Vitrine Lageana Edi§£o 131

  • View
    224

  • Download
    6

Embed Size (px)

DESCRIPTION

 

Text of Vitrine Lageana Edi§£o 131

  • VITRINE LAGEANA - LAGEs, SEXTA-FEIRA 23 dE MAIO de 2014Opinio SadeSegurana Turismo CidadeEducaoEntrevista Cultura

    Lages, Sexta-feira 23 de Maio de 2014R$ 2,00

    Ano 04 - Edio 131

    Escola nas mos da justiaAo civil pblica determina que o prdio da Escola Estadual Aristiliano Ramos, no Centro de Lages, deva ser restaurado assim que tiver projeto aprovado. | Pg. 3

    Paulo C

    hagas

    CPI investigaa compra de imvel

    pelo MP/SC

    Poltica 4

    Deputados instalam CPI

    do imvelEvento vai contar com a presena do Governador

    Geral 8

    Lages anuncia instalao de

    empresaO resultado se deve

    campanha de vacinao contra a gripe

    Sade 10

    Estado imuniza 80% do

    pblico alvo

    Quando estiver dirigindo

    NoBeba

  • VITRINE LAGEANA - LAGEs, SEXTA-FEIRA 23 dE MAIO de 2014Meninas ainda fumam bastante Dados do Ministrio da Sade mostram que praticamente uma em cada quatro meninas fumante. Tambm alarmante o fato de que os homens tm abandonado mais o fumo do que as mulheres, numa relao de 25% para 19%, respectivamente. Uma parcela representativa das adolescen-tes parece seguir ignorando alertas e campanhas antitabagismo deciso que pode gerar grande impacto quando atingirem a idade adulta e considera-

    rem a possibilidade de ter filhos. O cigarro um dos grandes viles da reproduo humana. Dado comprovado em diversos estudos, a prevalncia da infertilidade em fuman-tes maior do que em no fumantes, diz Assumpto Iaconelli, mdico gine-cologista e diretor do Fertility Centro de Fertilizao Assistida, em So Paulo. De acordo com o mdico especial-izado em fertilizao assistida, os mais de mil componentes diferen-tes que esto presentes num simples cigarro so responsveis por incalcu-lveis malefcios sade. Ainda que um maior impacto esteja relacionado a corao e pulmes, h estudos compro-vando que o cigarro tambm respon-svel por uma queda na fertilidade das pessoas.O tabaco tem o poder de retardar a gestao, antecipar a meno-pausa e aumentar as alteraes men-struais. Quanto mais tempo a mulher

    fuma, maior o impacto na sade dos seus ovrios, com destruio folicular.Como as causas que costumam dificultar uma gravidez normal-mente se referem igualmente a homens e mulheres (40% associados a eles, 40% a elas e 20% ao casal), impor-tante que o casal em tratamento de fertilizao assistida some foras para parar de fumar. (Por Vtor Margato)

    Nossa Opinio

    O Movimento Maio Ama-relo nasceu com a proposta de chamar a aten-o da sociedade para o alto ndice de mortes e feridos no trnsito de todo o mundo. O objetivo do movimento uma ao coordenada entre Poder Pblico e a sociedade civil. A inteno colocar em pauta o tema segurana viria e, mais do que chamar a ateno da sociedade sobre os altos ndices de mortes, feridos e sequelados permanentes no trnsito no pas e no mundo. A inteno mobilizar o seu envolvimento e tam-bm dos rgos de governos, empresas, entidades de classe, associaes, federaes, socie-dade civil organizada para, fugindo das falcias cotidianas e costumeiras, efetivamente discutir o tema, engajar-se em aes e propagar o con-hecimento, abordando toda a

    amplitude que o tema exige, nas mais diferentes esferas. O que est sendo feito neste ms, estimula voc a pro-mover atividades voltadas conscientizao, ao amplo debate das responsabilidades e avaliao de riscos sobre o comportamento de cada cidado, dentro de seus deslo-camentos dirios no trnsito.Em Lages, embora haja esforo para consci-entizar os motoristas, no somente no campanha do Maio Amarelo, infelizmente, o grande nmero de aciden-tes leva a crer que poucos se interessam pela pregao de mais cuidado no trnsito. Aci-dentes graves, inclusive, com mortes, ocorrem assustadora-mente. Talvez, as autoridades responsveis devam apressar os estudos e as implantaes dos mtodos de segurana nas prin-cipais vias da cidade.

    Maio Amarelo

    Grimpa

    Ainda sobre o assunto do Aristiliano Ramos, a inten-so de que ele fosse demolido partiu do Governo do Estado, e que por sua vez, envolveu o Municpio. Nesse meio, entrou o Ministrio Pblico na questo. Se existe falha no processo, tanto por parte dos interessados em

    derrubar o prdio, quando da Justia, preciso que se verifique o quanto antes. O tempo est passando e o projeto de revitalizao no pode esperar. Por outro lado, a Justia, no seu entendimento, est cobrando a reforma e a utilizao do colgio. Daqui a pouco vo ter que mexer naquilo tudo, mesmo sem saber para que vai servir, a menos que... tudo se reverta...

    Fazera reforma

    Nesta luta de interesses, esto envolvidos o prprio Governo do Estado, alm do Municpio. A contestao judicial est sendo alicerada com documentos que comprovam que a edificao no tem proteo histrica, at pelo tempo dela. Inclusive, o Conselho Municipal de Poltica Cultural j teria autorizado a demolio. Mesmo assim, a partir de qualquer ponto legal sobre o patrimnio, a Cmara de Vereadores deveria participar do processo e agir, podendo suprimir da lista histrica o Aristiliano, caso seja real a condio. Ou no pode?

