Click here to load reader

1601 leia algumas paginas

  • View
    221

  • Download
    0

Embed Size (px)

DESCRIPTION

 

Text of 1601 leia algumas paginas

  • Captulo iii os direitos poltiCos e o alistameNto eleitoral 23

    Captulo III Os Direitos Polticos e o

    Alistamento Eleitoral

    QUESTES

    1. QUESTES DE CONCURSOS PARA A MAGISTRATURA ESTADUAL.

    01. (FGV Juiz de Direito Substituto-PA/ 2009) So exigncias para o deferimento do pedido de transferncia do ttulo eleitoral:

    a) certido de nascimento ou casamento no novo domiclio e entrada do requerimento no cartrio eleitoral at 90 (noventa) dias da data de eleio.

    b) prova da residncia mnima de 3 (trs) meses no novo domiclio e atestado de comparecimento s duas ltimas eleies.

    c) entrada do requerimento no cartrio eleitoral do novo domiclio at 100 (cem) dias antes da data de eleio e a transcorrncia de pelo menos 1 (um) ano da inscrio primitiva.

    d) certido de nascimento ou casamento no novo domiclio eleitoral e atestado de comparecimento ltima eleio.

    e) transcorrncia de pelo menos 2 (dois) anos da inscrio primitiva e prova de residncia mnima de 12 meses no novo domiclio.

    |COMENTRIOS|.

    Alternativa correta: a banca examinadora anulou a presente questo. A resposta para a mesma se encontra no artigo 18 da Resoluo n 21.538/03, segundo o qual a transferncia do eleitor s ser admitida se satisfeitas as seguintes exigncias: I recebimento do pedido no cartrio eleitoral do novo domiclio no prazo estabelecido pela legislao vigente; II transcurso de, pelo menos, um ano do alistamento ou da ltima transferncia; III residncia mnima de trs meses no novo domiclio, declarada, sob as penas da lei, pelo prprio eleitor (Lei n 6.996/82, art. 8); IV prova de quitao com a Justia Eleitoral. O disposto nos incisos II e III (transcurso de, pelo menos, um ano do alistamento ou da ltima transferncia e residncia mnima de trs meses no novo domiclio) no se aplica transfe-rncia de ttulo eleitoral de servidor pblico civil, militar, autrquico, ou de membro da sua famlia, por motivo de remoo ou transferncia (Lei n 6.996/82, art. 8, pargrafo nico).

    Assertiva A INCORRETA. No h, na legislao em vigor, a exigncia de certido de nascimento ou casamento no novo domiclio para a realizao da transferncia do ttulo eleitoral. Destaque-se, ainda, que a referida transferncia s poder ser efetivada at 151 dias antes das eleies, conforme disposio do artigo 91 da Lei n 9.504/97, o qual dispe que nenhum requerimento de inscrio elei-toral ou de transferncia ser recebido dentro dos cento e cinquenta dias anteriores data da eleio.

    Assertiva B INCORRETA. Exige-se a prova de quitao com a Justia Eleitoral e no simples-mente h comprovao da votao nas duas ltimas eleies, como afirmado.

  • 24 Jaime Barreiros Neto

    Assertiva C INCORRETA. O Cdigo Eleitoral, em seu artigo 67, dispunha que nenhum requeri-mento de inscrio eleitoral ou de transferncia ser recebido dentro dos 100 (cem) dias anteriores data da eleio. Esta regra, entretanto, foi revogada pelo artigo 91 da Lei n 9.504/97, a qual passou a dispor que nenhum requerimento de inscrio eleitoral ou de transferncia ser recebido dentro dos cento e cinquenta dias anteriores data da eleio.

    Assertiva D INCORRETA. No h, na legislao em vigor, a exigncia de certido de nascimento ou casamento no novo domiclio para a realizao da transferncia do ttulo eleitoral. Alm disso, exi-ge-se a prova de quitao com a Justia Eleitoral e no simplesmente h comprovao da votao na ltima eleio, como afirmado.

    Assertiva E INCORRETA. A legislao em vigor exige transcurso de, pelo menos, um ano do alistamento ou da ltima transferncia; e residncia mnima de trs meses no novo domiclio, decla-rada, sob as penas da lei, pelo prprio eleitor.

    02. (FCC Juiz Substituto MS/ 2010) O alistamento eleitoral NO

    a) facultativo para os naturalizados.

    b) facultativo para os analfabetos.

    c) facultativo para os maiores de setenta anos.

    d) facultativo para os maiores de dezesseis e menores de dezoito anos.

    e) obrigatrio para os maiores de dezoito anos.

    |COMENTRIOS|.

