno de recolhimento do lixo. Pelo menos, no Centro. Contain-ers esto sendo usados nas mais di-versas cidades brasileiras, facilitando o condicionamento dos materiais, em espaos distintos, para o depsito dos orgnicos e os reciclveis. No entanto, a soluo, e tomara que seja temporria, foi a instalao de cestes de ferro. A medida paliativa. Ladres j conseguiram at roubar as tampas para vender o ferro. Ser que um dia Lages poder contar com os containers?

    !

    ...

    Obrasdo Aeroporto ?Futurodo LixoAfinal de contas, de quem a responsabilidade pela construo do aeroporto em Correia Pinto? Uma obra que se arrasta por mais de uma dcada e que obteve investimentos de mais de R$ 25 milhes. No se concebe realmente que exista tamanha falta de competncia. Porm, o problema que, alm da finalizao da obra no andar, no h sequer a perspectiva de quando o aeroporto vai entrar em operao. Uma lstima. O que deveria se transformar numa bandeira de desenvolvimento, fica envolto num manto de vergonha, e pior, encoberto pelo silncio!

    Opinio1202

  • VITRINE LAGEANA - LAGEs, SEXTA-FEIRA 14 dE FEVEREIRO de 201403

    Con ra outros produtos e formas de acumular nmeros em sorteemcamposicredi.com.br

    = nmerosda sorte2ouem depsitos a prazoR$ 200 R$ 300em poupana*Ttulo da

    mod

    alid

    ade

    ince

    ntiv

    o em

    itid

    o pe

    la Ic

    atu

    Capi

    taliz

    ao

    S/A

    , CN

    PJ/M

    F n

    74.

    267.

    170/

    0001

    -73,

    Pro

    cess

    o SU

    SEP

    n 1

    5414

    .900

    130/

    2013

    -82.

    A a

    prov

    ao

    de

    ste

    ttu

    lo p

    ela

    SUSE

    P n

    o im

    plic

    a, p

    or p

    arte

    da

    Aut

    arqu

    ia,

    ince

    ntiv

    o ou

    re

    com

    enda

    o

    su

    a aq

    uisi

    o,

    repr

    esen

    tand

    o, e

    xclu

    siva

    men

    te, s

    ua a

    dequ

    ao

    s

    nor

    mas

    em

    vig

    or.

    Serv

    io

    de I

    nfor

    ma

    o a

    o Ci

    dad

    o SU

    SEP:

    080

    0 02

    1 84

    84

    (dia

    s t

    eis,

    das

    9h3

    0 s

    17h

    ) ou

    ww

    w.s

    usep

    .gov

    .br.

    Ouv

    idor

    ia I

    catu

    Se

    guro

    s: 0

    800

    286

    0047

    . Fun

    dos

    de in

    vest

    imen

    to n

    o c

    onta

    m c

    om a

    gar

    anti

    a do

    adm

    inis

    trad

    or d

    o fu

    ndo,

    do

    gest

    or d

    a ca

    rtei

    ra,

    de q

    ualq

    uer

    mec

    anis

    mo

    de s

    egur

    o ou

    , ain

    da, d

    o Fu

    ndo

    Gar

    anti

    dor

    de C

    rdi

    to -

    FG

    C. A

    ren

    tabi

    lidad

    e ob

    tida

    no

    pa

    ssad

    o n

    o re

    pres

    enta

    ga

    rant

    ia

    de

    rent

    abili

    dade

    fu

    tura

    .

    reco

    men

    dada

    a l

    eitu

    ra c

    uida

    dosa

    do

    pros

    pect

    o e

    do r

    egul

    amen

    to d

    o fu

    ndo

    de i

    nves

    tim

    ento

    pel

    o in

    vest

    idor

    ao

    aplic

    ar o

    s se

    us r

    ecur

    sos.

    Pro

    mo

    o v

    lid

    a du

    rant

    e o

    per

    odo

    de 2

    0/01

    a 3

    1/07

    /201

    4, p

    ara

    os a

    ssoc

    iado

    s da

    s co

    oper

    ativ

    as

    de c

    rdi

    to p

    arti

    cipa

    ntes

    . Con

    sult

    e o

    regu

    lam

    ento

    com

    plet

    o da

    pro

    mo

    o e

    m

    sort

    eem

    cam

    posi

    cred

    i.com

    .br

    ou n

    as c

    oope

    rati

    vas

    de c

    rdi

    to p

    arti

    cipa

    ntes

    . Pr

    odut

    os e

    ser

    vio

    s su

    jeit

    os

    dis

    poni

    bilid

    ade

    na s

    ua c

    oope

    rati

    va d

    e cr

    dit

    o.

    Para

    info

    rma

    es s

    obre

    pro

    duto

    s e se

    rvi

    os e

    con

    di

    es d

    e co

    ntra

    ta

    o, d

    irija

    -se

    a um

    a de

    nos

    sas

    unid

    ades

    de

    aten

    dim

    ento

    . Pr

    mio

    s pa

    gos

    em m

    oeda

    cor

    rent

    e na

    cion

    al e

    lq

    uido

    s de

    im

    post

    os.

    SAC

    Sicr

    edi

    - 08

    00 7

    24 7

    220

    / D

    e c

    ient

    es

    Aud

    itiv

    os o

    u de

    Fal

    a - 0

    800

    724

    0525

    . Ouv

    idor

    ia S

    icre

    di -

    0800

    646

    251

    9.

    E Concorra a

    por semana

    e a

    RS30 mil

    no FInal da promoo.

    RS 250 mil

    INVISTA

    DESTAQUE

    Expectativa que Lages possa receber ainda em 2014 mais 120 cmeras

    Pau

    lo C

    haga

    s

    Cmeras de vdeo monitoram nas 24 horasInstalada numa sala em an-

    exo ao prdio do comando da 2 Regio de Polcia Militar, a Central Regional de Emergn-cia de Lages procura alcanar o melhor resultado possvel no controle, visando garantir a segurana dos lageanos. No ambiente, profissionais atuam nas 24 horas do dia, em siste-ma de escala. A Central en-globa o monitoramento das 35 cmeras de vdeo, distribudas no Centro da cidade, e nos bair-ros Coral, Petrpolis, Habitao e Guaruj. Todas em perfeito funcionamento. No mesmo lo-cal so monitoradas tambm as ligaes do 190 da PM, e do 192, do SAMU. O que chama ateno do sistema a ampla viso que se tem atravs das cmeras de vdeo monitoramento, que atingem 360 graus de giro, e possuem alcance acima de um quilmetro. Conforme explica o chefe da Central, o major Ara-jo, as cmeras so usadas como auxlio no aspecto preventivo e inibe aes mal intencionadas. Desde que foram instaladas h quase cinco anos, as ocorrn-cias na rea de cobertura des-sas cmeras, diminuram de 20 a 30%. Trata-se de um impor-tante instrumento na parte re-pressiva. Tudo funciona muito bem. O policial percebe um movimento suspeito e repassa imediatamente as informaes, e em detalhes, para a viatura mais prxima, relata o oficial.Vale dizer, que o sistema das Cmeras no de uso privativo

    da Polcia Militar. Ele compac-tuado com a Polcia Civil e com a prpria comunidade, quando precisam se servir de imagens para esclarecer alguma ocor-rncia, ou em outros proces-sos. Importante lembrar ainda que o servidor armazena as imagens por apenas 15 dias. As imagens mais novas vo se sobrepondo s antigas. Tudo est sendo monitorado de per-to e com ateno, e quem pre-cisar das imagens em alguma situao deve se ater a esse perodo de tempo, lembra o major Arajo.

    TrotesUm dos grandes problemas e que realmente dificulta o tra-balho so as ligaes em forma de trote. Atravs do nmero 190 so computadas uma mdia de 30 mil ligaes, e, dessas em tor-no de 3 mil, so trotes. Por outro lado, nem todas as ligaes cor-respondem tambm s ocorrn-cias. H muito pedido de infor-maes. O SAMU tambm sofre com os mesmos problemas, e os trotes criam situaes em-baraosas, s vezes, justamente quando h um chamado emer-gencial verdico.

    Nova CentralA sede da Central hoje ai-nda comporta o atendimento. Porm, como j h um projeto aprovado e perto de ser licitado, tudo a estrutura deve ganhar um novo prdio, de dois pavi- mentos, a ser construdo em um terreno aos fundos da antiga Casan, numa rea de 1,2 mil m. A partir desse novo projeto, a perspectiva de at o final deste ano de 2014 possamos ter como novidade, o anncio da vinda de mais 120 cmeras para Lages, conclui o major Arajo.

