Click here to load reader

Vitrine Lageana 118

  • View
    249

  • Download
    15

Embed Size (px)

DESCRIPTION

 

Text of Vitrine Lageana 118

  • VITRINE LAGEANA - LAGEs, SEXTA-FEIRA 21 dE FEVEREIRO de 2014Opinio SadeSegurana Turismo CidadeEducaoEntrevista Cultura

    Futuros candidatos devem deixar os cargos pblicos

    Poltica 4

    O tempo certo para deixar o

    cargo

    Iniciativa privada envolvida no projeto Amigos da Praa

    Cidade 6

    Projeto prev forma de adoo

    de praas

    O doador ganha o direito a um dia de folga no trabalho

    Sade 10

    Funcionalismo estimulado a doar sangue

    Lages, Sexta-feira 21 de Fevereiro de 2014R$ 2,00

    Ano 04 - Edio 118

    Hospital sob nova direoA funcionria pblica Beatriz Montemezzo assume o desafio de administrar o Hospital Tereza Ramos em Lages Pg. | 03

    Fbio Ram

    os

    Um copo de suco de laranja engorda tanto quanto um

    bombom

    Voc sabia?

  • VITRINE LAGEANA - LAGEs, SEXTA-FEIRA 21 dE FEVEREIRO de 2014Onde a impunidade nos levar?As manifestaes propositivas da classe trabalhadora e da popu-lao brasileira sempre resultaram em avanos para o pas. A violncia s nos empobreceu. So vrios os fatores que

    fizeram das recentes manifestaes legtimas da sociedade palco de cenas de violncia descabida, orquestrada por uma minoria que esconde a cara para promover puro vandalismo e sel-vageria. Pessoas que se escondem no obscurantismo dos Black Blocs para promover aes inconsequentes como

    a que tirou a vida do cinegrafista San-tiago Andrade. Pessoas que trocam o crebro pelos msculos, o debate das ideias e das reivindicaes pela irracio-nalidade.No precisamos de novas leis. O Estado precisa fazer o seu papel que cumprir a legislao. Temos uma polcia que no consegue apurar os fa-tos. E se no consegue apurar os fatos, no pode fazer valer o peso da lei, no pode punir os criminosos. Menores in-fratores so detidos e liberados porque

    no existem vagas nas unidades de re-abilitao desses jovens. Alm disso, temos um sistema ju-dicirio moroso e ardiloso que fa-vorece o poder financeiro e, de quebra, a impunidade. fato: quem tem bom ad-vogado escapa, espera a prescrio de prazo em liberdade. Lembram-se do caso da operao Moeda Verde que agitou a capital catarinense no ano de 2007? At hoje segue sem concluso, sem que ne-nhum dos 54 acusados fosse julgado. Ca-sos de corrupo em outros rgos e em-

    presas pblicas tambm sem resposta, vide Celesc e caso Monreal (prejuzo de R$ 200 milhes ao Estado Catarinense). E no caso do desvio de automveis, peas e motores apreendidos pela Secretaria de Segurana Pblica, cad os punidos? preciso reao do Estado, para que essa sensao de impunidade no nos leve barbrie, com o cidado que-rendo ser mais cruel do que o bandido.

    Deputado Estadual Dirceu Dresch - PT

    Nossa Opinio

    No so poucos os e-mails que chegam a nossas caixas despejando um amontoado de informaes a respeito de coi-sas estarrecedoras que aconte-cem no Brasil, especialmente com envolvimento da alta cpula poltica. O uso e o des-vio de dinheiro pblico, acima de tudo, se sobressaem com aparente naturalidade. Uma vez ou outra, tais operaes ilcitas ganham notoriedade na mdia. Assim, fica-se sabendo que nossas autoridades no deixam passar tudo em branco. De resto, ficamos sem saber o que os bastidores seguem aprontando nesse imenso Brasil.No caso dos mensaleiros condenados, um alento. Pelo menos um pouco dessa desfaatez que envergonha os homens de bem, est sendo punida. Fatos que jamais hava-mos testemunhado em pas-

    sado recente. Mesmo assim, h muito para ser descoberto. Isso sem contar as doaes para o pagamento das multas dos condenados. O triste no Brasil saber que a propina est em tudo o que se imagina no que tange ao setor pblico, inde-pendente de lugar. Sempre h quem tire vantagem. So aes ilcitas muito bem articuladas e que raramente tornam-se conhecidas.Por outro lado, o aporte de recursos somente para a construo dos est-dios fantstico. Em todos os eles, os oramentos quase duplicaram no decorrer das obras. Todas faranicas. E que ningum diga que cada centavo foi muito bem apli-cado. Por essas e outras coisas que no d para tirar as razes dos manifestos que ocorrem com frequncia nos grandes centros do Pas.

    Qual a verdade?

    Grimpa

    O Municpio de Lages no tem o costume de trabalhar campanhas de educao envol-vendo o trnsito. Tudo nela transcorre con-forme se bem entende, especialmente, em se tratando do comportamento do pedestre. H cidades em que a Faixa de Segurana sagrada. O pedestre se aproxima e os carros instantaneamente param. Por outro lado, os pedestres obedecem todos os sinais em harmonia com os veculos. Em Lages no. Cada cidado tira proveito do menor espao e se coloca em risco a todo o momento. Faltam iniciativas, mas quem sabe...

    Falandoem Educao

    No precisa ser um grande obser-vador para perceber a falta de verde na cidade de Lages. Impres-siona um municpio encravado na Serra Catarinense, onde tanto se fala em preservao, e no ter a cultura de plantios de rvore na parte ur-bana. Coisa bem diferente em vrias cidades, de Santa Catarina mesmo, onde se v, aparentemente, mais rvores nas ruas do que qualquer outra coisa. A abundncia do verde

    impera. Infelizmente, o mesmo, to cedo, no poder ser dito em Lages. Ser que isso pode mudar?

    !

    ...

    Atenos motos ?FaltaverdeSeria pedir muito que nossas auto-ridades dessem ateno especial conduo das motocicletas nas ruas de Lages? No no sentido apenas punitivo. Mas que houvesse um plane-jamento no campo da orientao edu-cacional. Que parem todos os condu-tores nas ruas e trabalhem fortemente a conscincia. Entreguem materiais com esclarecimento sobre o que vem acontecendo em funo da irrespon-sabilidade de muitos condutores. Que o setor de Segurana Pblica se una a entidades e crie uma campanha permanente. No nada difcil!

    Opinio1202

  • VITRINE LAGEANA - LAGEs, SEXTA-FEIRA 21 dE FEVEREIRO de 201403

    Con ra outros produtos e formas de acumular nmeros em sorteemcamposicredi.com.br

    = nmerosda sorte2ouem depsitos a prazoR$ 200 R$ 300em poupana*Ttulo da

    mod

    alid

    ade

    ince

    ntiv

    o em

    itid

    o pe

    la Ic

    atu

    Capi

    taliz

    ao

    S/A

    , CN

    PJ/M

    F n

    74.

    267.

    170/

    0001

    -73,

    Pro

    cess

    o SU

    SEP

    n 1

    5414

    .900

    130/

    2013

    -82.

    A a

    prov

    ao

    de

    ste

    ttu

    lo p

    ela

    SUSE

    P n

    o im

    plic

    a, p

    or p

    arte

    da

    Aut

    arqu

    ia,

    ince

    ntiv

    o ou

    re

    com

    enda

    o

    su

    a aq

    uisi

    o,

    repr

    esen

    tand

    o, e

    xclu

    siva

    men

    te, s

    ua a

    dequ

    ao

    s

    nor

    mas

    em

    vig

    or.

    Serv

    io

    de I

    nfor

    ma

    o a

    o Ci

    dad

    o SU

    SEP:

    080

    0 02

    1 84

    84

    (dia

    s t

    eis,

    das

    9h3

    0 s

    17h

    ) ou

    ww

    w.s

    usep

    .gov

    .br.

    Ouv

    idor

    ia I

    catu

    Se

    guro

    s: 0

    800

    286

    0047

    . Fun

    dos

    de in

    vest

    imen

    to n

    o c

    onta

    m c

    om a

    gar

    anti

    a do

    adm

    inis

    trad

    or d

    o fu

    ndo,

    do

    gest

    or d

    a ca

    rtei

    ra,

    de q

    ualq

    uer

    mec

    anis

    mo

    de s

    egur

    o ou

    , ain

    da, d

    o Fu

    ndo

    Gar

    anti

    dor

    de C

    rdi

    to -

    FG

    C. A

    ren

    tabi

    lidad

    e ob

    tida

    no

    pa

    ssad

    o n

    o re

    pres

    enta

    ga

    rant

    ia

    de

    rent

    abili

    dade

    fu

    tura

    .

    reco

    men

    dada

    a l

    eitu

    ra c

    uida

    dosa

    do

    pros

    pect

    o e

    do r

    egul

    amen

    to d

    o fu

    ndo

    de i

    nves

    tim

    ento

    pel

    o in

    vest

    idor

    ao

    aplic

    ar o

    s se

    us r

    ecur

    sos.

    Pro

    mo

    o v

    lid

    a du

    rant

    e o

    per

    odo

    de 2

    0/01

    a 3

    1/07

    /201

    4, p

    ara

    os a

    ssoc

    iado

    s da

    s co

    oper

    ativ

    as

    de c

    rdi

    to p

    arti

    cipa

    ntes

    . Con

    sult

    e o

    regu

    lam

    ento

    com

    plet

    o da

    pro

    mo

    o e

    m

    sort

    eem

    cam

    posi

    cred

    i.com

    .br

    ou n

    as c

    oope

    rati

    vas

    de c

    rdi

    to p

    arti

    cipa

    ntes

    . Pr

    odut

    os e

    ser

    vio

    s su

    jeit

    os

    dis

    poni

    bilid

    ade

    na s

    ua c

    oope

    rati

    va d

    e cr

    dit

    o.

    Para

    info

    rma

    es s

    obre

    pro

    duto

    s e se

    rvi

    os e

    con

    di

    es d

    e co

    ntra

    ta

    o, d

    irija

    -se

    a um

    a de

    nos

    sas

    unid

    ades

    de

    aten

    dim

    ento

    . Pr

    mio

    s pa

    gos

    em m

    oeda

    cor

    rent

    e na

    cion

    al e

    lq

    uido

    s de

    im

    post

    os.