    Alternativa correta: Assertiva A. O alistamento eleitoral e o voto so obrigatrios, no Brasil, para todos os brasileiros natos e naturalizados, desde que alfabetizados, maiores de 18 anos e menores de 70 anos. Para os brasileiros entre 16 e 18 anos e maiores de 70 anos, alm dos analfabetos a partir de 16 anos, o voto e o alistamento so facultativos. Para quem o alistamento facultativo, o voto tambm o ser. Estrangeiros no podem votar no Brasil, a no ser que se naturalizem brasileiros. Neste caso, devero estes, obrigatoriamente, se alistar como eleitores no prazo de at um ano aps a naturaliza-o.

    03. (Vunesp Juiz Substituto MT 2009) Leia as seguintes afirmaes.

    I. O requerimento de inscrio eleitoral submetido ao juiz, que pode deferir o pedido, indeferi-lo ou ainda converter o julgamento em diligncia. Em caso de indeferimento, cabe recurso inter-posto pelo alistando, no prazo de 10 (dez) dias.

    II. Nenhum requerimento de inscrio eleitoral ou de trans ferncia ser recebido dentro dos cento e cinquenta dias anteriores data da eleio.

    III. Os oficiais de Registro Civil devem enviar ao juiz eleito ral da zona em que oficiarem, at o dia 10 de cada ms, comunicao dos bitos de cidados alistveis ocorridos no ms anterior, para cancela-mento das inscries.

    IV. O menor que completar 16 (dezesseis) anos de idade at a data da eleio pode se habilitar como eleitor, no prazo de requerimento de inscrio eleitoral ou transferncia. No entanto, seu ttulo somente surtir efeitos quando completar a idade de 16 (dezesseis) anos.

    Esto corretas somente as assertivas

    a) I e II.

    b) II e III.

    c) II e IV.

    d) III e IV.

  • Captulo iii os direitos poltiCos e o alistameNto eleitoral 25

    e) I e IV.

    |COMENTRIOS|.

    Nota do autor: Eventualmente, podero ocorrer irregularidades no processo de alistamento de eleitores. Sempre que um brasileiro estiver inscrito como eleitor com infrao legislao eleitoral, a Justia Eleitoral poder ser acionada para proceder a excluso ou cancelamento do ttulo irregular. Qualquer eleitor, assim como o Ministrio Pblico, partidos polticos e, at mesmo, o Juiz Eleitoral, de ofcio, poder provocar a deflagrao de procedimento de excluso de eleitor. Considera-se como eleio, para os fins do inciso V do artigo 71 do Cdigo Eleitoral, segundo o entendimento do TSE, turno de eleio ou mesmo consulta popular (plebiscito ou referendo). Assim, se o eleitor deixa de votar no primeiro e segundo turnos de uma eleio e em plebiscito que ocorra a seguir, seu ttulo dever ser cancelado. As hipteses de suspenso e perda dos direitos polticos esto previstas no artigo 15 da Constituio Federal. de se destacar que a perda ser sempre definitiva, enquanto que a suspenso dos direitos polticos temporria. S h perda de direitos polticos no Brasil que o eleitor deixa de ser brasileiro.

    Alternativa correta: assertiva C. II e IV esto corretas.

    Afirmativa I ERRADA. A lei n 6.996/82, em seu artigo 7, 1, estabelece que o referido prazo de 05 dias para interposio do recurso pelo alistando.

    Afirmativa II CORRETA. Norma prevista no artigo 91 da Lei n 9.504/97, o qual dispe que nenhum requerimento de inscrio eleitoral ou de transferncia ser recebido dentro dos cento e cinqenta dias anteriores data da eleio.

    Afirmativa III ERRADA. De acordo com o artigo 71, 3 do Cdigo Eleitoral, ss oficiais de regis-tro civil, sob as penas do art. 293, enviaro, at o dia 15 (quinze) de cada ms, ao Juiz Eleitoral da Zona em que oficiarem, comunicao dos bitos de cidados alistveis, ocorridos no ms anterior, para cancelamento das inscries.

    Afirmativa IV CORRETO. o que dispe o artigo 14 da Resoluo TSE n 21.538/03, in verbis:

    Art. 14. facultado o alistamento, no ano em que se realizarem eleies, do menor que completar 16 anos at a data do pleito, inclusive.

