Vitrine Lageana Edi§£o 128

  • View
    215

  • Download
    2

Embed Size (px)

DESCRIPTION

 

Text of Vitrine Lageana Edi§£o 128

  • VITRINE LAGEANA - LAGEs, SEXTA-FEIRA 2 dE MAIO de 2014Opinio SadeSegurana Turismo CidadeEducaoEntrevista Cultura

    Lages, Sexta-feira 2 de Maio de 2014R$ 2,00

    Ano 04 - Edio 128

    Maior leilo de gado de SCAnimais de excelente linhagem estaro venda, neste sbado (3), na maior feira de gado de Santa Catarina, no Parque Conta Dinheiro, em Lages . | Pg. 3

    Paulo C

    hagas

    Prazo para o ttuloencerra no prximo

    dia 7 de maio

    Poltica 4

    Plantes na Justia Eleitoral

    Somente em Lages mais de 53 mil

    pessoas j se vacinaram

    Sade 7

    Continua a vacinao

    contra a gripeA ao se deve ao grande nmero de

    acidentes com motos

    Segurana 11

    Campanha para conscientizar motoqueiros

    Informao poder

    LeiaMuito

  • VITRINE LAGEANA - LAGEs, SEXTA-FEIRA 2 dE MAIO de 2014A vida deve ser cuidada como um jardimApesar de serem muito numerosas as vidas que povoam este planeta; ape-sar de fazer tantos milnios que os homens caminham por este mundo, no se conse-guiu, ainda, superar as condies que devem distinguir a espcie humana. Os homens vivem em todas as partes do mundo: uns estudando, outros trabalhando; uns lendo, outros escutando, e outros sem fazer nada; todavia, entre a enorme quantidade de seres que se movem e cumprem suas atividades na ordem rotineira do afazer dirio, promovem-se experincias instrutivas para o governo individual. Uns mais, outros menos, todos,

    sem exceo, devem sentir, diariamente - e algumas vezes de forma crua -, a realidade dessas experincias, cujo valor enorme.Pois bem; se extrai devidamente o fruto de tais experincias? Faz-se delas o uso correspondente? Em geral no se faz uso nenhum e, quando algum recolhe os resultados delas e os utiliza em suas atu-aes, o faz de forma egosta, reservando unicamente para si os benefcios obtidos. Os que por uma ou outra causa triunfaram ou vo triunfando na vida, raramente dizem de que meios se valeram, nem que experincias lhes foram de maior utilidade para corrigir sua conduta; enfim, guardam para si o que,

    segundo eles, conquistaram custa de mui-tos sacrifcios, de muitas preocupaes ou de muitas amarguras.Eis aqui uma dessas experincias, que com frequncia se reproduz: H pes-soas que passam a vida dedicadas ao culto de um valor e, quando envelhecem, se do conta de que no era esse o nico nem o mel-hor, nem o maior nem o que mais lhes con-vinha, e que ao mesmo tempo que rendiam culto a esse valor, poderiam t-lo feito com muitos outros, consagrando a seu cultivo idntico empenho, constncia e entusiasmo.A vida deve ser cuidada e enaltecida; deve-se cultivar todas as possibili-

    dades que encerra e fazer delas um jardim, ainda que seja apenas para ter a ventura de recolher, de quando em quando, uma flor de cada planta que a prpria mo semeou, cultivou e aperfeioou. O conjunto de todas essas plantas sero as obras realizadas; as flores, as consequncias teis dessas obras. Mas a planta principal, a planta humana, na qual se concentram todos os movimentos da concepo interna, essa merece o maior dos cuidados e a maior ateno, pensando, a cada dia, o que se fez por ela.

    Por Carlos Bernardo Gonzlez Pecotche (Raumsol)

    Nossa Opinio

    A atitude do joga-dor brasileiro, Daniel Alves, do Bar-celona, em comer uma banana atirada no campo, numa apologia ao racismo, ganhou notoriedade no mundo. Foi o ato mais sensato que j vi, por parte de um jogador. Impres-sionante. Por outro lado, chamar um jogador negro de macaco muito questionvel. Afinal, existem os macacos brancos, os orangotangos, por exemplo. Se formos colo-car um espcime desses ao lado de um chimpanz, ou seja, um macaco branco e um preto, bem no ladinho, um do outro, o que conclumos? Que somos ento, todos macacos.Os idiotas espalhados no mundo, que nutrem ainda o preconceito racial, no tm espelhos em casa. Muitos, sequer, podem ser comparados com macacos, pois, a feiura externa e inte-rior, talvez se compare com a

    mais abominvel das criaturas da terra, mas que, mesmo assim, se questiona, pois, so animais irracionais e no tm a culpa de terem nascidos assim. O homem torna-se, a pior das espcies, porque no consegue ver seu prprio interior, e age, com conscincia, mesmo sabendo o que certo ou errado. Os animais agem por puro instinto. Por isso, so bem melhores que ns, seres humanos. Talvez, ento, fosse melhor ser um macaco do que gente, em muitas concepes. Alm de idiotas, so igno-rantes. Imaginam-se superiores, apenas por que tm a pele clara. Porm, agem sempre na clandestinidade. Se, acham que esto certos, por que no cometem suas irracionalidades na frente de todos, e defendam suas teses absurdas. Acrescento ento, alm da idiotice e a ignorncia, a covardia. Pronto, est fechada a definio do racista.

    Quem macaco?