  • VITRINE LAGEANA - LAGEs, SEXTA-FEIRA 14 dE FEVEREIRO de 2014polTiCA04

    O segundo ano da 17 Leg-islatura j comeou e, segun-do o presidente da Cmara, Anilton Freitas, mudanas de-vem acontecer no Legislativo Lageano. A comear pelas re-unies plenrias. Em 2013, as segundas e teras-feiras eram destinadas para a discusso e

    apreciao das matrias legis-lativas, enquanto sesses espe-ciais, solenidade e audincias pblicas aconteciam nas noites de quarta e quinta-feira. Esta rotina, segundo Anilton Freitas, no permitia aos vereadores participarem de reunies nas comunidades e

    Presidente Anilton quer manter o controle de gastos em 2014

    Deputada pede acompanha-mento na contratao de mdicos cubanos

    Everton G

    regrio

    Divulgao

    Mudanas no Legislativo de Lages

    A vice-lder do PPS, depu-tada federal Carmen Zanotto (SC), cobrou que o Parlamen-to acompanhe de perto a situ-ao dos mdicos cubanos no pas. Segundo ela, os re-latos da primeira dissidente do programa Mais Mdicos, a cubana Ramona Matos Ro-driguez, acendem um alerta para as transgresses trabal-histas e aos direitos humanos na contratao desses profis-sionais.Segundo a parlamentar, que enfermeira, Ramona de-nunciou ainda que na cidade em que estava trabalhando, Pacaj (PA), tinha os seus di-reitos de ir e vir cerceados. Ela informou que para se deslocar para um municpio mais prximo tinha de pedir

    autorizao do coordenador do Programa Mais Mdico no estado.Se algum direito est sen-do negado a esse conjunto de profissionais mdicos de Cuba, esta Casa tem o dever de acompanhar a situao para tomar todas as providncias que forem necessrias, aler-tou Carmen Zanotto.

    Posio com relao aos mdicos cubanospartidrias, e quando com-pareciam, gerava um clima ruim devido ausncia de alguns nas reunies da Cmara. Neste ano, cada vereador ter direito a uma sesso especial ou audin-cia pblica por semes-tre. Em relao s sesses solenes, o vereador pode pedir quantas quiser, no en-tanto, todas acontecero no mesmo dia, em local a ser

    definido.Outra novidade no Legis-lativo neste ano a possi-bilidade de transmisso em TV aberta dos trabalhos da Cmara de Vereadores. Atu-almente com transmisso apenas pela internet pelo prprio site e pelo canal 27 da Transcabo, a TV Cmara, de Lages, deve compartilhar o sinal digital da Assembleia Legislativa.

  • VITRINE LAGEANA - LAGEs, SEXTA-FEIRA 14 dE FEVEREIRO de 2014

    VITRINE LAGEANA - LAGES, SEXTA-FEIRA 14 dE FEVEREIRO DE 2014polTiCA [email protected]

    Por Paulo ChagasVITRINE POLTICA

    Observo que:O nome do senador Luiz Henrique da Silveira dever ser requerido, caso o PMDB decida pela candidatura prpria. Que coisa. Agora, como esses partidos iro fazer o eleitor entender tudo isso;O vereador Joo Alberto Duarte (PSD) dever ser o prximo Secretrio Regional de Lages, em substituio a Gabriel Ribeiro, tambm do PSD. A troca dever ocorrer no final de maro, quando Gabriel deve se desincompatibilizar da funo;Voos regulares em Lages esto prximos de se-rem definidos. A notcia boa. Lages faz parte do Plano Regional de Aviao do Programa de Investimento em Logstica. Assim, o Municpio poder contar com voos dirios;Com tantos atos celebrados ao lado do prefeito Elizeu Mattos, voltados para Lages, como en-to dizer que Raimundo no est ao lado dos interesses do Municpio. E olha que Elizeu PMDB por inteiro. Quem sabe isso tudo ainda seja pouco.

    PARA SE PENSARUma verdadeira penca de nomes em busca de uma vaga no Parlamento de Santa Catarina tem criado preocupao. Somente em Lages, nomes sem as mnimas con-dies esto ou devem ser lanados, apenas para cumprir o que determi-nam as respectivas Executivas Esta-duais. No campo das opinies, cabe a ns, tentar fazer o alerta e, quem sabe, fazer alguns desses pretenden-tes sem as mnimas condies, recu-

    arem. A justificativa do apelo para que Lages e Regio possam brigar por uma ou duas vagas na Assembleia, e quem sabe, por uma no Congresso. Deus, a briga por migalhas, ou seja, um ou dois. de dar pena. O pior que os prprios pr-candidatos so quem vo condenar a Serra falta de representatividade e ao ostracismo. Temos um triste futuro no campo poltico, se todas as candidaturas se confirmarem.

    TUDO UM JOGOCada ala partidria joga sua maneira. No caso do PT, no h dvida de que pretende lanar candidatura prpria e ainda se in-tegrar a outras foras partidrias. O PMDB segue tambm ameaando a romper com a trplice aliana, leia-se com PSD, para tambm lanar nome prprio ao governo. Por outro lado, o PSD, atravs de suas lideranas no abre mo da parceria j firmada com

    o Partido Progressista (PP) e dar a ele uma vaga na majoritria, ou seja, a candidatura ao senado. sabido que a manuteno da trplice com a incluso do PP no lugar do PSDB, o caminho leva a uma grande chance de reeleger Raimundo Colombo, ainda no Primeiro Turno. Seja como for, o jogo est posto numa espcie de tabuleiro, com regras de um xa-drez, bem distintas.

    EM BUSCA DO RUMOO Partido dos Trabalhadores (PT) parece mesmo dispos-to a lanar candidatura prpria ao Governo, neste prximo pleito. No Estado, embora dispute as eleies h 30 anos, nunca conseguiu vencer uma eleio, isso que nacionalmente est no poder h 12 anos. Portanto, coloca-se novamente como opo. O Partido que aposta numa proposta alternativa, segue conversando com parceiros que formam a base do Go-

    verno Federal, com exceo o PSD. No contexto das coisas, o nome de Cludio Vignatti tem sido citado com fora para ser lanado como candi-dato, mas, o Partido deixa aberto o processo de inscrio de pr-candi-daturas proporcionais, senado, vice e governador, at o dia 13 de maro. E, no 22 de maro no Encontro Esta-dual, deve definir as diretrizes para o pleito, principalmente, as alianas e os pr-candidatos.

    Ascom

    - Vignatti

    PRECiSA SER DiTOO fato da Executiva do PMDB de Lages ter se manifestado atravs de nota contra a SDR, ou seja, do Governo, do qual faz parte, a partir de Lages, tem grande significado em todo o Estado. O movimento estadual exigindo que o Partido tenha candida-tura prpria em 2014, principalmente de algumas foras estaduais, e agora, mais os posicionamentos de lideranas de Lages, indicam que no querem mais apoiar Raimundo Colombo. Por-tanto, em Lages, a repercusso ganha notoriedade, pois, na casa, na cidade do Governador, o PMDB acentua essa con-dio, negativa por sinal, entende-se de que no quer mais para Lages a figura do Governador. Entendo tambm que, bem ou mal, o Governo de Santa Catari-na tem um lageano. Coisa que, em vida, eu, e muitas outras pessoas, jamais vamos ver novamente. A ideologia que h muito no existe mais dentro das agremiaes polticas, se volta apenas para os interesses pessoais. Poderiam nossas lideranas polticas regionais, colocar Lages e a Serra como fora ide-

    olgica principal, e pensar em ter, pelo menos, por mais quatro anos, a presen-a do governante do Estado, nativo da Serra. a nossa ltima chance. Depois, sabe-se l quando isso ir acontecer de novo. Mas, em nome do poder, nada dis-so importa. Quem contra Raimundo e de Lages ou da Serra, merecedor de um governador de qualquer outro ponto do Estado, e que viva ele pr-ximo, dos interesses unicamente da regio de procedncia, apenas. Como diz o amigo Celso Aurlio: pensemos nisso enquanto h tempo.

    Paulo C

    hagas

    Raimundo Colombo no centro de todas as jogadas polticas

    Cludio Vignatti poder ter o nome indicado ao Governo

  • VITRINE LAGEANA - LAGEs, SEXTA-FEIRA 14 dE FEVEREIRO de 2014CiDADE06

    O prefeito Elizeu Mattos rece-beu em seu gabinete, no incio da semana, o diretor de mar-keting da empresa Alphaville Mdia mobilirio urbano e mdia exterior, Roberto Victor, com sede em Barueri (SP). O representante apresentou uma proposta de parceria entre o

    poder pblico e a iniciativa privada, intermediada atravs da empresa, para implantar no-vos abrigos de nibus em Lages.A Alphaville, com experin-cia na fabricao, manuteno

    e explorao de publicidade em mobilirio urbano, instituiu o Abrigar Ser Solidrio, em

    Representantes do Minist-rio da Sade estiveram com a secretria de Sade de Lages, Cristina Subtil, monitorando a construo da Unidade de Pronto-Atendimento (UPA), na tera-feira (11). Com rea de 2.400 metros quadrados, 17% das obras esto con-cludas. Os trabalhos ini-ciaram em 2012, precisaram ser paralisados por conta de readequaes no projeto ini-cial devido a falhas de plane-jamento e foram retomados no ano passado. O Ministrio da Sade acompanha de perto a execuo. um monitora-mento contnuo, afirma Cris-tina.A UPA ser uma estrutura de complexidade intermediria entre as Unidades Bsicas de Sade (UBSs) e porta de urgncia hospitalar e prestar suporte rea de abrangncia da Associao dos Municpios da Regio Serrana (Amures). Estar localizada nas imedia-es do Terminal Rodovirio

    Acompanhamento integral de cada obra para que sejam amenizados ao mximo os transtornos populao tem sido a proposta da Adminis-trao. Assim acontece com a construo da Av. Ponte Grande e no diferente com a implantao do cabeamento subterrneo, no Centro. Des-de o incio das obras esto sendo realizadas reunies chamadas de ponto-con-trole, essenciais para que o processo tenha celeridade e impactos minimizados.A cada dez dias os envolvi-dos se renem para discutir demandas e pendncias. Os encontros so para troca de sugestes, acompanhamento e cobrana mtua de metas

    em curto prazo. por isso que no tem ocorrido tanto transtorno. No temos ouvido muitas reclamaes sobre a obra porque ela est dentro do prazo e planejamento pre-vistos, argumenta o secre-trio de Planejamento, Jorge Raineski. A cada 50 metros de vala aberta os servios so ex-ecutados e a mesma fechada, sem impacto ao trnsito, com poucas horas de interrupo.Aps esta etapa inicia-se a terceira fase, que envolve as ruas Nereu Ramos e Coronel Crdova. Alm destas, est includa a Nereu Ramos e os calades Tlio Fiza de Carvalho e Joo Costa. Sero em torno de dois anos de trabalho.