    1 O alistamento de que trata o caput poder ser solicitado at o encerramento do prazo fixado para requerimento de inscrio eleitoral ou transferncia.

    2 O ttulo emitido nas condies deste artigo somente surtir efeitos com o implemento da idade de 16 anos (Res. TSE n 19.465, de 12.3.96).

    04. (CESPE Juiz de Direito Substituto-CE/ 2012) Assinale a opo correta no que se refere a alista-mento eleitoral, segunda via, transferncia, delegados partidrios perante o alistamento, cancelamento e excluso de eleitor, reviso e correio eleitorais.

    a) A suspenso de direitos polticos no acarreta cancelamento da inscrio de eleitor, enquanto a perda de tais direitos gera o cancelamento de sua inscrio.

    b) A reviso do eleitorado ordenada por tribunal regional eleitoral quando, realizada correio em determinada zona ou municpio por ele determinada, fica provada a fraude em proporo com-prometedora.

    c) Em caso de transferncia de domiclio eleitoral para unidade da Federao diversa da originria, o nmero de inscrio do eleitor ser alterado.

    d) Nenhum requerimento de inscrio eleitoral, transferncia ou segunda via deve ser recebido den-tro do prazo de cento e cinquenta dias anteriores data da eleio.

    e) Os partidos tm legitimidade para requerer, por seus delegados, a excluso de qualquer eleitor, no detendo legitimidade, entretanto, para assumir a defesa de eleitor cuja excluso esteja sendo promovida.

  • 26 Jaime Barreiros Neto

    |COMENTRIOS|.

    Nota do autor: De acordo com o artigo 15 da Constituio Federal de 1988, vedada a cas-sao de direitos polticos, cuja perda ou suspenso s se dar nos casos de: I cancelamento da naturalizao por sentena transitada em julgado; II incapacidade civil absoluta; III condenao criminal transitada em julgado, enquanto durarem seus efeitos; IV recusa de cumprir obrigao a todos imposta ou prestao alternativa, nos termos do art. 5, VIII; V improbidade administrativa, nos termos do art. 37, 4. Podemos afirmar que a perda dos direitos polticos definitiva, enquanto que a suspenso temporria. Diante desta diferenciao, possvel concluir que a nica hiptese de perda de direitos polticos prevista no ordenamento jurdico brasileiro ocorre quando o indivduo perde a sua nacionalidade, seja em ao de cancelamento de naturalizao, ou seja, voluntariamente. Deixando de ser brasileiro, o indivduo fica, evidentemente, impedido de exercer direitos polticos no Brasil, de forma definitiva.

    Alternativa correta: assertiva b. Anualmente, de forma ordinria, ou extraordinariamente, sem-pre que entender necessrio ou ante a existncia de indcios de irregularidade, o corregedor-regional eleitoral realizar correio do eleitorado, a fim de verificar se existem irregularidades no processo de alistamento eleitoral que comprometam a normalidade e a legitimidade das eleies (excesso de elei-tores em determinado municpio, acima da mdia populacional, ou inscrio de eleitores falecidos, por exemplo). Caso, na correio, seja comprovada irregularidade comprometedora, ser realizada a reviso do eleitorado, procedimento equivalente a um recadastramento, a partir do qual todos os eleitores de determinada zona ou regio sero convocados para uma reviso eleitoral, sob pena de cancelamento do ttulo. O procedimento de reviso eleitoral poder ser provocado mediante denn-cia fundamentada de fraude no alistamento em zona ou municpio, dirigida ao TRE. Provada a fraude em proporo comprometedora, TRE determina reviso, comunicando ao TSE.

    Assertiva A INCORRETA. A suspenso dos direitos polticos tambm acarreta o cancelamento do alistamento eleitoral.

    Assertiva C INCORRETA. O nmero ser preservado, uma vez que trata-se de transferncia e no de novo alistamento.

    Assertiva D INCORRETA. justamente o contrrio. O cadastro de eleitores fica fechado nos 150 dias anteriores ao pleito.

    Assertiva E INCORRETA. O partido tem legitimidade para a defesa do eleitor cuja excluso esteja sendo promovida.