    SAC

    Sicr

    edi

    - 08

    00 7

    24 7

    220

    / D

    e c

    ient

    es

    Aud

    itiv

    os o

    u de

    Fal

    a - 0

    800

    724

    0525

    . Ouv

    idor

    ia S

    icre

    di -

    0800

    646

    251

    9.

    E Concorra a

    por semana

    e a

    RS30 mil

    no FInal da promoo.

    RS 250 mil

    INVISTA

    DESTAQUE

    Quem reside em rea verde ter em mos a escritura definitiva

    Sandro S

    cheuermann

    Ponte Grande: dvidas so esclarecidasOs secretrios municipais de Planejamento, Jorge Raineski, de Habitao, Ivan Magaldi Jnior, e de Meio Ambiente, Mushue Hampel estiveram na quarta-feira (19) pela manh no terreno onde ser constru-do o conjunto habitacional que abrigar as cerca de 200 fam-lias que sero realocadas das margens da Av. Ponte Grande,

    no bairro Vrzea. No local, cer-ca de 20 pessoas se reuniram e solicitaram esclarecimentos com relao obra, principal-mente sobre o processo de re-alocao.A presena dos secretrios foi uma orientao do prefeito Elizeu Mattos, com o objetivo de responder s perguntas, orientar e principalmente neu-tralizar a desinformao. Mui-tos expuseram receios de que na rea onde sero construdas

    as casas ocorram alagamentos. Estamos explicando para as pessoas que esta regio nunca foi alvo de nenhuma inundao. O terreno est a 87 centmetros acima do nvel aonde chegou a gua na maior enchente que se tem registro no municpio, em 1983, esclarece o secretrio Jorge Raineski.Para ele o movimento resul-tado de um trabalho de desin-formao, que acaba criando atritos entre os moradores. Estamos aqui justamente para esclarecer, sem nenhum con-strangimento. Das 149 famlias que sero transferidas, apenas 69 ainda no foram realocadas e 50 j foram encaminhadas para o aluguel social. Quem reside em rea verde ter em mos a escritura definitiva as-sim que ocuparem o conjunto habitacional.

    A diretora Beatriz Montemezzo

    Fbi

    o R

    amos

    Hospital Tereza Ramos tem nova diretora Beatriz Montemezzo as-sumiu a direo geral do hos-

    pital Tereza Ramos na ltima segunda-feira, 17. Ela substitui Luiz Alberto Susin, que exerceu a funo durante os ltimos 28 meses, e a agora se dedicar in-tegralmente a medicina (ele Endocrinologista). A cerimnia de posse aconteceu no incio da noite, com a presena dos secre-trios de Desenvolvimento Re-gional de Lages, Gabriel Ribeiro,

    e So Joaquim, Solange Pagani, prefeitos e secretrios de Sade da regio, vereadores e mem-bros da sociedade civil. Beatriz graduada em Fi-sioterapia pela Universidade do Vale do Itaja (Univali), e ps-graduada em Sade Pblica pela Universidade Federal de Santa Catarina (Ufsc). Atuou como se-cretria de Sade de Urupema, presidiu o colegiado de secre-trios de Sade do Planalto

    Serrano, foi membro titular do Conselho de Secretarias Munici-pais de Sade de Santa Catarina. Antes de assumir a direo do hospital, Beatriz respondia pela Gerncia Regional de Sade. Em seu discurso, a nova dire-tora falou sobre o compromisso que est assumindo. um grande desafio, e vou dedicar todo o meu tempo a ele, pois a Sade Pblica exige integrali-dade, afinal, a cada dia surgem

    novas demandas, e o papel do gestor super-las, ressaltou Beatriz. O secretrio de Desenvolvi-mento Regional, Gabriel Ri-beiro, falou sobre a escolha de Beatriz para o cargo. uma profissional tcnica e dedica-da, que na Gerncia de Sade mostrou-se uma administra-dora competente, e ir atuar com o mesmo empenho no hospital, disse Gabriel.

  • VITRINE LAGEANA - LAGEs, SEXTA-FEIRA 21 dE FEVEREIRO de 2014polTicA04

    O titular da Seo de Leg-islao, Doutrina e Juris-prudncia, Edson Regis, ainda lembrou que a desincompati-bilizao o ato pelo qual o candidato se afasta de deter-minados cargos, empregos

    ou funes na administrao pblica, direta ou indireta, em determinados prazos, ante-cedentes ao pleito eleitoral, e objetiva impedir que tais can-didatos faam proveito de sua condio de agentes pblicos

    Futuros candidatos devem deixar os cargos pblicos

    Veculos em estacionamentos privados devem ser amparados pela segurana

    Divulgao

    Cris M

    enegon

    Desincompatilizao de cargosO vereador Joo Alberto Duarte, entrou com um Pro-

    jeto de Lei, que probe placas indicativas nos estaciona-mentos, que exoneram ou atenuem os donos de estac-ionamentos de qualquer re-sponsabilidade em relao aos veculos e aos objetos deixados nos carros. Normal-mente ao deixar o carro, nos estacionamentos pagos ou no, o cliente se confronta com bilhetes ou cupons com os seguintes dizeres: No nos responsabilizamos por objetos deixados no interior do veculo. Muitas vezes sem saber que assegurado pela smula 130 do STJ, onde diz: A empresa responde, peran-te o cliente, pela reparao de dano ou furto de veculo ocor-rido em seu estacionamento salienta o vereador.A responsabilidade do es-

    tacionamento objetiva, de acordo com o Cdigo de De-fesa do Consumidor, cujo art. 14 responsabiliza, sem culpa, os prestadores de servio. Destacando que o fato de o estacionamento ser gratuito no o exime da responsabili-dade sobre os danos sofridos, basta que o proprietrio se coloque na posio de garan-tidor do veculo, por murar ou gradear o local ou ainda por colocar vigilantes, por-teiros, finaliza o vereador.

    Placas de proibioem benefcio de suas cam-panhas eleitorais, em det-rimento da isonomia que deve existir entre os candi-datos. A ausncia de desin-compatibilizao do can-didato no prazo legal pode resultar no indeferimento de seu registro, por ser cau-sa de inelegibilidade, con-cluiu Regis.Para facilitar a pesquisa aos futuros candidatos s eleies de 2014, o Tribunal Regional Eleitoral catari-nense (TRE-SC) disponibi-lizou o servio de consulta aos prazos de desincompat-ibilizao. . O objetivo des-sa nova verso foi conferir maior dinamismo e prati-cidade na pesquisa efetuada pelos interessados, escla-receu Rafael Claumann, da Seo de Legislao, Doutri-na e Jurisprudncia.

  • VITRINE LAGEANA - LAGEs, SEXTA-FEIRA 21 dE FEVEREIRO de 2014

    VITRINE LAGEANA - LAGES, SEXTA-FEIRA 21 dE FEVEREIRO DE 2014polTicA [email protected]

    Por Paulo ChagasVITRINE POLTICA

    Observo que:Nem todos da cpula do PMDB de Lages con-cordaram com a carta de contestaes contra o Governo. Houve quem se manifestou contra-riamente e disse que sequer foi consultado;As obras da Av. Ponte Grande so a menina dos olhos do prefeito Elizeu Mattos. Ele se sente bastante incomodado com o manifesto de alguns moradores, que se dizem insatisfeitos com o andamento do projeto;Vereador Joo Alberto (PSD) tem marcado pre-sena em todos os principais atos do governo. Ele dever ser o substituto do secretrio re-gional Gabriel Ribeiro que deixa a Pasta no dia 31 de maro, prximo.

    BOla da vez

    Lages a bola da vez. Ningum deve duvidar disso. De um lado a expectativa da chegada de grandes empresas como a Novaer Craft Empre-sa Area, a montadora chinesa de cami-nhes pesados, a Sinotruk, entre outras de mdio e pequeno porte. Enquanto isso h quem pense na infraestrutura

    do municpio com a revitalizao de vrias ruas e avenidas, o cabeamento subterrneo, a mudana de visual do Centro, com a instalao do shopping a cu aberto. Mas, infelizmente, na contramo tem quem queira manter coisas que no precisam, como o caso do ex-colgio Arisitiliano Ramos.

    COmandO dO HTRA profissional da sade Beatriz Montemezzo assumiu a dire-o da mais importante instituio hospitalar da Serra Catarinense, o Te-reza Ramos, de Lages. Com ela, esto desafios que nem a nossa imaginao alcana, a comear pela perda de um banco dados essenciais de alguns computadores, e que segundo consta, um raio inteligente apagou s o que ele quis. Mas que nada. Beatriz disse que se for preciso comea do zero, e que o trabalho ter continuidade. Na posse, lideranas de todos os partidos, incluindo muitos do PMDB.

    pRTiCa e O disCuRsO

    na penRiaPassa ano, assumem novos pre-feitos, e s o que se houve a dificuldade por que passam os peque-nos municpios da regio. At quando as lamrias seguiro ostentando os discursos dos prefeitos. Sugiro que ningum mais se candidate ao cargo. Se para manter as mesmas desculpas

    do antecessor ento que assuma a incompetncia. No h criatividade. Noto apenas tentativas e o choro in-contido juntamente com pires na mo pedindo ajuda. De qualquer forma, os governos precisam olhar com carinho e tambm fazerem a parte que lhes cabe no auxlio dos municpios.

    O corao do prefeito Elizeu Mattos no tem limite. enor-me. Tem carisma, boa gente, cheio de vontade. Mas, as coisas no dependem s dele. Na administrao, o colegia-do por completo precisa tambm interagir e lhe dar a sustentao. Sem contar com os entraves burocrticos que descaracterizam qualquer boa vontade que exista. Elizeu sofre por ter feito grandes promessas em cam-panhas, e ainda hoje no consegue dar efeito prtico nas condies que queria, como na sade, por exemplo. bem verdade, que em assuntos de infraestrutura est dando um banho. Acompanha tudo de perto, cobra ce-leridade, e seriedade, principalmente. Tambm toma cuidado para no ferir

    ou atrapalhar a comunidade com pequenas e grandes obras. Basta ob-servar a do cabeamento subterrneo. Por fim, se est bom, pode ser feito ainda melhor, e ele sabe disso. Tem minha compreenso.