    Os abrigos podero ser de vidro temperado, oferecendo mais conforto e segu-rana aos usurios

    Ser uma estrutura intermediria entre as UPAs e a porta de urgncia hospitalar

    Obra est sendo feita sem maiores transtornos comunidade aos lojistas

    Toninho Vieira

    Divulgao

    San

    dro

    Sch

    euer

    man

    n

    Abrigos de nibus em parceria

    Obras da UPA perto de 20% prontas

    Cabeamento subterrneo

    vrios municpios. Voltada administrao pblica, de-senvolve e implanta projetos de marketing e comunicao visual utilizando os espaos pblicos.A parceria surge atravs da conquista de patrocina-dores empresrios, insti-tuies ou pessoas inter-essadas na divulgao de campanhas institucionais ou propagandas , utilizando os abrigos como outdoors fixos. Em contrapartida a prefeitu-ra disponibilizaria de espao para tambm divulgar suas aes e campanhas. A iniciativa despertou in-teresse ao prefeito por se tratar de uma forma de eco-nomia ao municpio, pois alm de no ter que arcar com os custos para a con-struo, tambm se isenta de grande parte das despe-sas com a manuteno das estruturas, que ficariam por conta das empresas patroci-nadoras.

    Dom Honorato Piazera. Dos valores investidos, R$ 2 milhes so do Ministrio da Sade, R$ 898.496,27 contrapartida do municpio,

    mais R$ 136.105,51 do pri-meiro aditivo referente s instalaes das estacas, tam-bm da prefeitura, totalizan-do R$ 3.034.061,78.

  • VITRINE LAGEANA - LAGEs, SEXTA-FEIRA 14 dE FEVEREIRO de 201407CiDADE 07

    A Diretoria de Trnsito (Diretran) da Secretaria de Segurana e Ordem Pbli-ca de Lages deu incio s mudanas e melhorias no trnsito no entorno da BR-282, junto ao viaduto da Av. Cames, na tera-feira (11). A Rua Getlio Vargas voltou a ter mo dupla em toda a sua extenso entre os pon-tos de confluncia com as avenidas Cames e Duque de

    Caxias.A Rua Jairo Luiz Ramos, que corta a Getlio Vargas, logo abaixo do ponto de acesso ao supermercado Big, igualmente voltou a ter mo dupla. J a Herclio Gran-zotto, que servia de desvio do trfego da BR-282 sen-tido Leste-Oeste, voltar a ter mo dupla a partir desta sexta-feira (14). A Herclio j perdeu a condio de via

    preferencial no cruzamento com a Duque de Caxias. Assim os motoristas tm de redobrar o cuidado quan-do descerem a Herclio Gran-zotto em direo Duque de Caxias. Precisam parar, no cruzamento, pois a Duque passou a ser a via preferen-cial. Os mesmos cuidados de-vem ter ao trafegarem pelo cruzamento das ruas Getlio Vargas e Jairo Luiz Ramos.

    Motoristas que trafegam pela Herclio Granzotto precisam ter cuidado

    Sandro S

    cheuermann

    Mudanas no trnsito em Lages

    A Lages Cidad est pro-gramada para o dia 15 de maro, um sbado, no Centro de Ateno Integral Criana (Caic) Irm Dulce e abrang-er os bairros Guaruj, Dom Daniel, Gethal, Guadalajara, Jardim Celina, Pisani, So Se-bastio, So Vicente, Tributo e loteamentos Cristal e Vila Esperana. Nesta quinta-feira (13), s 16h, no gabinete do prefeito Elizeu Mattos, as en-tidades parceiras da Prefeitura de Lages na organizao da 2 Fora-Tarefa Lages Cidad participaram de trabalho de planejamento das atividades.

    A secretria-executiva de Assuntos Comunitrios e Vol-untrios, Mauren Santos, disse que o Caic um lugar perfeito

    Secretarias municipais tambm esto integradas e com aes j definidas

    Toninho Vieira

    Definida nova edio da Fora-Tarefa

    para sediar o evento, que ter a participao do Corpo de Bombeiros; 10 Batalho de Engenharia de Construo

    (BEC);Polcias Militar, Civil, Rodoviria e Ambiental; Servio Social do Comr-cio (Sesc);Servio Social da Indstria (Sesi); Klabin; In-stituto Federal de Santa Ca-tarina (IF-SC);Universidade do Planalto Catarinense (Uniplac), entre outras.Secretarias municipais tambm esto integradas. A 2 Fora-Tarefa abrang-er sete bairros, onde resi-dem aproximadamente 12 mil pessoas, sendo uma nova oportunidade para que a Prefeitura de Lages, com as associaes de mo-radores e outros parceiros, prestem importantes ser-vios comunidade, disse Mauren.

  • VITRINE LAGEANA - LAGEs, SEXTA-FEIRA 14 dE FEVEREIRO de 2014ECoNomiA08

    A fabricante chinesa de caminhes Sinotruk comu-nicou oficialmente o Ministrio do Desenvolvimento, Indstria e Comrcio (Mdic), a concluso do projeto da fbrica em Lages e sua consequente implanta-o, em reunio com o diretor do departamento de Indstria e Equipamento de Transport-es, Paulo Bedran, na quarta-fei-ra (12), em Braslia. A empresa foi representada pelo diretor-geral da joint venture* SBTC Indstria de Veculos S.A., Joel Anderson, enquanto o repre-sentante do Governo do Estado foi o secretrio de Articulao Nacional, Joo Matos. Esse um passo muito importante na instalao da fbrica de caminhes pesados e extrape-sados em Lages, com gerao

    As 13 empresas que rece-beram, gratuitamente, reas territoriais para instalao ou ampliao de suas atividades industriais em Lages, j esto com seus projetos de instala-o prontos, de acordo com levantamento feito junto Sec-retaria de Desenvolvimento Econmico, Trabalho e Renda. Os empreendimentos estaro concentrados nos bairros So

    Francisco, So Paulo I e II, Fer-rovia e em espaos s margens da BR-116, de acordo com a agente administrativa da secre-taria, Laiara Machado Hoepers.

    Mais de 60.750 metros quadrados esto distribu-dos entre as empresas Bello Peixe Pescados, Superfrut, Ma-deireira Olmpio, Mill Serras Indstria de Serras, CCL Con-strutora, Planalto Indstria de

    Confeces, Potenza, De Pieri Madeiras, Autofficine, Delta Sul, Indstria e Comrcio de Madei-ras, Lajeserra e WD Lang.

    Cerca de 870 empregos dire-tos sero gerados nas 13 em-presas. Somente a Bello Peixe fomentar a economia dos pequenos produtores rurais, cultivadores de um alimento ai-nda no explorado com nfase na regio, a exemplo da truta.

    Nova etapa vencida para a vinda da Sinotruk

    Empresas esto com projetos de instalao prontos

    Terreno no Distrito de ndios em Lages aguarda pelo empreendimento

    Divulgao

    Vilso Isidora (E), da Bello Peixe, quer valorizar os produtores da regio

    Dan

    iele

    Men

    des

    de M

    elo

    de milhares de empregos e de-senvolvimento na Serra Catari-nense, salientou Matos.A SBTC j foi habilitada no Programa de Incentivo Inova-o Tecnolgica e Adensam-

    ento da Cadeia Produtiva de Veculos Automotores (Inovar-Auto), permitindo direito a benefcios como descontos no pagamento do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI)

    para os veculos produzidos no Brasil. A unidade de Lages ser a primeira fbrica da Sinotruk fora da China e ter produo mxima estimada em 8 mil caminhes por turno, por ano.

    J estamos com a rea demar-cada, a terraplanagem do ter-reno ter incio em maro e at setembro de 2015 estaremos em produo, expressou An-derson.A unidade catarinense da Sinotruk ser construda no Polo Industrial de ndios, em Lages, ao lado da BR-282. O in-vestimento para construo da fbrica catarinense da ordem de R$ 300 milhes. A unidade vai gerar 400 empregos dire-tos e cerca de 700 empregos indiretos ligados cadeia de fornecedores. Em um primeiro momento, os veculos sero produzidos com material im-portado da China, mas a pro-posta chegar ao fim do ter-ceiro ano de operaes com at 65% das peas nacionalizadas.

  • VITRINE LAGEANA - LAGEs, SEXTA-FEIRA 14 dE FEVEREIRO de 2014

    VITRINE LAGEANA - LAGES, SEXTA-FEIRA 14 dE FEVEREIRO DE 2014 09pUBliCiDADE

  • VITRINE LAGEANA - LAGEs, SEXTA-FEIRA 14 dE FEVEREIRO de 201410 SADE

    Com o lema Teste do Pez-inho, um passo fundamental para a vida, somente em 2013 o programa Sade da Criana e do Adolescente, da Secre-taria de Sade de Lages, emitiu cerca de 1.800 exames, mdia de 200 por ms. O teste do pe-zinho obrigatrio em todo o pas. Possibilita a deteco precoce de doenas metabli-cas, genticas e infecciosas que podem causar alteraes no desenvolvimento do beb.