    Grimpa

    O assunto ainda pertinente. Afinal, os question-amentos sobre a necessidade da manuteno ou no daquela estrutura no Calado da Praa Joo Costa, esto abertos a novas discusses. Pelo que se percebe, a comuni-dade j no est preocupada se o velho colgio interditado deve ou no ficar em p. A Justia est. Logicamente, embasada pela Lei, sustenta a deciso de que o prdio no deva ser demolido. Por outro lado, nem o Executivo ou o Legislativo, foram em busca de uma alternativa de supresso do item que o protege, e que possa dar sustentao prpria Justia, para rever a questo. Manter em p o que no se quer mais... uma pena...

    Sobreo Aristiliano

    Algum reclamou no rdio de que obras de revitalizao de asfalto, feitas agora, j esto se deteriorando, em algum ponto na Serra Catarinense. Mesmo sem muitos detalhes da local-izao, fica o pingo da preocupao. Afinal, o trabalho tem qualidade? Quem est fiscalizando? Pois, se algum est chamando ateno para este problema preciso urgentemente averiguar. Afinal, dinheiro pblico que est sendo investido. At que ponto existes os problemas? Notem que so vrios os pontos de interrogao. A comu-nidade catarinense tem estado feliz com a providncia da revitalizao das estradas, mas, e a qualidade da obra?

    !

    ...

    Cabeamentosubterrneo ?ObradeteriorandoNo h como concordar com os crti-cos de planto, que no medem palavras para falar bobagens sobre as obras do cabeamento subterrneo, na rea central de Lages. Quando nada se faz para melhorar as condies de vida da comunidade, ou at mesmo o visual da cidade, criticam. Por outro lado, quando o Municpio investe em obras que vo resultar nas melhorias, caso dos transtornos temporrios, tambm se critica. No d mesmo para entender at onde chega o patamar da ignorncia de alguns. bem isso mesmo. Deixem as coisas acontecerem. Logo, estaremos, todos, agradecidos e admirados com os resultados!

    Opinio1202

  • VITRINE LAGEANA - LAGEs, SEXTA-FEIRA 2 dE MAIO de 201403DESTAQUE

    Sicredi com nova estratgia de cartes de crdito

    Mais de 1,6 mil animais em leilo no Conta Dinheiro

    O Sicredi acaba de ampliar a parceria existente com a cre-denciadora Rede no mercado de adquirncia e assinar o con-trato com a MasterCard como nova parceira para a emisso de cartes, cujo lanamento est previsto para o segundo semes-tre de 2014. O objetivo da estratgia de

    meios eletrnicos de pagamento, que j vem se consolidando ao longo dos ltimos anos, propor-cionar ainda mais convenincia e praticidade aos seus associa-dos, pessoas fsicas e jurdicas, e potencializar com maior cap-ilaridade o desenvolvimento de negcios. A base de cartes de crdito e dbito da instituio,

    com as atuais bandeiras Sicredi e Visa, contabiliza mais de 2 milhes de unidades e fatura-mento de aproximadamente R$ 3 bilhes. Com os novos acordos comerciais, a receita deve ter um incremento de 17% no final de 2014. Para o diretor-executivo de Produtos e Negcios do Sicredi,

    O mercado do agronegcio comeou o ano animado com a alta dos preos dos animais, nas mais diversas feiras do terneiro e da terneira j realizadas neste ms de abril na Regio. Em Santa Ceclia, no ltimo domingo (27), um novo recorde se estabeleceu no Estado, na comercializao dos machos, fechando em R$ 5,91. No sbado, 26, em Capo Alto, o valor se consolidou em R$ 5,61. So exatos 1.606 animais inscritos (926 machos e 680 fmeas), que estaro na pista a

    partir das 14 horas.Vale lembrar que em 2013 foram quase seis horas ininter-ruptas de bons lances, e resul-tou num faturamento de R$ 1.546,530. O preo mdio alca-nado foi de R$ 4,57 para os machos e R$ 4,74, para as fmeas. Este ano, em todos os leiles de terneiros (as) j realizados na Serra, a constatao de que os valores esto em cerca de 30% a mais que em 2013. Se a tendn-cia de alta continuar assim, con-forme relata o presidente da

    Associao Rural, Mrcio Pam-plona, o evento deste sbado em Lages, dever atingir uma boa mdia e um faturamento em torno de R$, 1,7 milho.Por outro lado, a Associao Rural de Lages, ainda no embalo dos bons resultados dos leiles na Regio, j est organizando um novo evento para o prximo dia 17 de maio, numa Feira de Gado Geral, no Parque Conta Dinheiro, com a oferta de novos terneiros e terneiras, alm de novilhas, vacas e bois. Pecuaristas esto animados com a boa referncia no preo dos animais

    Parceria com empresas de meios eletrnicos beneficia mais de 2,5 milhes de associados

    Pau

    lo C

    haga

    s

    Divulgao

    Edson Nassar, as parcerias sim-plificam a operao e focam no aprimoramento e diferenciao dos produtos. Estamos ampli-ando o portflio do Sicredi para atender as necessidades dos nossos associados com as mel-hores solues em meios ele-trnicos de pagamento. Com isso, o Sicredi ir atuar com uma rede multibandeira de aceitao nacional e oferecer a emisso de duas bandeiras internacio-nais, ressaltou o executivo, que responsvel pelo portflio de produtos e servios da insti-tuio no mercado do varejo e atacado. De imediato, a ampliao do acordo com a credenciadora Rede, existente desde 2010, per-mite que o Sicredi oferea a seus associado