    Os OlHOs de COlOmBOTenho certeza que Raimundo Colombo tem tido nesse perodo muitas conversas com lideranas do PMDB. Ou algum acha que o encontro no ltimo final de semana, em Brao do Norte para inauguraes, o senador Luiz Henrique da Silveira, mais os deputados federais Ronaldo Benedetti e Edinho Bez, entre outros, foram apenas se cer-tificar da cor dos olhos de Raimundo? Alis, so esses poucos, mas importan-

    tes lderes, que defendem a manuteno da trplice aliana e que devem dar a cartada final para que PSD e PMDB permaneam juntos neste pleito de 2014. Ou algum duvida. Por outro lado, o deputado Mauro Mariane, que tem ocupado espao generoso sobre a can-didatura prpria o que mais aparece.. E quer saber do governador Raimundo Colombo qual a posio dele a respeito da questo. Soa como deboche!

    James Tavares/S

    ecomFbio R

    amos

    Paulo C

    hagas

    Abrao cheio de significados entre Raimundo e Luiz Henrique

    Elizeu Mattos se desdobra para fazer o melhor

  • VITRINE LAGEANA - LAGEs, SEXTA-FEIRA 21 dE FEVEREIRO de 2014ciDADE06

    Lages est muito prxima de ingressar na lista das cidades brasileiras que cuidam de suas praas pblicas, a partir do apoio da iniciativa privada. A adoo de praas chega a Lag-es com um projeto sugestivo, denominado Amigos da Rua, idealizado pela Secretaria de Desenvolvimento Econmico, Trabalho e Renda em parceria com a Secretaria de Meio Am-biente e Servios Pblicos.

    O Projeto de Lei que institui o Programa de Adoo de Lo-

    gradouros, Praas Pblicas e reas Verdes, estabelecendo seus objetivos, processos, es-pcies e limitaes de respon-sabilidade e benefcios dos adotantes, ser encaminhado Cmara de Vereadores para votao e transformao em lei.O projeto Amigos da Rua visa a ampliar a recuperao e manuteno de reas verdes em Lages, compartilhando com a populao a respon-sabilidade de conservar e

    manter suas 73 praas espal-hadas por suas 1.722 ruas e 34 avenidas, localizadas em seus 64 bairros, alm de jar-dins e canteiros centrais para o uso adequado pela popula-o. Do projeto podero par-ticipar empresas industriais, comerciais e prestadoras de servios, associaes de mo-radores, sindicatos patronais e laborais, condomnios resi-denciais, rgos pblicos e or-ganizaes no governamen-tais (ONGs).

    A primeira ao do Desen-volvimento nos Bairros, da Secretaria de Desenvolvim-ento Econmico, Trabalho e Renda, deste ano, ocorreu no sbado (15), na associa-o de moradores do bairro Habitao. Cerca de 200 cur-rculos foram cadastrados e 60 pessoas encaminhadas s empresas parceiras. Neste dia estavam sendo ofertadas mais de 800 vagas para Lages e regio.Uma dessas vagas era para atendente de padaria. Des-empregada h duas semanas, Dbora Ribeiro, 24 anos, mora-dora do Habitao, foi selecio-nada e encaminhada para uma entrevista nesta segunda-feira (17), na Panificadora da Ci-dade. Casada e me de dois fil-hos, a jovem, que j trabalhou

    At a primeira quinzena de maro, 22 pontes de madeira, em diversos pontos da cidade, sero restauradas pela Secre-taria de Infraestrutura. Duran-te esta semana os trabalhos esto concentrados nas es-truturas que ligam os bairros Petrpolis e Gralha Azul, Co-pacabana e Ipiranga. Segundo o secretrio de Infraestrutura, Benjamin Schultz, cerca de R$ 60 mil foram investidos nas reformas. A ao faz parte de um mutiro de reparos para garantir a segurana das pes-soas que transitam pelas pas-sagens, afirma.

    A maioria das pontes de ma-deira do municpio j foi visto-riada. A inteno concluir os trabalhos em curto espao de tempo. Essa uma ao de carter emergencial. As estru-turas de madeira exigem ma-nuteno contnua. Estamos planejando substitu-las gra-dativamente por material de concreto, explica Benjamin. Entre os bairros listados esto o Santa Helena, Guaruj, So Luiz, Centenrio, Dom Daniel e Caroba. Algumas apresen-tam maiores problemas, mas todas esto recebendo aten-o especial, diz.

    Projeto facilita com apoio da iniciativa privada a manuteno das praas

    A ao da Prefeitura de Lages facilita bastante para quem est afastado do Centro

    A expectativa de que as passagens restauradas tenham durabilidade de at dois anos

    Sandro S

    cheuermann

    Nilton W

    olff

    Nilt

    on W

    olff

    Praas do Projeto Amigos da Rua

    Banco do Emprego vai ao bairro

    Restaurao de pontes

    como auxiliar de produo e de servios gerais, diz que sempre que precisou buscou o Banco do Emprego, porm a ao Desenvolvimento nos Bairros facilita bastante para quem est afastado do Cen-tro. Vindo para o bairro fica mais prtico e rpido, avalia.

    O secretrio Lus Carlos Pinheiro Filho destaca que a ao possibilita a aproxi-mao com os moradores do bairro atendido e de outros situados nas imediaes no caso deste sbado, o Caa e Tiro, Vrzea, Popular, Univer-sitrio, Bom Jesus e Ferrovia.

  • VITRINE LAGEANA - LAGEs, SEXTA-FEIRA 21 dE FEVEREIRO de 201407ciDADE 07

    Entre a sexta-feira (14) e sbado (15), a Defesa Civil, com apoio da Secretaria de Meio Ambiente e Servios P-blicos, distribuiu folhas de tel-has de fibrocimento s famlias atingidas pelas fortes rajadas de vento e chuva de granizo de sbado retrasado (8), que prejudicaram moradores dos bairros Araucria, Santa Cata-rina, Santa Clara, Novo Milnio,

    Vrzea, Ferrovia, So Miguel, Penha e Caravgio; em torno de 250 residncias tiveram suas coberturas danificadas.

    Aos beneficiados com as tel-has foi entregue uma senha, que d direito ao recebimento de cesta bsica e colcho a senha para evitar o desperd-cio e repetio de entregas em detrimento a outras famlias. Assim como as telhas, as ces-

    tas bsicas (um total de 250) e os colches tambm foram custeados pela Secretaria de Estado da Defesa Civil. O total de colches de 400 peas. O incio das doaes ser tera-feira (18).A entrega das telhas ocorreu na sexta e no sbado. Partiu de uma iniciativa da Defesa Civil Estadual que enviou 7,5 mil peas.

    Grande operao movimentou equipes em nove bairros no fim de semana

    Alexsandro de S

    ouza e Daniele M

    endes de Melo

    Doao de cestas bsicas e colches

    Representantes do Centro de Tradies Gachas (CTG) Anita Garibaldi visitaram o prefeito Elizeu Mattos na tarde de quarta-feira (19). Eles apre-sentaram alguns dos trofus conquistados no 30 Rodeio Crioulo Internacional de Va-caria (RS) entre os dias 1 e 9 de fevereiro. Mais de 200 inte-grantes do CTG participaram do rodeio e trouxeram para Lages nove trofus entre as categorias de dana tradicional mirim, juvenil, adulta e vetera-na, violo duo e declamao de poesias.

    Para Elizeu, a conquista desses prmios so reflexos da intensidade do tradicionalismo gacho em terras serranas. H muito o CTG Anita Garibaldi

    Integrantes do CTG Anita Garibaldi foram agradecer o apoio dado ao tradi-cionalismo

    Sandro S

    cheuermann

    CTG Anita Garibaldi visita o prefeito

    se destaca em competies importantes, como o Rodeio de Vacaria. Isso mostra que o tradicionalismo continua enraizado entre os lageanos, mais vivo do que nunca, de-clara.

    Segundo o patro Zlio Maia Marques, cada trofu tem um peso diferente. Competi-mos com mais de 185 enti-dades de todo o Brasil e con-seguimos boas classificaes em todas as categorias, disse.

  • VITRINE LAGEANA - LAGEs, SEXTA-FEIRA 21 dE FEVEREIRO de 2014EconomiA08

    Florianpolis - O Juro Zero, programa que concede crdi-to de at R$ 3 mil para micro-empreendedores individuais (MEIs) formalizados, atingiu a marca de R$ 60 milhes em 21.239 operaes. De acordo com os ltimos dados, no ms de janeiro foram efetua-dos 835 emprstimos, o que aponta um crescimento de 12% em relao a dezembro de 2013. Estamos ampliando as parcerias do programa, com os postos do Sine e co-operativas de crdito, para facilitar ainda mais o acesso ao Juro Zero, relata o secre-

    trio do Desenvolvimento Econmico Sustentvel (SDS), Paulo Bornhausen.O programa, coordenado pela SDS, visa incentivar o crescimento do empreend-edorismo catarinense. O Juro Zero desenvolvido em par-ceria com o Servio de Apoio s Micro e Pequenas Empre-sas de Santa Catarina (Se-brae/SC); Agncia de Fomen-to de Santa Catarina (Badesc); e da Associao das Organiza-es de Microcrdito de Santa Catarina (Amcred/SC).O emprstimo pode ser parcelado em oito prestaes

    das quais, se as sete primeiras forem pagas em dia, a ltima isenta. O empreendedor recebe, ainda, consultoria de gesto financeira e inovao, dada pelo Sebrae/SC.Mais postos de atendimen-to - Uma parceria com o Siste-ma de Cooperativas de Crdi-to do Brasil (Sicoob), firmada no incio do ms, ampliou os locais de atendimento do Juro Zero. Sete cooperativas j as-sinaram o contrato e esto aptas a realizar as operaes do programa, o que represen-ta 80 novos pontos de atendi-mento.

    O governador do Estado, Raimundo Colombo, recebeu na tera-feira, 18, a direto-ria da BMW Group no Brasil. Na ocasio, foi apresentado o relatrio semanal da con-struo da fbrica, que ser instalada em Araquari. As obras esto duas semanas frente do que foi previsto inicialmente no cronograma, relata o secretrio do Desen-volvimento Econmico Sus-tentvel (SDS), Paulo Born-hausen, que participou da reunio.As obras da primeira uni-dade da BMW na Amrica La-tina comearam oficialmente em dezembro de 2013, com o lanamento da pedra fun-

    damental. Aps dois meses, o processo est em fase de estaqueamento e fundao das estruturas de montagem logstica, carroceria e pin-tura, infraestrutura viria e externa.A BMW em Araquari deve gerar mais de seis mil postos de trabalho, sendo 1,3 mil em-pregos diretos e cerca de cinco mil indiretos. O treinamento iniciou h duas semanas com 95 funcionrios na linha de produo, disse o presidente da fbrica brasileira da BMW, Gerald Degen. Segundo ele, o processo amplo e deve du-rar at setembro, data previs-ta para incio da produo dos primeiros veculos.