    O procedimento simples e deve ser realizado entre o ter-ceiro e quinto dia aps o nasci-mento. Atendendo as especifi-caes do Ministrio da Sade, o programa Sade da Criana e do Adolescente atende toda a regio na Policlnica Municipal e nos hospitais Tereza Ramos e Infantil Seara do Bem, por isso h uma demanda mensal sig-nificativa, explica a diretora de Ateno Bsica, Paola Arantes.Alm do teste do pezinho,

    outros exames, na triagem neonatal, so realizados. Com eles, doenas que podem de-ixar sequelas irreversveis no desenvolvimento fsico e men-tal da criana so detectadas e tratadas antes mesmo que os sintomas apaream. A tria-gem neonatal fundamental, pois avalia o estado geral do beb como peso altura, estado vacinal, permetro enceflico, amamentao e o teste do pe-zinho, relata.

    A introduo da vacina tet-raviral que protege contra sarampo, rubola, caxumba e varicela representou um grande avano para a cober-tura vacinal de SC. A campanha de vacinao contra a gripe atingiu as metas de cobertura preconizadas pelo Ministrio da Sade em todos os grupos de maior risco para Influenza (crianas, indgenas, gestan-tes, pessoas com doenas crnicas no transmissveis). Vacinamos 92,4% do pblico-alvo da campanha. Foi o Estado brasileiro com o maior percen-tual de imunizao, ressalta Eduardo Macrio, diretor de Vigilncia Epidemiolgica.Outro sucesso foi a cam-

    panha contra a poliomielite, com cobertura vacinal de 98,4% das crianas menores de cinco anos. Essa uma grande vitria para Santa Ca-tarina. Nosso sistema de imu-nizao to bom que nossas crianas dificilmente ficam doentes, lembra a secretria de Estado da Sade, Tnia Eb-erhatrdt.Para ampliar o acesso da populao s vacinas e contri-buir para melhores coberturas de rotina e campanhas, a SES credenciou 83 novas salas de vacina - 48 privadas e 35 pbli-cas, e capacitou 269 profis-sionais para atuarem em salas de vacinao nas redes pblica e privada.

    O procedimento simples e deve ser realizado entre o terceiro e quinto dia aps o nascimento

    Estado atingiu as metas de vacinao em 2013

    Nilton W

    olff

    Div

    ulga

    o

    Teste do pezinho obrigatrio SC divulga balano anual de vacinao

  • VITRINE LAGEANA - LAGEs, SEXTA-FEIRA 14 dE FEVEREIRO de 2014

    VITRINE LAGEANA - LAGES, SEXTA-FEIRA 14 dE FEVEREIRO DE 2014 11pUBliCiDADE

  • VITRINE LAGEANA - LAGEs, SEXTA-FEIRA 14 dE FEVEREIRO de 201412 EDUCAo

    Parceria pela merenda

    A Secretaria de Agricul-tura e Pesca, em parceria com a Secretaria de Educa-o e a Associao das Comu-nidades Rurais Organizadas (Acro) iniciou esta semana, no Armazm da Alimentao Escolar, localizado na aveni-da Belizrio Ramos, a entre-ga dos alimentos produzidos pelos agricultores familiares do municpio e destinados merenda escolar.Tendo como meta o aten-

    Acadmicos com novas opes

    Claine A

    ndrade

    Uniplac comea o ano letivo de 2014 com dois novos cursos

    Buscando a sincronia com a necessidade de profissionais qualificados e com competncia para atuao de mercado a Uni-versidade do Planalto Catari-nense lanou recentemente os cursos de Arquitetura e Urban-ismo e Engenharia Mecnica. Os dois novos cursos juntam-se s mais de 30 opes de cursos nas mais diversas reas profis-

    sionais que a Uniplac oferece. Para as turmas 2014/1 so 25 cursos que esto com inscries abertas via processo Seletivo at o dia 28 de fevereiro de 2014. O curso de Arquitetura e Ur-banismo visa a formao de um profissional que vai atuar nos mais diversos projetos ar-quitetnicos e urbansticos, focado na organizao de espa-

    os internos e externos uti-lizando critrios de esttica, conforto e funcionalidade. O profissional poder estar diretamente envolvido com planejamento urbano e re-gional; projetos de edificao ou reforma de edificao; projetos de arquitetura de interiores; arquitetura pais-agstica e recuperao pais-agstica, entre outras reas.J o curso de Engenharia Mecnica formar profission-ais aptos a atuar com proces-sos mecnicos e mquinas em geral, alm de instala-es industriais e mecnicas; equipamentos mecnicos e eletromecnicos; vecu-los automotores, sistemas de produo e transmisso de utilizao de calor, den-tre diversos outros proces-sos que podero fazer parte de sua rotina profissional.

    San

    dro

    Sch

    euer

    man

    n

    Parceria valoriza produtores lo-cais e a qualidade da merenda

    dimento aos 16 mil alunos da rede municipal (educao in-fantil e ensino fundamental), os 45 agricultores cadastra-dos no projeto de alimentao escolar esto entregando 27 produtos diferentes ao custo semestral de R$ 358,2 mil. O que no produzido na regio, como a banana, com-prado pela Acro, que repassa ao Programa de Alimentao Escolar.Para o secretrio de Agri-cultura e Pesca, Moiss Savian, utilizar os produtos agrcolas produzidos na regio para aumentar a qualidade da ali-mentao escolar uma for-ma de valorizar o produtor lo-cal, ao mesmo tempo em que contribui para o desenvolvim-ento da Serra. A secretria de Educao, Marimilia Coelho, acompanhou a entrega dos produtos.

  • VITRINE LAGEANA - LAGEs, SEXTA-FEIRA 14 dE FEVEREIRO de 201413GERAL

    Contos & Causos da Coxilha Rica em livro

    Lages planeja o futuro do turismo

    A escritora Maria Terezinha Vieira do Nascimento, 66 anos, est lanando a obra Contos & Causos na Coxilha Rica. O livro retrata a cultura, o modo de vida e costumes do povo da localidade de Coxilha Rica, no Municpio de Lages. O evento acontece no dia 22 fevereiro, na Biblioteca Pblica Munici-pal. Na obra a autora relata sua

    Depois de definir a misso, viso, programas e aes da Secretaria de Turismo de Lag-es, funcionrios esto sendo capacitados para estratificar o planejamento das aes in-ternas. O encontro ocorreu durante a tera-feira (11), liderado pelo consultor do Servio Brasileiro de Apoio s Micro e Pequenas Empre-sas (Sebrae), Roni Rodrigues Brito.

    O secretrio Flavio Agustini diz que esse planejamento interno a base para a elabo-rao do Plano de Desenvolvi-mento Turstico Municipal. Na lista de atividades a serem realizadas esto a elabora-o do Planejamento-Ao do Turismo Sustentvel (Plats), implantao do sistema Ca-dastur, fortalecimento das parcerias entre poder pblico e privado, realizao e revital-

    izao de eventos municipais.Com as aes traadas e estratificadas importante saber qual o papel dos indi-vduos no processo. Com esse trabalho, o que se visa atrair turistas o ano todo, aumen-tar a taxa de permanncia e o gasto mdio com produtos formatados e oferecer ser-vios de qualidade utilizando o potencial turstico de Lages e regio.

    Eleio da Associao dos Aposentados de Lages

    Paulo C

    hagas

    Nilton W

    olff

    Cl

    so A

    url

    io

    Representantes da Chapa 1 visitaram a redao do Jornal Vitrine Lageana

    O encontro serviu para capacitar servidores quanto ao planejamento turstico

    A obra fruto de seis anos de pesquisa

    No dia 22 de fevereiro, a As-sociao dos Aposentados e Pensionistas de Lages far a escolha da nova diretoria. Duas chapas esto na disputa. A da situao formada pelo atual secretrio Armindo Araldi,

    para presidente, e como vice, o radialista Manoel Correa, o Maneca. Na oposio, Rita Parizzoto encabea a chapa. Ela que a atual presidente da Associao Lageana da Ter-ceira Idade (Alteri). A entidade

    hoje representa cerca de 15,5 mil associados. No entanto, pouco mais de 9 mil tero di-reito ao voto, por estarem em dia com as mensalidades.Mantida com a arrecadao de 1% de cada associado, a

    entidade mantm um fatura-mento mensal em torno de R$ 60 mil. Dinheiro que hoje est sendo usado para manter a estrutura existente, alm do pagamento de um terreno ad-quirido recentemente para a construo de uma policlnica. O valor comprometido de R$ 25 mil mensais para pagar o imvel. O atendimento sem-pre das 14 s 20 horas.A entidade, alm da sede social, de 1,3 mil m, voltada especialmente para o lazer dos associados, conta ainda com quatro salas prprias no edifcio Cutia, no Centro da Ci-dade. Nestas salas funcionam a administrao e o atendi-mento mdico e odontolgico. Cinco profissionais da sade atendem gratuitamente os as-sociados. Para o pagamento dos mdicos so investidos mais R$ 20 mil reais. Ainda no campo da sade, a Associao possui convnio com mais 200 mdicos e com todos os labo-

    ratrios e clnicas da cidade.Chapa 1A Chapa Um formada por Ar-mindo Araldi e Manoel Correia (Maneca), tem como maior projeto, a construo da poli-clnica, justamente no terreno j comprado e que est sendo pago pela AAPL, alm de dar continuidade ao trabalho que vem sendo feito, e ampliar os

    benefcios no campo do lazer.