    !

    ...

    Trevoda BR 116 ?AristilianoRamosVale lembrar que no caso da BR 116, onde pessoas mor-reram no fim de semana que pas-sou, os problemas naquele trevo j foram motivos de comentrios a respeito, e que precisa ser modi-ficado. No se tem notcias de que as autoridades responsveis ten-ham abraado a causa. Est mais do que na hora de que se faa um esforo conjunto para que, naquele traado, perto da Lactoplasa, seja feito um projeto para alterao. Enquanto ningum toma providn-cia, segue o risco de novos aci-dentes, e mais mortes tambm!

    Opinio1202

  • VITRINE LAGEANA - LAGEs, SEXTA-FEIRA 23 dE MAIO de 201403DESTAQUE

    Restaurao do Aristiliano Ramos Liberdade de Impostos

    A pedido do Ministrio Pblico, o Juzo da Comarca de Lages determinou a elaborao de projeto visando a restaura-o do prdio histrico, sendo que a obra dever ser concluda no prazo de um ano. A ordem de que a obra comece aps a aprovao do projeto, sob pena de aplicao de multa diria equivalente a cinco salrios mnimos por dia de mora, no caso de descumprimento de cronograma da obra.A determinao parte de ao civil pblica impetrada pelo Ministrio Pblico de Santa Catarina, por intermdio da 13 Promotoria de Justia da Comarca de Lages e julgada pro-cedente. Entre os argumentos, a negligncia quanto manuten-o, por parte do proprietrio (Governo do Estado) e da Funda-o Cultural de Lages, bem como da Fundao Catarinense de Cul-tura, na conservao do Sobrado Coronel Aristiliano Ramos ou Sobrado Belisrio Ramos.A sentena do Juiz de Direi-

    to Altamiro de Oliveira ainda prev a condenao dos rus ao pagamento de danos morais no valor de R$ 20 mil, que ser revertida para o Fundo de Reconstituio de Bens Lesados do Estado de Santa Catarina.Lei Orgnica do MunicpioConforme a Lei Orgnica do

    Municpio de Lages constituem o patrimnio cultural lageano, os bens de natureza material e imaterial, tomados individu-almente, ou em conjunto, por-tadores de referencia iden-tidade, ao, memria dos diferentes grupos formadores da sociedade brasileira, nos quais se incluem:

    No Art. 200, inciso 4, h uma relao de bens consid-erados patrimnios histricos em Lages, entre eles, a Catedral Diocesana; o Mercado Munici-pal; o Colgio Vidal Ramos e o Colgio Aristiliano Ramos, no caso, no tombado, e

    sim, protegido. J o inciso 6, prev que o patrimnio cul-tural material, de que trata o Art. 200, no ser modificado, destrudo ou restaurado, sem o prvio parecer do Conselho Municipal de Cultura.

    Nesse caso, conforme expli-cou o diretor de polticas cul-turais, da Fundao Cultural, Gilson Mximo de Oliveira, o Conselho Municipal de Patri-mnio Cultural (Compac), depois de vrias reunies, avaliou o processo demolio e deu respaldo favorvel, ao entender que houve justifi-cativa para tanto, ou seja, a partir da apresentao de um projeto completo de revital-izao do local, sem prejuzo s caractersticas da cultura local. Alm disso, que tivesse forte apelo para que possa, no futuro, conter um pos-svel esvaziamento do centro comercial de Lages. Antes de tomar a deciso, os conselhei-ros ouviram vrias pessoas e segmentos.

    Muitos lageanos acorda-ram de madrugada nesta quinta-feira, 22 de maio, e ficaram horas numa fila de veculos no Posto Raid 1. Motivo: abastecer seus car-ros com gasolina mais barata (vendida de R$ 3,08 por ape-nas R$ 1,93 sem a incidn-cia de impostos) e protestar contra a elevada carga tribu-tria existente no Brasil. No chamado Dia de Liberdade de Impostos (DLI), desde 2010, a CDL Jovem realizou esta ao para chamar ateno da sociedade sobre o excesso e a elevada carga de impostos que o brasileiro paga sobre tudo o que consome, algo que representa em torno de 40% de tudo o que o pas produz. Em dias corridos significa cinco meses do ano de trab-alho apenas para pagar imp-ostos e tributos. Houve que chegou na fila do posto, s 5 horas da manh.Aline Tamanho, coordena-dora da CDL Jovem, explicou

    que muitas pessoas esti-veram desde madrugada na fila simplesmente pela eco-nomia que faro na compra de 15 litros de gasolina sem impostos. Mas ns, ao distri-buir as senhas, aproveitamos para dar o recado dos objeti-vos maiores da ao. Acredito que com isso mais gente ficar consciente sobre o excesso de impostos que se paga no pas. E assim atingiremos nossos objetivos, destacou.

    Antnio e Beth Neves, do Posto Raid, explicaram que abriram as portas do estabe-lecimento aos jovens da CDL e da ACIL por dois motivos: parceria com a CDL Jovem e apoio causa. claro que com isso nosso posto tam-bm tem boa visibilidade. O mais importante, no entanto, fazer coro nos objetivos do movimento. Afinal, gua mole em pedra dura, tanto bate at que fura. Um dia, quem sabe, pagaremos menos impostos no Brasil, ressaltou.

    Estado e Municpio devem recorrer da deciso. O objetivo demolir o velho prdioTeve quem chegou s 5 horas d