    O Secretrio Paulo Bornhausen destaca que Programa Juro Zero apresentou crescimento

    Governador espera que as obras sejam concludas at antes do prazo

    Divulgao

    Jaqueline Noceti/S

    ecom

    Mais R$ 60 milhes do Juro Zero Diretoria da BMW se rene com Governador

  • VITRINE LAGEANA - LAGEs, SEXTA-FEIRA 21 dE FEVEREIRO de 2014

    VITRINE LAGEANA - LAGES, SEXTA-FEIRA 21 dE FEVEREIRO DE 2014 09pUBliciDADE

  • VITRINE LAGEANA - LAGEs, SEXTA-FEIRA 21 dE FEVEREIRO de 201410 SADE

    O prefeito Elizeu Mattos sancionou a lei complementar 437/13 que autoriza os fun-cionrios do municpio o di-reito a um dia de folga cada vez que doarem sangue voluntari-amente no Centro de Hematolo-gia e Hemoterapia (Hemosc) de Lages. O projeto foi proposto pelo vereador Gerson Omar dos San-tos ao constatar que o Estatuto dos Servidores Pblicos Mu-nicipais deliberava que o fun-cionrio teria direito a apenas um dia de folga no ano para o procedimento.O prefeito acatou a proposta de lei. uma maneira de con-tribuirmos para a manuteno do banco de sangue. Nosso ob-jetivo ajudar a salvar vidas, ressalta. Para o vereador, a

    mudana incentivar a prtica do voluntariado. Ao analisar as campanhas do Hemosc percebe-se uma carncia no nmero de doadores. A lei pretende tornar os servidores em doadores as-sduos, afirma Gerson.Para ser doador preciso ter idade entre 18 e 69 anos, 11 meses e 29 dias (menores com idade de 16 e 17 anos so acei-tos mediante a presena e au-torizao formal dos pais ou re-sponsvel legal), pesar acima de 50 kg, entre outros requisitos. Mulheres podem doar a cada 90 dias (mas no mximo trs pro-cedimentos num ano) e homens a cada 60 dias (somando no mximo quatro doaes a cada 12 meses). Mais informaes podem ser obtidas pelo telefone (49) 3222-3922.

    A partir desta sexta-feira (21), 47 operadoras de planos de sade estaro proibidas de com-ercializar 111 planos de sade, em funo do descumprimento de prazos e das negativas indev-idas de cobertura assistencial contratada pelos consumidores.Dos 111 planos, 83 esto sendo suspensos a partir deste 8 ciclo de Monitoramento da

    Garantia de Atendimento e 28 permaneceram com a comer-cializao proibida, desde o ciclo anterior, por no terem al-canado a melhoria necessria para serem reativados. Entre as operadoras, 31 permaneceram na lista de suspenses.As suspenses so devido aos problemas assistenciais apontados pelos consumidores

    e averiguados pela ANS, esto sendo aplicadas suspenses preventivas, por um perodo de, no mnimo, trs meses. A atual suspenso beneficia 1,8 milho de consumidores que j contrataram esses planos e agora devero ter seus prob-lemas assistenciais soluciona-dos. Trs operadoras so de Santa Catarinada.

    O inverno o perodo mais crtico quanto doao de sangue

    O ministro da Sade, Arthur Chioro quer que as operadoras ofeream produtos com mais qualidade

    San

    dro

    Sch

    euer

    man

    n

    Fabi

    o R

    odrig

    ues

    Poz

    zebo

    m /A

    gnc

    ia B

    rasi

    l

    Servidores de Lages estimulados a doar sangue

    Planos de Sade tiveram servios suspensos

  • VITRINE LAGEANA - LAGEs, SEXTA-FEIRA 21 dE FEVEREIRO de 2014

    VITRINE LAGEANA - LAGES, SEXTA-FEIRA 21 dE FEVEREIRO DE 2014 11pUBliciDADE

  • VITRINE LAGEANA - LAGEs, SEXTA-FEIRA 21 dE FEVEREIRO de 201412 EDUcAo

    Salrio dos professores

    Os profissionais em edu-cao da rede municipal de ensino de Lages podero rece-ber um reajuste de 8,32% nos salrios. Esta a expectativa da diretoria do Sindicato Mu-nicipal dos Profissionais em Educao de Lages (Simpro-el), que esteve reunida com representantes da administ-rao municipal na tarde de segunda-feira, 17 de fevereiro, para apresentar a pauta de reivindicaes da categoria e realizar a primeira rodada de negociaes.

    A administrao pblica prometeu antes analisar o im-pacto do salrio da categoria sobre as finanas do municpio no ms de fevereiro para deci-dir se atende reivindicao do Sindicato ou apresenta uma contraproposta.Os representantes do poder pblico e dos profissionais em educao voltam mesa de ne-gociaes no dia 18 de maro. Aps esta data, ser agendada a assembleia com a categoria, para apresentao da propos-ta feita pela administrao.

    Publicao em revista no exterior

    Claine A

    ndrade

    O artigo de Vanessa (D) da Uniplac foi publicado em importante revista internacional

    Foi divulgado pela Creative Education, volume 05, n 1, de janeiro de 2014 o artigo cientfico fruto de um Projeto de Grupo de Pesquisa de auto-ria da acadmica do 4 ano de Medicina da Universidade do Planalto Catarinense, Vanessa Freitas Bratti, com a orienta-o da Professora Dra. Patr-cia Alves de Souza (Uniplac) e contribuio do Prof. Msc. Fer-nando Arruda Ramos e Mrcia

    Adriane Andrade. O projeto de pesquisa foi realizado atravs do Grupo de Pesquisa GEPES VIDA.O trabalho com o tema As pes-quisas desenvolvidas no curso de graduao em Medicina da Uni-plac: parte integrante do curso buscou reconhecer as pesquisas cientficas realizadas no curso de Medicina desde a sua implanta-o na Uniplac e demonstrar a importncia da pesquisa para o desenvolvimento do ensino e

    do aprendizado acadmico no decorrer da graduao.Segundo a Profa. Patrcia, docente do curso de Medicina e atual Pr-Reitora de Pesqui-sa, Extenso e Ps-Graduao da Uniplac, o trabalho de sua orientanda evidencia o cres-cimento da pesquisa cient-fica no curso. A Dra. Patrcia cita ainda outras evidncias do trabalho como favore-cimento e a contribuio da pesquisa cientfica com o tri-p da Universidade ensino, pesquisa e extenso e, com isso, o aumento do bom de-sempenho da Universidade.A Creative Education uma revista integrante de uma das maiores editoras de acesso aberto on-line, com revistas e jornais que cobrem uma ampla gama de disciplinas acadmicas, a Scientific Re-search Publishing (SCIRP).

    Dia

    ne Z

    iem

    ann

    Diretoria do Simproel confiante na aprovao da proposta

  • VITRINE LAGEANA - LAGEs, SEXTA-FEIRA 21 dE FEVEREIRO de 201413GERAL

    Lageano na Escola Bolshoi em Joinville

    Doaes ao FIA iniciam em maro

    Residncia Mdica ganha mais prazo

    O pequeno e corajoso Renan Ramos Fontana, 9 nos, o alu-no mais novo da turma de 40 selecionados para frequentar a Escola do Teatro Bolshoi no Brasil. Nesta semana, os pais do garoto, Thas Esteves Ra-mos Fontana e Jonas Fontana, o deixaram na Escola, em Jo-inville, e participaram de uma reunio com professores, co-ordenadores, diretores e fun-cionrios.Esta a primeira vez que o menino, ex-aluno da Escola de Educao Bsica (EEB) So

    Judas, fica longe de casa. Natu-

    ralmente, a novidade de morar em outra cidade sem a com-panhia dos pais o deixou um pouco nervoso. Mas a ansie-dade passou com a conquista de novas amizades, o que o ajudar nessa fase de adapta-o. Thas diz que Renan sem-pre foi determinado e inde-pendente e que isso facilitar a estada em Joinville.A participao foi viabili-zada por meio de uma parce-ria entre Prefeitura de Lages e Bolshoi. Thas diz que o apoio da Fundao Cultural de Lages essencial nesse processo.

    No dia 1 de maro comeam as doaes ao Fundo para a Infncia e Ado-lescncia (FIA), criado pelo Estatuto da Criana e Ado-lescente (ECA), atravs da deduo de 3%, diretamente na declarao do Imposto de Renda, uma iniciativa do programa Do Leo para um Leozinho.

    At 31 de dezembro de 2013 as dedues eram de 1% para pessoa jurdica e 6% para pessoa fsica. Para as doaes espontneas, sem o beneficio da deduo do Imposto de Renda, referente ao ano de 2013, continuam liberadas para

    depsitos ou pagamentos de boletos bancrios. At dia 31 de dezembro, o Fundo ar-recadou aproximadamente R$ 300 mil para financiar projetos desenvolvidos por entidades sociais de Lages.A extenso da ajuda a pro-jetos que visam resgatar a autoestima e salvar a cidada-nia de crianas e adolescen-tes em situao de risco de-pende, em grande parte, dos contadores. Apelamos para que se empenhem pela nossa causa e orientem seus clien-tes sobre as doaes, diz o gerente de Fundos Especiais da Secretaria de Assistncia Social, Lcio Marcelo Varela.

    A Residncia Mdica em Medicina de Famlia e Co-munidade (RM-MFC) Uni-plac, teve suas inscries prorrogadas at dia 11 de maro. So seis vagas, para residentes de primeiro ano, que recebero Bolsas de es-tudo no valor de R$ 2.976,26 (dois mil novecentos e

    setenta e seis reais e vinte e seis centavos) mensal, de acordo com a Portaria Inter-ministerial N 09 MEC/MS de 28 de junho de 2013. As inscries tem custo de R$ 180,00 e o processo seletivo conta ainda, com as fases de prova escrita e anlise cur-rculo.