    Chapa 2 a da oposio. A candidata Rita Parizotto, no defende a construo da policlnica, por entender que a entidade no ter como manter e pagar os profissionais da sade. No en-tanto, prope o aumento de mdicos conveniados de forma gratuita, valorizar a qualidade de vida dos associados, alm de ampliar as modalidades de lazer junto Sede.

    vivncia nos tempo de infncia e juventude na referida locali-dade. Para quem conferir a obra ter na leitura dos contos e cau-sos, a viso de uma poca em que a famlia era o centro de uma comunidade, onde as festa de igreja, os bailes nas fazendas geravam grande expectativa nas pessoas. Era uma poca de um povo muito alegre, que gostava de conversar, de se visi-tar. Era uma poca feliz, afirma dona Terezinha.Esta primeira obra de Maria Terezinha, que aos 66 anos, casada, tem trs filhos e 6 netos. E, segundo conta, o trabalho le-vou seis anos para ficar pronto. A obra conta com o apoio da ALE-Associao Lageana de Escritores, e vai estar venda em diversos locais da cidade ou com a prpria escritora. Contatos fone 88179172 ou 32246911.

  • VITRINE LAGEANA - LAGEs, SEXTA-FEIRA 14 dE FEVEREIRO de 2014ENTREVISTA14

    Dia

    ne Z

    iem

    ann

    Kristiane Rocha psicloga especializada em neurocincia, psicopedagogia e psicologia sistmica

    Neste incio de ano letivo muitas crianas comearam a frequentar a escola pela primeira vez. Para muitos pais, este um momento de incertezas, em que muitas dvidas surgem: ser que meu filho vai ser bem cuidado? Ser que vai ficar bem, mesmo longe de mim? Esses questionamentos so naturais, conforme explica a psicloga especializada em neurocincia, psicopedagogia e psicologia sistmica

    da Le Sant - Centro Avanado em Oncologia, Kristiane Rocha.

    NA ESCOLA

    Pela primeira vezVL - Essas dvidas que os pais tm, so

    naturais?Kristiane Rocha So. Os pais tm um cui-

    dado especial com os filhos; sabem reconhecer o motivo do choro, a hora do sono. A impresso que se tem em relao escola de que nela, ele ser apenas mais um entre tantas outras crianas. Entregar o filho para outra pessoa cui-dar e deixar quatro horas, s vezes o dia todo, na escola gera a dvida em saber se o filho ser bem cuidado. Mas, com o passar do tempo, es-ses questionamentos se abrandam porque a cri-ana comea a gostar da escola, a ter carinho pelo professor e isso tende a acalmar os pais. Claro, o choro dos primeiros dias natural porque a criana no sabe o que espera por ela na escola. Naturalmente ela quer ficar em casa porque no conhece outra coisa.

    VL - Como apaziguar essas dvidas?Kristiane Rocha muito complicado para

    os pais abrir mo do conforto de estar com o filho sempre junto. Mas levar a criana para a escola e inseri-la em uma turma em que h mais crianas da mesma idade enriquecedor para o desenvolvimento dela. Algo que costumo dizer que em casa as crianas so reis e rainhas e na escola so plebeus, pois so obrigadas a se integrar ao esquema da escola, esperar a vez e dividir o brinquedo com os amigos, por exemplo. O limite fica muito mais claro.

    VL - O choro dos pais por ter o filho longe de si de alguma forma afeta a criana?

    Kristiane Rocha Afeta porque se o pai ou a me demonstram insegurana para a criana, ela entende que o lugar em que vai ficar no deve ser muito bom j que esto sofrendo para deix-la nele. Claro que essa percepo ocorre de uma maneira muito inconsciente, mas a cri-ana acaba no tendo muita confiana porque os pais no demonstram segurana. Mas, isso tudo, com o passar do tempo, tende a diminuir e a sumir porque os pais passam a gostar da esc-ola, a sentir que a criana est feliz, est segura.

    VL - E tem como se preparar para esse mo-mento?

    Kristiane Rocha Pode-se conversar com a criana. Na realidade preciso vender a escola para ela, mostrar que a escola legal. E os pais, ao mesmo tempo, precisam entender que isso faz parte do ciclo da vida. apenas uma das vrias etapas que vo passar com os filhos.

    VL - E como os pais devem se portar nesse momento de distanciamento?

    Kristiane Rocha O que possvel fazer a adaptao. Levar um dia na escola e ficar com ela por uma hora ou duas, depois deixar a criana l e ir buscar mais cedo. D para fazer esse processo gradual, sempre com muita tran-quilidade e demonstrando que a escola legal. No concordo com a premiao exagerada, de-ixar a criana na escola com a condio de que se ela ficar, depois vai ser levada para comer uma guloseima ou comprar um brinquedo. Isso ensina criana, desde pequena, que as coisas funcionam na base da barganha.

    VL - Para a criana, o que representa essa separao dos pais?

    Kristiane Rocha a descoberta de um mundo novo. sofrido, porque ela vai sair do conforto de casa, mas, ao mesmo tempo, a descoberta de uma srie de coisas. Em casa ela no teria como ter essas experincias.

    VL - Como os pais podem se sentir mais seguros em relao escola?

    Kristiane Rocha Indo at escola algumas vezes durante o dia em horrios diferentes para observar como os professores cuidam das cri-anas, a limpeza do ambiente, se os locais so adequados para estudar, brincar e dormir. Tudo isso mostra o carinho que os responsveis tm pela escola.

  • VITRINE LAGEANA - LAGEs, SEXTA-FEIRA 14 dE FEVEREIRO de 2014

    VITRINE LAGEANA - LAGES, SEXTA-FEIRA 14 dE FEVEREIRO DE 2014SoCiAl [email protected]

    Por Vinicius Di Carlo

    Super Teste revela novos talentos e belezas da Serra

    Com 120 inscritos buscando a chance de se tornarem modelos na Agncia que a MAIOR DA SERRA e uma das que mais cresce no estado e pas, a V Models comeou a fazer as famosas ligaes informando os selecionados. uma sensao muito boa ser um dos escolhidos, pois o teste difcil e tem muita gente bacana tentando. D um nervosis-mo aguardar. Mas, quando a resposta positiva vem incrvel, relata uma das selecionadas para compor o casting 2014.

    Fotos Bruno R

    osa

    Ana Paula Mncia Malinverni foi uma das seleciona-das no Super Teste e logo estar no Centro de Treinamento V Models para se preparar para as campanhas publicitrias de 2014.

    Matheus Linke est no casting masculino da V Models e tem em 2014 a possibilidade de alcanar seu objetivo que estar em uma bela

    campanha publicitria. O garoto est preparado!

    Aliny Debastiani, que ano passado encantou com sua participao. Com certeza ser uma das indicaes da V Models para a Semana de Moda de 2014.

    Semana de Moda em LagesAs modelos da V Models j comearam treinamento intensivo

    para participarem da prxima Semana de Moda, que organizada pela equipe competente formada por Wilson Souza, Cida Couto Hack e Enias Blogoslawski. Ainda no houve casting, mas como a agncia j foi anunciada pelos organizadores como parceira do evento, j colocou as modelos para se prepararem e poderem encantar o pblico presente com um belo desfile.

    Natalia Cassetari nome da model teenager que est se destacando na Serra. Sua desenvoltura em frente s len-tes algo que surpreende os maiores profissionais do setor.

  • VITRINE LAGEANA - LAGEs, SEXTA-FEIRA 14 dE FEVEREIRO de 2014

    VITRINE LAGEANA - LAGES, SEXTA-FEIRA 14 dE FEVEREIRO DE 201416 pUBliCiDADE

  • VITRINE LAGEANA - LAGEs, SEXTA-FEIRA 14 dE FEVEREIRO de 2014SEGURANA 17

    As estatsticas que apontam um aumento con-sidervel no nmero de acidentes envolvendo motocicletas fez com que o Conselho Nacional de Trnsito (Contran) determinasse novas regras aos motociclistas, principalmente no que se refere ao uso do capacete. As estatsticas contabilizaram mais de 5 mil acidentes envolvendo motociclistas em Santa Catarina, no ano passado.

    Os acidentes com motocicletas geralmente so graves e em alguns casos observamos que o uso do equipamento correto poderia ter evitado ferimentos ou at mesmo a morte do motociclista.

    A nova Resoluo 203 do Contran trata desde as condies de visibilidade at o uso do mode-lo correto de capacete. A Resoluo probe a fixao de pelculas na viseira do capacete. Durante o dia permitido o uso de viseira fum, mas a noite a viseira deve ser cristal; em todos os casos a viseira deve permanecer fechada enquanto houver a conduo do veculo.

    Para o uso dos equipamentos que no pos-suem viseira obrigatrio o uso de culos de proteo, que deve estar fixado no capacete para proteger os olhos. O uso de proteo impede que insetos, areia, pedras e gua atinjam os olhos.

    O reflexo de fechar os olhos quando algo atrapa-lha a viso automtico, e isso impede a segu-rana na conduo da motocicleta e o choque pode, inclusive, deixar o motociclista cego.

    O interessante que tanto os culos de proteo quanto o capacete com viseira no impedem que o motociclista use culos de grau ou de sol. Quem conduzir o veculo sem viseira ou sem culos de proteo comete uma infrao gravssima e ter o direito de dirigir suspenso, alm de receber multa no valor de R$ 191,54.

    Outra mudana importante o uso de faixas re-fletivas e o selo do Inmetro. Se o capacete no possuir o selo, mas tiver a etiqueta interna com o smbolo do Inmetro tambm vale. Todos os capacetes devem estar dentro da data de validade, com a cinta jugular fechada e justa.

    Em Santa Catarina a fiscalizao da Polcia Militar est sendo intensa e nenhum detalhe pode ficar de fora. A fase de orientao para regularizao j passou, e quem for pego em blitze de fiscalizao receber multa.

    por Cleber de Souza Borges - Tenente Coronel PM

    UtilidadePblica

    Regras para uso do capacete

    O Governo Federal, por meio da Secretaria de Direitos Huma-nos da Presidncia da Repblica (SDH/PR) e do Ministrio do Turismo, lana mais uma cam-panha para proteo das crian-as e adolescentes contra todos os tipos de violncia durante o carnaval. Com a chamada Pro-teja Brasil, estar presente em festas carnavalescas de todo o pas, com maior mobilizao em cinco centros carnavalescos do pas: Rio de Janeiro, Salvador, Recife, So Paulo e Porto Alegre,

    alm de Braslia.Com foco nos pontos de grande circulao de pes-soas - como portos, aeropor-tos, rodovirias, hotis e nos prprios circuitos de carnaval (sambdromos, blocos e cama-rotes) -, a campanha consiste na distribuio de materiais infor-mativos que possuem o intuito de conscientizar a populao sobre a necessidade de estar at-ento, prevenir e denunciar pos-sveis violaes aos direitos de crianas e adolescentes. Alm

    Governo quer evitar a explorao de crianas e adolescentes durante o Carnaval

    Divulgao

    Crianas e adolescentes precisam de proteo durante o Carnaval

    Uma boa notcia para o Meio Ambiente. No ano pas-sado o registro de focos de in-cndio em todo o Brasil caiu 40% em relao a 2012. Em 13 anos, foi menor quanti-dade de focos computada pe-los satlites de referncia do Instituto Nacional de Pesqui-sas Espaciais (Inpe). Ao todo,

    em 2013, ocorreram 115 mil pequenos incndios contra 194 mil no ano anterior.De acordo com Inpe, essa diminuio ocorreu por causa das chuvas que caram no fi-nal do ano. Os meses de maior intensidade e probabilidade para incndios so agosto, setembro e outubro, por cau-

    sa do tempo geralmente seco.O maior nmero de focos registrado no Brasil foi em 2010: um total de 251 mil. Dez anos antes, foram com-putados 101,5 mil focos. O fogo prejudica plantaes, diferentes biomas e animais silvestres. (Fonte: Agncia CNM)

    Focos de incndio diminuem no pas

    do abuso e explorao sexual, os organizadores pretendem alertar para outros tipos de vio-lncia, como o trabalho infantil.A campanha pretende abor-dar os folies desde a sada do seu local de origem, como nos aeroportos, at as festas. Nas cidades, equipes dos minist-rios envolvidos, com apoio dos governos estaduais, prefeituras e movimentos sociais de pro-teo da infncia, faro a distri-buio dos materiais informati-vos. Artistas e personalidades do carnaval tambm esto sen-do convidados a se envolverem na divulgao da campanha.Por meio do Disque 100, possvel denunciar quaisquer tipos de violaes de Direitos Humanos. O servio funciona 24 horas por dia, sete dias por

    semana, inclusive finais de se-mana e feriados. As ligaes po-dem ser feitas de todo o Brasil atravs de discagem direta e gratuita, de qualquer terminal telefnico fixo ou mvel. As denncias podem ser annimas e o sigilo das informaes ga-rantido, quando solicitado pelo demandante.

  • VITRINE LAGEANA - LAGEs, SEXTA-FEIRA 14 dE FEVEREIRO de 2014REGIONAL18

    homem do Campopor Cesar Missioneiro

    [email protected]

    Novamente o CTG Anita Garibaldi, de Lages, foi Va-caria/RS de 01 09/02/14 e brilhou nos palcos do 30 Ro-deio Internacional, considerado o maior Evento Tradicionalista Gacho do Mundo. Para o CTG Anita Garibaldi a peleia no foi fcil, pois na parte artstica do Rodeio haviam 185 Entidades inscritas de diversos Estados do

    Brasil, mas a garra e a luta dos seus 152 integrantes inscritos (entre pees e prendas) super-aram todos os percalos nas vrias modalidades artsticas.Centenas de vezes se falou o nome de Lages SC, com o CTG Anita Garibaldi, que sagrou-se o GRANDE CAMPEO GERAL DO 30 RODEIO INTERNACIONAL DE VACARIA. A delegao es-

    Brighenti na diretoria do Ciga

    O grande campeo em Vacaria

    A Importncia do penico

    Tudo que criado pelas mos do ser humano arte, inclusive, o importantssimo e indispensv-el penico. O penico (urinol) fez parte da moblia e do cotidiano dos antigos povos da sociedade civilizada. Primorosos arteses mundiais aplicaram todo seu talento e percia para criar verdadeiras obras de arte na construo de to estimado e necessrio artefato.

    Os primeiros povos da terra, os mais primitivos, na necessidade de aliviarem-se, distancia-vam-se o mais longe de onde moravam, como fazem os ndios. Depois vieram as privadas chegando mais perto das casas, at que ficaram dentro das casas e hoje esto dentro dos quartos (sute). At pouqussimo tempo, um ontem na histria da humani-dade, em todas as casas, rurais e urbanas, de baixo das camas ou dentro dos bids estava presente o pacien-cioso penico espera de seu dono ou de um visitante. O penico era um utenslio tambm de uso individual, para tanto viajava com seu dono e muitas pessoas manda-vam confeccionar estojos de proteo, que poderiam ser de madeira, couro ou pele lavrada.

    Os gregos chamavam de amigo, os roma-nos de matulla ou metella. O imperador Heliogabalo usava penicos em ouro puro. Na antiguidade eram mais oblongo, mais tarde escafide (tipo barca), os cilndricos, os globulosos a partir do sculo XVIII, em todos os materiais, os mais concorrentes. Galanga era um penico vertical, Chata era anatmico para acamados (Comadre). Cua para en-fermos masculinos (papagaio). Havia penicos pequenos para crianas, tamanho padro e alguns maiores para o conforto de ndegas grandes. Alguns tinham tampa, mas por alguma razo todos tinham somente uma asa e sempre baixinhos.

    A criatividade nesta rea da higiene sempre foi uma necessidade, para isto criou-se modelos com 45 cm de altura, usado por grvidas e outros adaptados em cadeiras e poltronas em madeira nobre, apelidadas de dompedros. Da surgiu o vaso sanitrio e sumiu o penico, restando alguns modelos adaptados para acamados nos hospitais e modelitos infantis.

    Ao que se sabe o que restou do amigo valioso e inseparvel, foi uma coleo, na Espanha, de aproximadamente 1320 peas, alguns acom-panhados de belssimas bacias com jarras. Os registros destes utenslios datam de 5000 anos ou mais, usados por chineses, indianos, egpcios, etc

    Prefeito de So Joaquim Humberto Brighenti como membro do Ciga

    Agn

    es S

    aman

    tha O prefeito de So Joaquim

    Humberto Luiz Brighenti to-mou posse na manh de segun-da-feira (10), como membro da diretoria do Consrcio de Informtica na Gesto Pblica Municipal (Ciga), rgo vincu-lado Federao Catarinense de Municpios. A solenidade aconteceu como um dos pri-meiros atos do Congresso Ca-tarinense de Municpios que se encerrou nesta quinta-feira (13), no CentroSul, em Flori-anpolis.O prefeito joaquinense acompanhou a deliberao so-bre o relatrio de atividades do consrcio em 2013, presta-o de contas do perodo, o plano de trabalho para 2014 e assuntos como homologao dos reajustes dos valores de rateio dos programas do Ciga para 2014.

    Integrantes do Anita fizeram bonito em Vacaria, de novo

    Sau

    l Oliv

    eira

    /SO

    L/A

    SC

    OM

    De acordo com o presidente reeleito do Ciga, Nelson Guin-dani o consrcio j possui perto de 1.400 usurios dos programas. So atualmente 114 municpios publicando no Dirio Oficial, atos diversos, diariamente. A representao da Serra Catarinense na dire-toria do Ciga foi elogiada pelo diretor executivo do consrcio,

    Gilsoni Albino.Para Humberto Brighenti, o trabalho consorciado fun-damental para baratear cus-tos aos municpios. J temos

    exemplos prticos na Amures, como o consrcio de sade e de meio ambiente e sanea-mento bsico que desoneram as prefeituras no atendimento populao, citou.

    teve composta por 170 pessoas em mdia, que somaram 40 barracas montadas no acampa-mento. Foram conquistados 09 trofus na artstica sendo, so-mando na histria o CTG totali-za 935 j conquistados. Resulta-dos em Vacaria: 1 - CAmpEo GERAL / 1 - Violo duo juve-nil Lucas Soares / 1 - Violo duo juvenil Deivid Toledo / 2 Invernada de danas Cat-egoria Veterana / 2 Invernada de danas Categoria Juvenil / 3 Invernada de danas Cat-egoria Adulta / 3 Invernada de danas Categoria Mirim / 3 - Intrprete vocal peo juvenil Lucas Soares / 3 - declamao peo veterano Pedro Junior.