    O incio do programa tam-bm sofreu alterao e acon-tecer no dia 1 de abril de 2014. A residncia tem du-rao de 04 de semestres, com exigncia de dedicao integral dos profissionais se-lecionados. Informaes na secretaria de Ps-Graduao da Uniplac.

    Empresrios querem construir trevo em ndios

    Daniele M

    endes de Melo

    Divulgao

    Arq

    uivo

    pes

    soal

    Empresrios sustentam a necessidade de um trevo

    Os recursos se voltam a projetos e programas em prol da crianas e adolescentes

    A participao foi viabilizada por meio de uma parceria

    Os secretrios de Desen-volvimento Econmico, Tra-balho e Renda, Lus Carlos Pinheiro Filho, e de Infraestru-tura, Benjamin Schultz, se re-uniram esta semana com o consultor de negcios da dis-tribuidora de combustveis Po-tencial, Graciano Jos Peron, e o proprietrio do restaurante Castelar, Charles Rafael Schaef-fer, para discutirem sobre um trevo de acesso que possibil-ite o deslocamento de veculos que trafegam na BR-282, no Distrito de ndios, at os em-preendimentos.Alm do restaurante, no mesmo terreno foi construda uma lanchonete e est sendo edificada uma pousada. A es-

    trutura deve se constituir num complexo turstico. Segundo Schaeffer e Peron, o acesso via-bilizaria os negcios das em-presas Castelar, Potencial, Ke-mira (produtos qumicos para tratamento de gua) e atende-ria os anseios da Sinotruk, um dos futuros clientes do posto, que tem previso de funciona-mento em novembro.Uma reunio ser agendada com o supervisor do Departa-mento Nacional de Infraestru-tura de Transportes (Dnit) em Lages, nio Spieker. O incio das obras do posto depende do Termo de Viabilidade a ser emitido pelo Dnit depois de um consenso sobre de que for-ma sero os acessos.

  • VITRINE LAGEANA - LAGEs, SEXTA-FEIRA 21 dE FEVEREIRO de 2014ENTREVISTA14

    Dia

    ne Z

    iem

    ann

    Moiss Savian sabe dos desafios da Pasta mas est seguro do que pretende fazer

    O novo secretrio da Agricultura e da Pesca, do Municpio de Lages, Moiss Savian, conta em entrevista as razes que o fizeram retornar a Lages e aceitar a funo, depois de viver dois anos e meio em Braslia, trabalhando no Ministrio do Meio

    Ambiente. E mesmo com pouco tempo de na casa nova, j est implantando dois projetos.

    FERRAMENTA

    para trabalhar

    VL - Primeiramente diga o que te motivou a deixar Braslia e retornar Lages?

    MS - Creio que a minha vinda para Lages tm duas motivaes principais: uma profissional, que me oportuniza estar frente da agenda de agricultura, de desenvolvimento rural num municpio de grande importncia poltica como Lages. E retornar com essa misso, com essa tarefa, o que me motiva muito. Acho tambm que depois de viver dois anos e meio em Braslia, j estava na hora de retornar. E outro motivo pessoal. bom estar perto da famlia, dos pais, dos avs, dos sogros. E trazer meu filho para c para conviver com eles, torna-se uma questo mais familiar, e que foi importante na deciso de minha vinda para c.

    VL - Na sua volta percebe-se que voc est bem vontade na funo. O que pode ser dito?

    MS - Na oportunidade em que trabalhei no Ministrio do Meio Ambiente eu acompanhei 70 municpios da regio da Amaznia, na imple-mentao de suas polticas de desenvolvim-ento rural. L eu dizia a eles, o que precisavam fazer. Portanto, aqui, eu tenho uma boa ideia do que precisa ser feito. Ento, conhecendo um pouco a realidade do municpio, e me apro-fundando ainda mais com o contato dirio com os agricultores e seus representantes, deixa muito clara qual a nossa tarefa. Agora re-unir as aes e realizar os projetos para que a Secretaria da Agricultura desenvolva um papel importante na vida dos agricultores.

    VL - E por falar nisso, a funo que voc desempenhava em Braslia tem semelhan-a com o que voc quer desenvolver aqui?

    MS - L eu participei bastante das definies de polticas. Braslia o centro poltico do pas e por isso as coisas so definidas l. Mas, no municpio que elas so definitivamente opera-cionalizadas. Ento, o meu conhecimento des-sas polticas em nvel nacional e saber como elas funcionam, vo me ajudar muito a desem-penhar o papel de Secretrio da Agricultura.

    VL - Como voc encontrou a Pasta e quais os projetos que voc j est desenvolven-do?

    MS - Aqui h bons avanos, especialmente na questo da infraestrutura; com maqui-nrio novo. Ento ns temos as ferramentas para trabalhar. Os primeiros desafios so os servios pblicos que a Prefeitura oferece, ou seja, nas estradas rurais; nas patrulhas agrcolas que atendem as comunidades; os blocos de notas; o Imposto Territorial Rural (ITR), enfim, tudo isso faz parte da agenda de servios que o agricultor requer. E cabe a ns qualificar. Melhorar a forma com que a Prefei-tura recebe as pessoas e executa o que elas precisam. E outro fator a agenda de projetos, que captar recursos e desenvolver esses no-vos projetos. Hoje j temos dois que a gente

    j comeou a desenh-los: um da agricultura e outro da piscicultura urbana e interiorana.

    VL - Poderia especificar esses dois proje-tos o da piscicultura e o da agricultura?

    MS - O da piscicultura a gente quer formar um conjunto de produtores que possam vir a produzir de maneira profissional, e atender mercados locais e regionais. At porque h uma fbrica de peixes se instalando em Lages e uma oportunidade de dessa gente ter um canal direto com a comercializao. Alm disso, considerando a populao de Lages, de 160 mil habitantes, tem-se um mercado interno grande, alm de toda a regio da Amures que pode ser abastecida com peixe fresco e vivo, no s na poca da Quaresma, mas em todo o ano. E na agenda da agricultura, ns estamos trabalhan-do num projeto que atenda tanto aquela pes-soa que queira fazer agricultura na sua casa, como atenda as hortas escolares e tambm as comunitrias. A gente ainda est criando aes para atender a essas trs frentes.

    VL - E que prazo voc estipula para iniciar os projetos?

    MS - Ns precisamos de um prazo para elabor-los. Como estou na Secretaria h trs semanas, ento eu acredito de que no comeo de maro j estaremos iniciando essas ativi-dades, at porque, a gente vai contar com uma parceria nova, ou seja, estamos estabelecendo um vnculo mais forte com o CAV. Como j foi aprovado pelos jurdicos da Prefeitura e da Uni-versidade, a gente vai assinar nos prximos dias um acordo de cooperao tcnica.

    VL - Uma das regies que mais pediu as-sistncia s estradas foi a da Coxilha Rica. E hoje, est tendo a ateno da Secretaria?

    MS - Sim. Estamos agora com um contrato em execuo para 40 quilmetros. Eu mesmo fui acompanhar algumas estradas na localidade. E, a alm desse contrato, a gente pretende com a Patrulha Mecanizada da Prefeitura, em breve, tambm estar atendendo l.

  • VITRINE LAGEANA - LAGEs, SEXTA-FEIRA 21 dE FEVEREIRO de 2014

    VITRINE LAGEANA - LAGES, SEXTA-FEIRA 21 dE FEVEREIRO DE 2014SociAl [email protected]

    Por Vinicius Di Carlo

    Fotos Nando Velho/D

    ivulgao/Arquivo P

    essoal/Bruno R

    osa

    Gabriela Larsen Marques e Joo Paulo de Campos, aprovados no Super Teste V Models, agora fazem parte da famlia V Models.

    Vero Top Model da RBS - Seletiva Lages aconteceu hoje no Kalavia. Duas modelos da V Models ficaram entre as trs finalistas: Ana Paula Mncia Malinverni e Andressa Valim. Infelizmente no foi

    desta vez meninas, mas, se considerarmos o nmero de candidatas vocs representaram muito bem a Famlia V indo para a final desta seletiva. Ano que vem tem mais!

    Gabriela Schlichting uma das beldades que a V Models descobriu este ano, com certeza estar em diversas campanhas publicit-rias na V Models.

    Pam Monali, ex-modelo Plus Size da agncia (ela tinha 94 kg), agora integra outro gru-po da V Models de modelos fotogrficas, com seu novo peso de 50kg. Pam mostra que possvel para todos mudarem suas medidas.

    Vero Top Model da RBS

  • VITRINE LAGEANA - LAGEs, SEXTA-FEIRA 21 dE FEVEREIRO de 2014

    VITRINE LAGEANA - LAGES, SEXTA-FEIRA 21 dE FEVEREIRO DE 2014 CULTURA16

    Vitrine Cultural

    A Queda de Artur

    O Espetacular Homem-Aranha 2 - A

    Ameaa de Electro

    A Queda de Artur, nica incurso de J. R. R. Tolk-ien nas lendas do rei Artur, pode ser considerada sua empreitada mais primorosa e competente no uso da mtrica aliterante do ingls antigo, em que ele acrescentou sua percepo das antigas narrativas um sentido da natureza ameaadora e fatal de tudo o que contado: a expedio de Artur a longnquas terras selvagens, a fuga de Guinevere de Camelot, a grande batalha naval na volta de Artur Gr-Bretanha, a descrio do traidor Mordred, as dvidas que atormentavam Lancelot em seu castelo francs.

    Lanamento: 1 de maio de 2014. Sinopse: depois das aventuras de O Espetacular Homem-Aranha (2012), Peter Parker (Andrew Garfield) tenta manter a promessa que fez ao pai de Gwen Stacey (Emma Stone), de que a protegeria sem chegar perto dela. Mas o heri est apaixonado, e no consegue se afastar. Ao mesmo tempo, vrios inimigos tomam conta da cidade, e a formatura da escola se aproxima. Neste contexto, surge um novo vilo, o poderoso Electro (Jamie Foxx), para desafiar as habilidades do Homem-Aranha. Mas o amigo da vizinhana poder contar com a ajuda do velho amigo Harry Osborn (Dane DeHaan), que o ajudar a descobrir novos segredos sobre o seu passado.

    Papas da Lngua

    Com 20 anos de estrada a Banda Gacha Papas da Lngua tem o nome reconhe-cido nacionalmente e teve sua influncia musical em Bob Mar-ley, Beatles, e tambm da Black Music, de um modo geral. Papas da Lngua estar com um show nacional na 10 Feijoada da Serra, no dia 16 de maro, s 17h30min.

    Fernando Pezo Baterista e Compositor do Papas da Lngua, comenta que tem sem-

    pre boas expectativas toda a vez que vem a Lages. Estamos fel-izes de voltar a Lages. O Papas sempre fez timos shows naa cidade onde temos muitos fs e um pblico que curte muito nossa msica. Abraos pra toda galera de Lages e at o dia do show, ressalta Fernando.

    A promotora do evento Vanu-sa Crdova, comenta que o show um presente para a Serra Catarinense.

    Taina Borges

    Rainha da Festa do PinhoPrmio na rea da cultura

    A cultura de Lages foi destaque no Prmio Municpio Sustentvel 2014, promovido pela Federao Catarinense dos Municpios (Fecam). O trabalho realizado pela Fundao Cultural de Lages (FCL) garantiu a primeira colocao na categoria de Polticas Pbli-cas ndice da Cultura em Santa Catarina. O vice-prefeito Toni Duarte recebeu a premiao durante congresso na semana passada, em Florianpolis, e repassou aos funcionrios da FCL na manh de tera-feira (18).

    O superintendente da FCL, Mauricio Neves de Jesus, diz que a premiao acontece em decorrncia, principalmente, da adeso ao Sistema Nacional de Cultura e implantao do Fundo Municipal. Ele refora que esta ape-nas parte de um plano estratgico que est sendo desenvolvido pela administrao mu-nicipal na cidade e destaca o funcionamento pleno e regular do Conselho Municipal de Pat-rimnio e Conselho Municipal de Polticas para o segmento.

    Toninho VieiraD

    ivulgao

    A Fundao Cultural de La-ges (FCL) organiza o evento de abertura das inscries para o concurso que vai escolher a rainha e princesas da 26 Festa Nacional do Pinho. O encontro ocorre nesta sexta-feira (21), s

    9h, no auditrio da FCL. Na opor-tunidade, estaro presentes o presidente da Comisso Central Organizadora, vice-prefeito Toni Duarte, a rainha Caroline Costa e as princesas Flvia Burigo e Kamila Ghiorzi.

    Congresso de Municpios premiou Lages na rea da Cultura

    As atuais representantes vo acompanhar o incio dos trabalhos

    A 10 Feijoada da Serra acontece nos dias 15 e 16 de maro

  • VITRINE LAGEANA - LAGEs, SEXTA-FEIRA 21 dE FEVEREIRO de 2014SEGURANA 17

    O comrcio de vida silvestre, incluindo a fauna, a flora e seus produtos e subprodutos, con-siderada a terceira maior atividade ilegal no mundo, atrs apenas do trfico de armas e de drogas. Levando em considerao apenas o trfico de animais silvestres no Brasil, estimado que cerca de 38 milhes de exemplares sejam retirados anualmente da natureza e que aproximadamente quatro milhes deles sejam vendidos.

    Baseado em dados sobre animais capturados e o seu preo, estima-se que, no Brasil, esse comrcio movimenta cerca de US$ 2,5 bilhes/ano. As redes de trfico de vida silvestre, como toda rede criminosa, possuem grande flexibilidade e adap-tabilidade e se juntam a outras categorias ou ativida-des (legais ou ilegais), tais como drogas, armas, lcool e pedras preciosas.

    O trfico de vida silvestre um crime extrema-mente lucrativo com consequncias graves, penas relativamente pequenas e poucos processos instaurados. Alm de todos os fatores complicadores inerentes ao trfico, os pesquisado-res desse tema tambm enfrentam a falta de dados organizados e sistematizados. Alm disso, os estudos sobre o trfico e seus impactos sobre a biota tam-bm so escassos, o que torna o prognstico ainda mais complexo.

    importante salientar que, no Brasil, as multas so aplicadas por espcime. Desta forma, Santa Catarina, no se caracteriza pela grande atuao na represso, possuindo somente o 12 maior nmero de multas aplicadas. De acordo com estudos conduzidos por pesquisadores no sul do Brasil, as es-pcies mais apreendidas pela fiscalizao, entre 2008 e 2012, foi o cardeal (Paroaria coronata), seguida pelo canrio-da-terra (Sicalis flaveola). A famlia Emberizi-dae apresentou o maior nmero de espcimes apre-endidos, levando evidncia de que o maior interesse do comrcio ilegal seja pelas aves cantoras.

    As principais rotas do trfico de animais silves-tres no Brasil, incluindo os principais aeropor-tos, reas fonte e de comrcio. Esta matria tem a inteno de instigar uma reflexo sobre o assunto. No tratamos aqui sobre o comrcio de car-nes para o consumo humano, mas este tambm um problema relevante e trataremos em outra oportuni-dade. Reflitamos. (Fonte: https://www.ibama.gov.br).

    por Cleber de Souza Borges - Tenente Coronel PM

    UtilidadePblica

    O trfico de animais silvestres

    O Municpio de Chapec tem sido alvo de violncia sem prec-edentes nos ltimos tempos. Diante do problema, a comuni-dade lanou a campanha CHE-GA DE VIOLNCIA: CHAPEC UNIDA EXIGE SEGURANA. A campanha, lanada segunda-feira (17), valoriza o papel das Policias Civil e Militar e prioriza a ampliao do efetivo dessas corporaes no municpio. A reivindicao central aumen-tar o nmero de policiais e a es-trutura do aparelho policial. A campanha foi convocada pela Associao Comercial e In-dustrial (ACIC), Cmara dos Di-rigentes Lojistas (CDL) e Sindi-cato do Comrcio da Regio de Chapec (Sicom) com a adeso de 50 organizaes da socie-dade civil chapecoense e prev um ato pblico s 9h30min da prxima tera-feira (dia 25), na Av. Getlio Vargas.

    As entidades organizadoras reconhecem a importncia da Polcia e reivindica melhores condies de trabalho o que passa pelo aumento do nmero de homens em campo.Citam como exemplo o 2 Batalho da Polcia Militar, cujo

    efetivo total para cobrir uma rea de 41 municpios de 611 policiais militares. Em mais de 20 municpios oestinos a fora local de apenas quatro ho-mens.A situao se torna ainda mais dramtica na sede do 2 BPM, em Chapec, onde o efe-tivo total de apenas 279 PMs, alm da Central Regional de Emergncia. Ocorreu um es-foro para aumentar o quadro, mas a movimentao prpria da carreira militar o neutralizou totalmente.Desde 2011 foram lotados em Chapec, em razo de con-cluso dos cursos de formao de soldados, 121 policiais mili-tares. Destes, 78 continuam na sede do Batalho, resultado de pedidos de baixas e redis-tribuio do efetivo dentro da circunscrio do 2 BPM. Nesse mesmo perodo, 86 Policiais Militares foram para a reserva remunerada. Em resumo, en-traram e permanecem 78, mas saram 86. De acordo com as entidades, est claro que a elevada deman-da de ocorrncias criminais ab-sorve toda a capacidade de tra-

    Dirigentes de classe coordenam campanha contra a violncia e a carncia de policiais na cidade

    MB

    Com

    unicao

    Campanha Chega de Violncia balho da Polcia Militar e ainda gera um dficit de atendimento porque, diariamente, algumas ocorrncias no so atendidas por insuficincia de patrulhas.

    Alm do reduzido nmero de policiais militares para as ne-cessidades de Chapec, h uma limitao de carga horria de trabalho, que no pode exceder a 40 horas extras mensais. Essa limitao compreensvel, pois o PM no pode ser extenuado com carga de trabalho desuma-na.Outro problema o elevado ndice de acidentes de trnsito que consome grande parte das horas de servio dos PMs dis-ponveis, no permitindo que sejam integralmente emprega-dos na preveno e represso da criminalidade.Para os trs dirigentes no resta dvida de que a maior dificuldade a carncia de efe-tivo. Na sede do 2o BPM ex-istem 30 veculos (viaturas) e 44 motocicletas para operaes policiais, alm de 5 veculos de transporte entre nibus e caminhes, mas j ocorreu situ-ao em que, por absoluta falta de recursos humanos, veculos no saram do ptio do Batal-ho.Em resposta ao problema, as polcias Civil e Militar e Polcia Rodoviria Federal iro pro-mover uma megaoperao de represso criminalidade no Oeste. A deciso foi tomada, na quarta-feira (19), em reunio da cpula da Polcia do Estado com a presena do deputado federal licenciado e Secretrio de Estado da Agricultura e da Pesca, Joo Rodrigues, e do dep-utado estadual Gelson Mersio, que cobraram aes enrgicas para reduzir o ndice de violn-cia em Chapec.

  • VITRINE LAGEANA - LAGEs, SEXTA-FEIRA 21 dE FEVEREIRO de 2014REGIONAL18

    homem do Campopor Cesar Missioneiro

    [email protected]

    lages - Oferecer orienta-es tcnicas sobre a utilizao do Sistema de Gesto de Con-vnios SICONV abordando desde o cadastro de entidades proponentes consulta a pro-gramas, cadastramento de pro-postas, execuo de convnios, prestao de contas e OBTV - ordem bancaria de transfern-cias voluntrias foi o objetivo do curso que iniciou na segun-da-feira (17) e terminou na tar-de de tera (18), na AMURES.A capacitao foi destinada a servidores e gestores mu-nicipais responsveis por lici-taes, compras, cadastros de propostas, tcnicos das secre-

    Equipamentos para a Amures

    Orientaes sobre o SICONV

    Bfalas no cio

    Nos ltimos dez anos, observamos uma transio da maior importncia na criao de bfalos do Planalto Serrano Catarinense. Ns otros, criadores de bfalos, assistimos a extino total de grandes e mdios rebanhos de bfalos, estes, habitantes de reas inspitas e inviveis criao de bovinos, foram substitudos pela corrida do pinus.

    Inicialmente achamos que esta mudana era nega-tiva, principalmente no quesito numrico. Foram para o abate todos os animais, inclusive alguns reprodutores e origem gentica italiana (uma perda irreparvel). Mas, por outro lado, olhando agora com os olhos deste momento, constatamos que existiu uma desinfeco na criao de bfalos. Criadores desin-teressados, ignorncia tcnica, privilegio somente aos bovinos, ausncia total de manejo, desconhecimento das vantagens nutracuticas do leite, da carne e espe-cialmente da destinao industrial do leite.