  • VITRINE LAGEANA - LAGEs, SEXTA-FEIRA 14 dE FEVEREIRO de 2014REGIONAL 19

    Vacaria - A equipe de divul-gao da 10 Feijoada da Serra esteve presente no 30 Rodeio Internacional de Vacaria-RS, no ltimo fim de semana. Em meio a muitas competies, as Musas convidaram a todos para a 10 Feijoada da Serra e tambm para visitar e apre-ciar as belezas da Serra Catari-nense.A equipe e as Musas estaro fazendo uma verdadeira mara-tona em diversos lugares para divulgar o evento que est sendo anunciado como um dos maiores e melhores da Regio Serrana.

    A 10 Feijoada da Serra acontece nos dias 15 e 16 de maro, na chcara Batisttela, em Lages-SC, e espera um p-blico de mais de trs mil pes-soas. Os ingressos j esto sendo vendidos nos postos de venda e no QG da Feijoada da Serra, que fica na Av. Presi-

    Musas da Feijoada da Serra marcaram presena no Rodeio em Vacaria

    Cris M

    enegon

    Musas no Rodeio de Vacaria

    dente Vargas (em frente o ex Griffe do Dog).A promotora do evento co-menta que no QG da Feijoada o pessoal poder pegar ad-esivos, camisetas promocio-nais, ver as divulgaes e at mesmo bater um papo com as promoters. O horrio de aten-dimento das 10h s 21h.

    So Jos do Serrito - En-quanto as etapas burocrticas que viabilizaro o asfaltamento dos 45 quilmetros vo sendo vencidas, meta manter o solo em boas condies. O pro-jeto geomtrico que servir como base para a pavimenta-o do trecho da SC 120 que interliga os municpios de So Jos do Cerrito e Curitibanos est sendo finalizado, e ser apresentado comunidade nos prximos meses.Uma empresa contratada pela SDR Lages est realizando servios de manuteno nos 21 quilmetros que pertencem a So Jos do Cerrito. O crono-

    grama inclui cascalhamento, roada, limpeza de bueiros, patrolamento e compactao em toda a extenso. Os trabal-hos iniciaram h quinze dias, e sero concludos na prxima semana.A estrada tem grande relevncia no contexto so-cioeconmico da Serra ca-tarinense, interligando duas rodovias federais (BR 282 e BR 470), e enquanto o asfalto no chega, vamos mant-la em boas condies para o trfego, diz o secretrio de Desenvolvimento Regional, Gabriel Ribeiro, que na tera-feira, 11, acompanhou o andamento das obras.

    Manuteno em estrada

    Florianpolis - O prefeito de Otaclio Costa, Luiz Carlos Xavier, o Tio Ligas tomou posse nesta tera-feira, como primeiro secre-trio da diretoria executiva da Federao Catarinense de Mu-nicpios (Fecam). O prefeito de Tai, Hugo Lembeck, foi condu-zido presidncia da entidade para o exerccio 2014. A soleni-dade ocorre no Centro de Con-venes - CentroSul, em Flori-anpolis, logo aps a solenidade de abertura do XII Congresso Catarinense de Municpios, que encerrou nesta quinta-feira (13).

    Nova diretoria da Fecam eleita durante Congresso de Municpios

    Secretrio Regional Gabriel Ribeiro e o diretor da SDR Juarez Mattos, acompanham as obras

    gners S

    amanta

    Fbi

    o R

    amos

    Tio Ligas na diretoria da Fecam

    Presidente - prefeito de Tai (AMAVI), Hugo Lembeck (PMDB)1 vice-presidente - prefeito de Chapec (AMOSC), Jos Claudio Caramori

    2 vice-presidente - prefeito de Biguau (GRANFPOLIS), Jos Castelo Deschamps (PP)3 vice-presidente - prefeito de Balnerio Piarras (AMFRI), Leonel Jos Martins (PSDB)

    1 secretrio - prefeito de Otaclio Costa (AMURES), Luiz Carlos Xavier (PDT)2 secretrio - prefeito de Rodeio (AMMVI), Paulo Roberto Weiss (PT)

    Classificao

    Lembeck passou a substituir o prefeito de Gaspar, Celso Zu-chi que vinha comandando a entidade. No total so seis car-gos para o Conselho Executivo e 15 cargos para o Conselho Fis-

    cal, sendo oito titulares e sete suplentes, totalizando as 21 Associaes de Municpios de Santa Catarina.

    A chapa nica registrada fi-cou assim composta:

    Urupema Em reunio, no Gabinete do Prefeito, a Comisso de Proteo e De-fesa Civil de Urupema deli-berou sobre o longo perodo de estiagem e as altas tem-peraturas que assolam o mu-nicpio nos ltimos dias.Segundo os relatos o prejuzo maior ser para os produtores rurais que esto com parte da safra compro-metida. Na cultura da batata os tubrculos no esto de-senvolvendo e muitas plantas esto encerrando seu ciclo precocemente. Segundo dados levantados pela Secretaria Municipal de Agricultura a previso de perda na safra da ma de 30%, na cultura da batata 40% e moranga 60%. Na pecuria de corte devido a falta de pastagens os ani-mais esto sem alimento e no conseguem ganhar peso,

    atrasando o processo de en-gorda, como tambm as ma-trizes leiteiras no conseg-uem desenvolver todos o seu potencial reduzindo drastica-mente sua produo. Os dan-os foram sentidos tambm na produo de milho, feijo.No que diz respeito ao abastecimento de gua se no chover nos prximos dias ser feito uma campanha de conscientizao para que os moradores economizem, a fim de evitar o racionamento.

    Situao de Emergncia

    Safra da ma est bastante com-prometida

    Divulgao

  • VITRINE LAGEANA - LAGEs, SEXTA-FEIRA 14 dE FEVEREIRO de 2014ESPORTE20

    O presidente do Santos em exerccio, Odlio Rodrigues, deu algumas declaraes so-bre a venda de Neymar para o Barcelona em maio de 2013. O mandatrio do clube afirmou, durante a reunio entre Con-selho de Gesto e Conselho Fis-cal, nesta quarta-feira, que no sabia da carta assinada pelo presidente licenciado, Luis Al-

    A vitria do Real Garcilaso (PER) sobre o Cruzeiro, por 2 a 1, pela primeira rodada da Copa Libertadores, na noite da ltima quarta-feira no Peru, foi marcada por atos lamentveis. Substituto de Ricardo Goulart, o volante Tinga sofreu atos de racismo desde que entrou em campo. Quando o atleta pegava na bola, os torcedores da equipe man-dante imitavam urros de macaco na arquibancada.Chateado com as manifesta-es, o meio-campista comen-tou a situao e relembrou que, quando esteve na Alemanha, onde defendeu o Borussia Dort-mund (ALE), no sofreu o mes-

    Neymar foi negociado por 17,1 mil-hes de euros

    Chateado com as manifestaes, o meio-campista comentou a situao

    Divulgao

    Divulgao

    Venda de Neymar ao Barcelona

    Tinga vtima de atos racistas

    Assessores que fazem a agenda da presidente Dilma Rousseff informaram que ex-iste a previso de que ela vis-ite o Rio Grande do Sul em 20 de fevereiro para inaugurar as obras de reforma do estdio Beira-Rio, em Porto Alegre, e participar da abertura da 30 Festa da Uva, em Caxias do Sul.A solenidade do estdio colorado era prevista inicial-mente para 31 de janeiro, mas pendncias relativas segu-rana e ao plano de incndio no permitiram, at agora, a

    liberao do Beira-Rio. J a or-ganizao da Festa da Uva j havia informado, na semana passada, a possibilidade de ter a presidente na cerimnia oficial de abertura. Acompan-hado da corte da Festa da Uva, o prefeito de Caxias, Alceu Bar-bosa Velho, visitou o Planalto em 5 de fevereiro.

    Os horrios da agenda ofi-cial e a comitiva de ministros que deve acompanhar a presi-dente ainda no foram defini-dos. (Fonte: Jornal Correio do Povo).

    Beira-Rio dever receber o primeiro jogo oficial neste fim de semana

    Hyp

    e S

    tudi

    o

    Inaugurao do Beira-Rio

    varo de Oliveira Ribeiro, que permitia que o ex-camisa 11 negociasse com outro clube. Quando surgiu essa carta, foi um fato novo para mim - afir-mou durante a reunio.Antes que os conselheiros do clube pudessem fazer per-guntas ao presidente, Od-lio explicou toda a trajetria das tratativas do Santos com o pai de Neymar por meio de algumas notcias veicula-das pela imprensa. Por duas vezes foram usadas duas re-portagens do LANCE!Net para lembrar que o pai do jogador desconhecia receber qualquer dinheiro do clube espanhol.Sobre a carta assinada pelo presidente licenciado Luis Al-varo, o atual mandatrio afir-mou que, mesmo sendo uma surpresa para ele, o docu-mento permitia que Neymar poderia negociar com outro clube, e no a empresa do pai do jogador. A gente recebeu

    a carta do pai do Neymar e j tinha todas as rubricas (do Barcelona), mas a carta au-toriza o alteta a abrir negocia-es, no a N&N ressaltou o presidente.