    Aos criadores que sobraram chamamos de a nova gerao. So criadores com viso contempornea que buscam informaes, renovam reprodutores, buscam cruzamentos entre raas e se observa a criao de pequenos novos rebanhos, seja com o intuito de eliminar o caraguat, ou porque os bfalos no tem carrapato, no tem berne nem mosca do chifre e ainda os que se utilizam da mansido do bfalo em ambientes de turismo, o que importante neste processo a necessidade de criar animais com manejo correto e no com o manejo estafante e errado do passado.

    Uma das indagaes mais pertinentes entre novos criadores sobre a estao de monta das bfalas, marcante no outono e no na primavera. que a melatonina, hormnio que regula as espcies estacionais, de maneira que na bfala ao diminuir as horas de luz, diminui a melatonina que exerce freio sobre as GnRH e hormnios da hipfise, da as bfalas comeam a ciclar. O normal para o para-lelo 26 a 29 como no Planalto Serrano Catarinense, a estao de monta vai de fim de fevereiro, o epicentro em maro at incio de junho. Em Corrientes na Argen-tina, no mesmo paralelo vai at fim de julho por conta do clima mais ameno. No Par, prximo ao Equador, as horas de luz no tem diferena, as bfalas dependem mais da condio corporal. As novilhas de primeira criam com boa condio corporal e acima de 280Kg 300Kg podem emprenhar fora da estao, mas as vacas so muito rgidas na estacionalidade..

    Com os equipamentos, os Municpios passam a trabalhar na reunio de dadosO

    nere

    s Lo

    pes

    lages - Numa parceria da Amures e da Fundao de Am-paro Pesquisa e Inovao do Estado de Santa Catarina (Fapesc), atravs do Curso de Engenharia Ambiental da Udesc/Lages, foi oficializada na tarde de segunda-feira (17), a entrega dos equipamentos para implantao do Ncleo de Pesquisas Tecnolgicas e Infor-maes da Serra Catarinense (NPTI-SC). E como primeira misso ser estruturada a im-

    plantao de um Sistema de Informaes Geogrficas (SIG), para gerenciamento de resdu-os slidos em 17 municpios integrantes do Consrcio In-termunicipal de Saneamento Bsico (Cisama).Os equipamentos de ltima gerao avaliados em R$ 160 mil constam de servidor, desk-top, notebook`s, monitores, nobreak`s, projetor, HD exter-no e outros componentes que permitiro realizar inmeros

    Amures entende que importante manter os profissionais qualificados

    Agn

    es S

    aman

    ta

    levantamentos de campo e compor um grande banco de dados. De acordo com o pro-fessor Valter Antnio Becegato coordenador do curso de En-genharia Ambiental, a com-posio de uma base de dados bem estruturada ser impor-tante para os planejamentos futuros dos municpios.Para o coordenador tcnico do projeto de Gerenciamento de Resduos Slidos do De-partamento de Engenharia Ambiental, Slvio Lus Rafaeli Neto, que comanda todo tra-balho de anlise de dados ca-dastrais, ser feita a projeo de um Sistema de Informaes Geogrficas que possibilite a gesto integrada destes re-sduos. No final se conceber um sistema de gerenciamento informatizado capaz de arma-zenar uma grande gama de in-formaes.

    tarias e demais servidores que fazem parte do governo e de alguma forma se envolvem nos processos de transferncia vol-untria de recursos federais. A parceria ocorre entre a as-

    sociao da AMURES, FECAM e EGEM, Cadastrar Credor da Transferncia Voluntria, Ti-pos de OBTV, Aplicao em Poupana foram um dos temas tratados.

  • VITRINE LAGEANA - LAGEs, SEXTA-FEIRA 21 dE FEVEREIRO de 2014REGIONAL 19

    palmeira - Na ltima tera-feira, 18, o grupo de mulheres da associao de moradores da localidade de Mato escuro, em Palmeira, recebeu kits para a confeco de artesanatos. O material foi adquirido com re-cursos repassados pelo Gover-no do Estado Fundao Nova, uma instituio pblica de di-reito privado, sem fins lucrati-vos, com sede em Florianpo-lis. Os kits contm toalhas, linhas de croch, tintas para

    tecido e l. O artesanato produ-zido pelas 60 mulheres da as-sociao ser comercializado, e a renda ser distribuda entre as famlias da associao. A Fundao Nova Vida apoia vrios projetos sociais direcionados ao amparo das famlias catarinenses, e a Serra vem recebendo auxlio com frequncia, diz o secretrio de Desenvolvimento Regional, Gabriel Ribeiro, que coordenou da entrega.

    Nova Vida entrega kits

    So Joaquim - A Prefeitura de So Joaquim informou na tarde de tera-feira (18) que o Concur-so Pblico e Processo Seletivo N 01/2014 esto suspensos tem-porariamente. A denncia que chegou at Prefeitura foi de que a empresa Noroeste Concursos foi declarada inidnea, em Rosa-na-SP, alm de outros processos

    de suspenso. Para maiores det-alhes basta verificar junto ao MP de Capinzal, que suspendeu a re-alizao do processo seletivo.Sendo assim, a Prefeitura de So Joaquim pelo desejo de fazer o concurso o mais transparente o possvel, seguiu, em partes, a recomendao do Ministrio Pblico e decidiu pela suspen-

    Prefeitura de So Joaquim vai devolver o dinheiro a quem se inscreveu no Concurso

    O prefeito Jos Valdori Henkmaier e os vereadores do municpio partici-param do ato

    So Joaquim

    Online

    Fbi

    o R

    amos

    Suspenso concurso de So Joaquim

    so temporria do Concurso, rescindindo unilateralmente com a empresa Noroeste Con-cursos.O Ministrio Pblico infor-mou que no recebeu nen-huma informao a respeito da suspenso do concurso. A empresa Noroeste Concursos tambm informou que ainda no foi comunicada oficial-mente sobre o caso. Por outro lado, a Prefeitura ir ressarcir todos os candidatos que apre-sentarem seus comprovantes de depsitos mediante as in-scries.Uma nova licitao e um novo Edital para contratar no-vamente uma empresa para executar o concurso devero ser feitos. E em breve uma nova data ser estabelecida para a execuo do Concurso. (Fonte: Agncia de Notcias So Joaquim Online).

  • VITRINE LAGEANA - LAGEs, SEXTA-FEIRA 21 dE FEVEREIRO de 2014ESPORTE20

    O Clube de torcida mais fantica do Brasil confirma essa condio na cidade onde nasceu e est sediado. Citado por 57,3% dos entrevistados, o Grmio foi o time mais lem-brado entre os moradores de Porto Alegre em pesquisa pro-movida pela Revista Amanh.O resultado conferiu o Top de Mind na categoria times do futebol para o Grmio pelo se-gundo ano consecutivo. Alm da liderana, o Tricolor au-mentou sua vantagem para os

    demais clubes, distanciando-se 16 pontos percentuais do segundo colocado, de acordo com os dados revelados pela pesquisa, realizada com 600 moradores de Porto Alegre de diferentes segmentos sociais, idades e regies. tradio o Grmio ser o mais lembrado. Temos a maior torcida da capital e do estado do Rio Grande do Sul como revelam pesquisas realiza-das pelos mais reconhecidos institutos. Esse prmio con-

    A Fifa esteve mais um vez pre-sente no Estdio Beira-Rio na manh de tera-feira (18/02). A comitiva da entidade, liderada pelo seu secretrio geral Jrme Valcke, pde ver de perto a evoluo das obras do Gigante. Eles foram recepcionados pelo

    O resultado conferiu o Top de Mind na categoria times do futebol para o Grmio

    O novo Beira Rio alvo de elogios de dirigentes da FifaCinco dias aps receber seu pri-meiro jogo oficial estdio inau-gurado

    Divulgao

    Divulgao

    Rob

    erto

    Stu

    kert

    Fillh

    o/P

    R

    Grmio Top Of Mind em POA

    Jrme Valcke elogia o Beira-Rio

    O Congresso para os tcni-cos realizado pela Fifa em Flo-rianpolis indica que haver novidades sobre a lista de convocados pelas 32 selees para a Copa do Mundo. Se-gundo informao do site da ESPN, as equipes tero que enviar para a entidade uma lista com 30 jogadores at o dia 13 de maio, uma semana depois de serem anunciados os 23 jogadores convocados para o Mundial.Os sete excedentes sero os nicos que podero entrar no grupo por motivos tcnicos, caso, por exemplo, um treina-

    dor desaprove o rendimento de um de seus atletas. A lista final ter que ser entregue at 2 de junho.Entretanto, em caso de con-tuso, os comandantes tero a liberdade para escolher qual-quer substituto, isso at a es-treia das equipes na Copa do Mundo. Na prxima segunda-feira (24), Luiz Felipe Scolari dever anunciar os nomes dos jogadores que atuam no Bra-sil para o duelo contra a frica do Sul, no dia 5 de maro, no Soccer City, em Johanesburgo. Ele j convocou 16 atletas que atuam no exterior.

    O novo estdio Beira-Rio foi inaugurado oficialmente nesta quinta-feira, 20, em

    Segunda-feira Scolari dever anunciar os nomes dos jogadores que atuam no Brasil para o Jogo contra a frica do Sul

    Div

    ulga

    o

    Felipo poder mudar nomes da lista oficial

    Dilma inaugura o estdio

    firma, uma vez mais, esses nmeros, comentou o vice-presidente Odorico Roman, que representou a direo no evento de anncio dos vencedores, realizado nesta quarta-feira no Hotel Plaza So Rafael.O Executivo de Market-ing do Clube, Beto Carvalho destacou o crescimento alcanado pelo Grmio na pesquisa em comparao com o ano de 2012 e citou a liderana do Tricolor em outros contextos. Esses dados revelam a fora do nosso torcedor. Todas as pesquisas mostram que so-mos a maior torcida do Sul do Brasil e, de acordo com a Pluri Consultorias, temos a torcida mais fantica do pas. Essa realidade se re-flete em Porto Alegre, bero do Grmio e onde ele o centro das atenes, res-saltou.Em paralelo premiao referente ao time mais lem-brado, a Arena do Grmio foi o local mais citado na cat-egoria Estdio de Esportes. Pioneiro no segmento das Arenas, o estdio gremista foi citado por 49,8% dos entrevistados, alcanando pela primeira vez a lider-ana na pesquisa.

    presidente Giovanni Luigi, pelo prefeito de Porto Alegre Jos Fortunati e diversas out-ras autoridades presentes na ocasio. Antes da visita ao Estdio, os dirigentes do Inter real-izaram uma apresentao aos membros da Fifa, pontu-ando o cronograma da obra, as tecnologias utilizadas no Gigante, a anlise do pri-meiro evento-teste e outros temas. Os representantes da entidade no demonstraram nenhuma preocupao quan-to ao Beira-Rio e saram mais uma vez satisfeitos do palco gacho na Copa do Mundo de 2014: O Estdio est in-crvel, afirmou Valcke.

    Porto Alegre (RS). A cerim-nia, comandada por Dilma Rousseff, contou com a pre-sena do craque Ronaldo e de operrios que trabalharam na reforma do estdio, e pro-porcionou um bate bola en-tre a presidente da Repblica e os jogadores do Internacio-nal.No gramado, Dilma posou para fotos com operrios, jogadores e dirigentes do Internacional, de quem rece-beram uma camiseta person-alizada do clube, com seu nome e o nmero 10 s cos-tas. No meio de campo, Dilma chutou a bola em direo ao argentino DAlessandro, dolo da torcida colorada.

  • VITRINE LAGEANA - LAGEs, SEXTA-FEIRA 21 dE FEVEREIRO de 2014ESPORTE 21

    CA Esportes

    Nova temporada

    Segunda feira (17) acompanhei o incio das atividades do plantel da equipe do Caa e Tiro Honolulu, para temporada 2014. Com 70% do elenco renovado a equipe espera continuar repetindo o bom trabalho que realizou at aqui, e ir mais alm. Vontade e determinao no faltam para a diretoria. Vamos torcer e prestigiar para que este trabalho tenha cada vez mais o respaldo da co-munidade esportiva de Lages, pois, nada adiantar todo um esforo de um grupo de abnegados pela causa esportiva, se no houver a contrapartida da torcida.

    Pensemos nisso enquanto tempo.

    GuaraniA notcia surpresa da semana fica por contar de um

    grupo de esportistas que est articulando a montagem do Atltico Guarani de Lages, cujo objetivo, a disputa do campeonato estadual de Srie C. O pessoal est se articulando e marcou presena na reunio do Conselho Tcnico da competio l na Federao Catarinense de Futebol. Vivemos num pas democrtico onde todos tm direito liberdade e ao livre associativismo. Boa sorte ao grupo bugrino!

    por Celso Aurlio [email protected]

    Caa e Tiro inicia atividades de 2014

    Semifinal do Amador inicia sbado

    Peneira no Inter: agora na Sub 15

    O elenco do Caa e Tiro Hono-lulu Futsal foi apresentado na ltima segunda, dia 17 de fever-eiro, para o incio das atividades visando a temporada 2014.Para este ano, mais uma vez a diretoria do Caa e Tiro Honolu-

    lu est apostando numa equipe jovem, cuja mdia de idade de 24 anos. Tudo para conseguir bons resultados na caminhada. Este ano investimos mais uma vez em um time forte e talen-toso, falou o tcnico da equipe

    Juninho. Nesta sexta-feira, dia 21, acon-tece em Florianpolis o Consel-ho Arbitral das competies da temporada. O time lageano es-tar disputando o Campeonato Estadual da Diviso Especial.

    Neste sbado, 22 de fevereiro ter incio a fase semifinal do Campeonato Amador da Liga Serrana de Futebol. Esto clas-sificadas para esta fase da com-

    petio as equipes do Amrica, Vila Mariza, Guaruj e Assolan. Todos os jogos acontecem no Estdio Municipal Vidal Ramos Junior.

    Confira a ordem dos jogos:14h15min - Vila Mariza/Con-strutora farias X Amrica16h15min - Assolan/Hono-lulu x Guaruj

    O xerife vai virar professor. O ex-zagueiro Erlon Joe dos Santos ser o treinador da recm-cria-da categoria sub15 do Interna-cional de Lages, que se prepara para participar do estadual in-fantil, no segundo semestre.Erlon, campeo da diviso de acesso pelo Colorado Lageano em 2013, foi o protagonista de uma das histrias de supera-o mais marcantes do clube na temporada passada. Aposen-tado havia cinco anos do futebol profissional, o zagueiro recebeu a chance no de integrar o elen-co, mas apenas de ser avaliado para tentar entrar no time. Com essa fresta de oportunidade, Er-lon, ento com 39 anos, suou a camisa ao longo de todo o pri-meiro semestre, entrou em for-ma e acabou ficando como titu-lar da equipe durante a maior parte do campeonato.Esta no ser a primeira ex-perincia de Erlon como trei-nador. Em 2012, antes de seu retorno aos gramados, o xerife comandou os juniores e juvenis

    Celso A

    urlio

    Em Foco

    Mesmo sua equipe no tendo um grande desem-penho no Campeonato Amador, o jogador Alex foi um dos atletas que fez a diferena da equipe do Cristal, nesta temporada.

    Nossa saudao aos leitores: Jorge, Juliano e Tio Bona (Lotrica Cruzeiro).

    Valeu galera, at a prxima edio!

    Esta no ser a primeira experincia de Erlon como treinador

    O time foi reformulado para esta temporada em torno de 70%

    Celso A

    urlioC

    elso Aurlio

    do Inter na disputa do estadual das categorias de base da di-viso de acesso. Erlon, hoje aos 40 anos, ter a misso de passar sua experincia aos jovens atle-tas do Inter.Como o clube ainda no tem equipe na categoria sub15, ser feita uma seletiva para os interessados em defender

    a camisa colorada. A peneira ser para garotos com idade de at 15 anos. Os testes sero quarta a sexta-feira (26 a 28 de fevereiro) da prxima semana, em dois horrios por dia, 10h e 17h. Para participar, basta comparecer ao Estdio Vidal Ramos Jnior com chuteiras e um documento com foto.

  • VITRINE LAGEANA - LAGEs, SEXTA-FEIRA 21 dE FEVEREIRO de 2014

    VITRINE LAGEANA - LAGES, SEXTA-FEIRA 21 dE FEVEREIRO DE 201422 pUBliciDADE

  • VITRINE LAGEANA - LAGEs, SEXTA-FEIRA 21 dE FEVEREIRO de 2014

    VITRINE LAGEANA - LAGES, SEXTA-FEIRA 21 dE FEVEREIRO DE 2014 23

    Vitrine do Pakinhapor Marcelo Vieira Muniz

    1

    4

    7

    2

    5

    8

    3

    6

    9

    1 - Amigos do Jornal Vitrine Lageana. 2 - Aniversariante da semana Fabiano e sua esposa Joceane. 3 - Casal simpatia Toninho e Elisabeth. 4 - Daniel Lucena e Gean Guedes tocando uma viola no Refgio do Lago. 5 - Gil Mota ao lado do grande Guga e seu mano Mrio Mota. 6 - Paulo Ricardo e Marisete. 7 - Seu Vilson e seu filhote na Casa do Vinho em SJ. 8 - Tio Perera e

    Leonardo. 9 - Vanusa Crdova assoprou velinhas neste dia 20 de fevereio.

  • VITRINE LAGEANA - LAGEs, SEXTA-FEIRA 21 dE FEVEREIRO de 2014

    VITRINE LAGEANA - LAGES, SEXTA-FEIRA 21 dE FEVEREIRO DE 201424 CONTRACAPA

    Arena multiuso da escola Nossa Senhora do Rosrio a primeira da Serra Catarinense

    Secretarias vo trabalhar integradas em programa animal

    Fbio Ram

    os

    Nilt

    on W

    olff

    / Arq

    uivo

    Escola ganha arena multiuso Proteo aos animais

    O governador Raimundo Colombo, acompanhado do se-cretrio de Desenvolvimento Regional de Lages, Gabriel Ri-beiro, inaugurou na tarde des-ta quinta-feira, 20, em Lages, a primeira arena multiuso da Serra catarinense, na Escola Nossa Senhora do Rosrio, em Lages. Em seguida, Colombo inaugurou a reforma e amplia-o da Escola Estadual Cora Batalha. O investimento total

    do Governo do Estado nas duas obras de R$ 2,5 milhes.A primeira arena multiuso da Serra possui quadra po-liesportiva, palco, salas para a realizao de atividades cult-urais e recreativas, vestirios e arquibancadas. O Governo do Estado investiu mais de R$ 1 milho na obra, que ir benefi-ciar cerca de mil estudantes.Outras oito escolas da regio esto ganhando arenas mul-

    tiuso nos mesmos moldes. So elas: General Pinto Sombra, Jorge Augusto Neves Vieira, Melvin Jones, Flodoardo Ca-bral, Armando Ramos de Car-valho e Visconde de Cair, em Lages; Fazenda Olinkraft, em Otaclio Costa; e Padre Antnio Vieira, em Anita Garibaldi. So estruturas modernas, que pro-porcionaro mais conforto aos alunos e professores, diz o se-cretrio Gabriel Ribeiro.

    Desde o incio de 2013, as Secretarias de Sade, atravs do Centro de Controle de Zoo-noses (CCZ), e de Meio Ambi-ente e Servios Pblicos, por meio da Gerncia de Proteo Animal, trabalham em aes que visam controlar a procria-o de animais domsticos. Hoje existem em Lages cerca de 90 mil ces e gatos, soman-do os domsticos, os consid-erados sem dono e os errantes.As secretarias esto prestes a iniciar o Programa Munici-pal de Controle de Procriao, com uma ao permanente de castrao. Vamos unir as duas estruturas para somar foras

    e o Centro de Zoonoses ser a sede da Gerncia de Proteo Animal, afirma o secretrio de Meio Ambiente, Mushue Ham-pel.De acordo com a secretria de Sade, Cristina Subtil, as duas pastas esto integradas para dar celeridade ao proces-so. Este um compromisso que o governo Elizeu Mattos assumiu. J disponibilizamos de todo o material para os pro-cedimentos cirrgicos e de um grupo de profissionais. Agora dependemos da incluso junto ao Conselho Regional de Me-dicina Veterinria (CRMV), declara.