    Durante as explicaes em ordem cronolgica sobre a negociao, Odlio deixou claro que o pai do jogador se negou a mostrar os contratos com o Barcelona por mais de uma vez. Nesta quarta-feira, o Santos emitiu uma nota reafir-mando o pedido de um novo recurso no Tribunal de Justia para obter os contratos entre N&N Consultoria esportiva e Barcelona para uma melhor anlise dos fatos.Outro ponto esclarecido foram os valores que o craque rendeu ao clube. Oficialmente, Neymar foi negociado por 17,1 milhes de euros, com direito a mais 2 milhes de eu-ros caso o jogador fosse final-ista da Bola de Ouro.

    mo problema. Joguei na Ale-manha, lugar conhecido por este tipo de manifestao, e nunca aconteceu isso. Infelizmente, em um pas to parecido com o nos-

    so, acontece isso - declarou o experiente atleta, que seguiu lamentando o fato: a minha oitava Liberta-dores e nunca tinha aconte-cido isso. No comeo, achei que eram simples vaias, mas depois vi que eram insultos racistas. Fico chateado, mas estava ali dentro querendo ganhar. A gente fica chateado.Esta no a primeira vez que um jogador brasileiro vtima de atos racistas na Copa Libertadores. Em 2012, com as cores do Flamengo, o atacante Vagner Love sofreu do mesmo problema em jogo contra o Emelec, do Equador.

  • VITRINE LAGEANA - LAGEs, SEXTA-FEIRA 14 dE FEVEREIRO de 2014ESPORTE 21

    CA Esportes

    Comeo de temporada

    Segunda-feira, 17 de fevereiro, teremos o incio da temporada 2014 do Time de futsal do Caa e Tiro Honolulu. Com uma equipe praticamente reformu-lada, o time inicia 2014 com o propsito de chegar, manter a marca vencedora da temporada 2013, quando o ponto mximo foi a conquista da Taa Santa Catarina e voltar ao cenrio do futsal nacional. Com certeza 2014 vai um ano cheio de desafios que precisam ser vencidos. Mais uma vez a torcida est sendo chamada para esta caminhada.

    Pensemos nisso enquanto tempo.

    ltima Rodada

    Neste final de semana teremos a ltima rodada da fase classificatria do Campeonato de fute-bol amador da Liga Serrana de Futebol. Vamos conhecer os semifinalistas da competio.

    Confira os jogos: Sbado: 15h15min - Amrica x Cruzeiro (Amador); 17h -Assolan x Guaruj Jr (Amador), 15h-So Jos x Crista( Estdio municipal), 17h - Vila Mariza x Inter Amigos (No Estdio Municipal). Domingo: 10h- Guaruj x Juventude no Amador.

    por Celso Aurlio [email protected]

    Instrutor de Lages d aulo em Vacaria

    Xadrez lageano na semifinal do Estadual

    Snior da L.S.F j tem campeo

    Neste final de semana ocorreu um aulo em Vacaria. O profes-sor da Academia Winner, Aldo-ri Bernardino, esteve presente naquela cidade Gacha, a con-vite, para ministrar um aulo de jiu-jitsu e aps realiz-la, foi feito um exame de faixa de um aluno local. O instrutor de jiu-jitsu responsvel, o Joziel, ficou

    muito contente com presena e os alunos gostaram muito das aulas apresentadas.Ele abordou assuntos sobre a importncia, atualizao e tambm da correo das tcni-cas bsicas, alm dos detalhes de cada tcnica e a importn-cia dos mdulos do sistema Al-liance de ensino. Entre outros

    assuntos comentados, foi a re-unio em So Paulo, em janei-ro, sobre mudanas e a vinda do Seminrio de Campees Mundiais ao Estado de Santa Catarina, e em especial Lages. Tambm est sendo cotada a vinda de atletas a Lages para ministrar aulas neste ano 2014.

    A equipe Lages Xadrez Clube/FME estar, entre os dias 21,22 e 23 de fevereiro, , na cidade de So Bento do Sul, disputando a Semifinal do Campeonato Ca-tarinense Absoluto de Xadrez 2014. O evento reunir os mel-hores jogadores do sul do pas e classifica os dois melhores para a Semifinal do Campeona-to Brasileiro Absoluto.De Lages, Leonardo Fer-nandes Borges (CEDUP), Jona-tan Machado (Centro Educacio-nal) e Guilherme Exterhotter Bastos (Uniplac) jogam a com-petio, iniciando os trein-amentos para OLESC, Joguin-hos e JASC.

    Cada jogador disputar 06

    Campeo: Candiago/Funerria N. Sra. do Rosrio

    Vice-campeo: Nacional Jr3 lugar: Kayuba ITPArtilheiro: Faceiro

    (Kayuba/ITP) com 18 golsMelhor Goleiro:

    Fbio (Candiago)

    Classificao Final

    Encerrou-se no sbado, 8 de fevereiro, o campeonato de Futebol Snior 2013/14 da Liga Serrana de Futebol. A equipe do Candiago/Funerria do Rosrio sagrou-se campe ao derrotar por 1x0 a equipe do Nacional Junior. Com este resultado o time mantm a hegemonia do futebol snior da cidade, sendo segundo ano consecutivo que conquista este ttulo.

    Celso A

    urlio

    Em Foco

    O campeonato de futebol Snior da Liga Serrana de Futebol teve o nome nos trofu do Superintende da Fundao Municipal de Esportes-FME, Armando Melo Jr.

    Valeu galera, at a prxima edio!

    Candiago comemora mais um ttuloC

    elso Aurlio

    O evento reunir os melhores jogadores do sul do pas

    Celso A

    urlio

    partidas de trs horas cada, com trofus e medalhas aos melhores colocados.Em maro a equipe Lages Xadrez Clube/FME disputa tambm o Torneio Interna-cional da FESTA DA UVA, em Caxias do Sul-RS, onde estar presente o Campeo Mundial Magnus Carlsen, da Noruega.

  • VITRINE LAGEANA - LAGEs, SEXTA-FEIRA 14 dE FEVEREIRO de 2014

    VITRINE LAGEANA - LAGES, SEXTA-FEIRA 14 dE FEVEREIRO DE 201422 pUBliCiDADE

  • VITRINE LAGEANA - LAGEs, SEXTA-FEIRA 14 dE FEVEREIRO de 2014

    VITRINE LAGEANA - LAGES, SEXTA-FEIRA 14 dE FEVEREIRO DE 2014 23

    Vitrine do Pakinhapor Marcelo Vieira Muniz

    1 2

    1 - Regina e Tomaz, da Mait enxovais com a proprietria do Studio K. 2 - Reinaugurado, Studio K e sua equipe, os espera. Marque horrio. Fone (49) 3224-3485. 3 - Eliane Zanotto e Frdy Vieira no Rodeio em Vacaria. 4 - Rapaziada do Barbicacho Colorado sapecando uma ovelhinha morta kkkk. 5 - Andr Gugelmin e seu filho Davi 6 - Everton e Edson no Rodeio em Vacaria.

    7 - Beto Castro, Mrio Arruda, Henrique Beling, Vitor Castro, Mrcio e Jaco, na Pousada do SESC. 8 - Lageanada literalmente invadiu o Rodeio em Vacaria.

    5

    8

    3

    6 7

    4

  • VITRINE LAGEANA - LAGEs, SEXTA-FEIRA 14 dE FEVEREIRO de 2014

    VITRINE LAGEANA - LAGES, SEXTA-FEIRA 14 dE FEVEREIRO DE 201424 CONTRACAPA

    Prottipo das casas que vo ser construdas para realocao das famlias

    Ponto Controle que completa um ano. Reunio de quarta-feira (12) foi acompanhada pela imprensa

    Fotos Paulo C

    hagas

    Um ano de obras no Complexo Ponte Grande

    A obra do Complexo Ponte Grande em Lages comemora o primeiro ano de execuo. Todo o processo foi lembrado durante reunio na manh de quarta-feira (12), em novo encontro do grupo de avaliao do Ponto Controle. Estiveram presen-tes os diretores das empresas

    Sulcatarinense e Prosul, que executam a obra e os trabalhos tcnicos social da Ponte Grande, respectivamente, alm da Caixa Econmica Federal e secretrios municipais.Na oportunidade foi apre-sentada uma retrospectiva do primeiro ano de andamento

    das obras do Complexo Ponte Grande. Cerca de 35% da terra-planagem est pronta. Entre os relatos, as lembranas dos prob-lemas naturais e as dificuldades enfrentadas at ento, especial-mente quando se lida com a im-pactao a pessoas. Dezenas de famlias tiveram que ser reloca-

    das, sem que nenhum processo jurdico recasse sobre a Prefei-tura. Tudo foi feito com muito dilogo, num clima de confiana mtua e de credibilidade, sa-lientou o secretrio de Planeja-mento, Jorge Raineski.Conforme os relatos, a impac-tao social no foi to pesada como se esperava. Hoje, h uma frente livre para muito tempo de trabalho, exatamente, por conta da sada das famlias. Di-ante do bom avano das obras, a boa nova de que em maro

    comeam a ser construdas as 200 casas para realocao das famlias remanejadas. Muitas delas esto atualmente moran-do em casas alugadas, por conta do aluguel social.

    Depois das explanaes, a im-prensa que acompanhou a re-unio, foi convidada a visitar as obras da Av. Ponte Grande, e, in-clusive, o terreno onde ser con-strudo o conjunto habitacional que abrigar as cerca de 200 famlias remanejadas das mar-gens do rio, no Bairro Vrzea.