    05. (CESPE Juiz de Direito Substituto-ES/ 2012) Acerca de alistamento eleitoral, transferncia, dele-gados partidrios perante o alistamento, cancelamento e excluso de eleitor, reviso e correio eleito-rais, assinale a opo correta.

    a) Sempre que tiver conhecimento de alguma das causas do cancelamento da inscrio, o juiz eleito-ral determinar de ofcio a excluso do eleitor, dispensando-se instaurao de processo especfico.

    b) Para que o TSE determine de ofcio a reviso ou correio das zonas eleitorais, basta que o total de transferncias de eleitores ocorridas no ano em curso seja 10% superior ao do ano anterior; ou que o eleitorado seja superior ao dobro da populao entre dez e quinze anos, somada de idade superior a setenta anos, do territrio do municpio; ou, ainda, que o eleitorado seja superior a 55% da popula-o projetada para aquele ano pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatstica para o municpio.

    c) Para a transferncia de ttulo eleitoral de servidor pblico civil, militar, autrquico, ou de membro de sua famlia, por motivo de remoo ou transferncia, no se exigem o transcurso de um ano do alistamento ou da ltima transferncia nem a residncia mnima de trs meses no novo domiclio.

    d) Nenhum requerimento de inscrio eleitoral ou de transferncia ser recebido dentro dos cento e oitenta dias anteriores data da eleio, perodo considerado de suspenso do alistamento.

  • Captulo iii os direitos poltiCos e o alistameNto eleitoral 27

    e) Aos delegados dos partidos polticos perante o alistamento facultado promover a excluso de qualquer eleitor inscrito ilegalmente, mas no lhes permitido assumir a defesa do eleitor cuja excluso esteja sendo promovida.

    |COMENTRIOS|.

    Nota do autor: De grande relevncia a distino estabelecida entre alistamento eleitoral, transferncia eleitoral, reviso eleitoral e segunda via, prevista nos artigos 4 a 7 da Resoluo n 21.538/03, conforme a seguinte tabela:

    Distino entre alistamento eleitoral, transferncia, reviso e segunda via

    alistamento: quando o alistando requerer inscrio e em seu nome no for identificada inscrio em nenhuma zona eleitoral do pas ou exterior, ou a nica inscrio localizada estiver cancelada por determinao de auto-ridade judiciria.

    transferncia: ocorre sempre que o eleitor desejar alterar seu domiclio eleitoral. Neste caso, mantido o nmero do ttulo de eleitor.

    reviso: ocorre quando o eleitor necessitar alterar local de votao no mesmo municpio, ainda que haja mudana de zona eleitoral, retificar dados pessoais ou regularizar situao de inscrio cancelada por faleci-mento, duplicidade/pluralidade, deixar de votar em trs eleies consecutivas e reviso do eleitorado, desde que comprovada a inexistncia de outra inscrio regular ou suspensa para o eleitor.

    segunda via: ocorre quando o eleitor estiver inscrito e em situao regular na zona por ele procurada e desejar apenas a segunda via do seu ttulo eleitoral, sem nenhuma alterao.

    nos casos de reviso e segunda via, a data de domiclio do eleitor no ser alterada.

    O eleitor com ttulo cancelado s ser obrigado a novo alistamento, recebendo novo nmero de ttulo eleitoral, em caso de cancelamento do ttulo por determinao de autoridade judiciria. Quando o ttulo eleitoral vier a ser cancelado por outros motivos, ter direito, o eleitor, manuteno do nmero originrio do seu ttulo

    Alternativa correta: assertiva c. Segundo o art. 18 da Resoluo n 21.538/03, a transferncia do eleitor s ser admitida se satisfeitas as seguintes exigncias: I recebimento do pedido no cartrio eleitoral do novo domiclio no prazo estabelecido pela legislao vigente; II transcurso de, pelo menos, um ano do alistamento ou da ltima transferncia; III residncia mnima de trs meses no novo domiclio, declarada, sob as penas da lei, pelo prprio eleitor (Lei n 6.996/82, art. 8); IV prova de quitao com a Justia Eleitoral. O disposto nos incisos II e III (transcurso de, pelo menos, um ano do alistamento ou da ltima transferncia e residncia mnima de trs meses no novo domiclio) no se aplica transferncia de ttulo eleitoral de servidor pblico civil, militar, autrquico, ou de membro da sua famlia, por motivo de remoo ou transferncia (Lei n 6.996/82, art. 8, pargrafo nico).

    Assertiva A INCORRETA. Sempre que ficar comprovada a burla ao artigo 42, pargrafo nico, do Cdigo Eleitoral ser possvel a instaurao de procedimento de cancelamento da inscrio, para excluso do eleitor. Instaurado o procedimento, dever ser publicado edital para contestao em 05 dias, dilao probatria em 05 a 10 dias e deciso no prazo de mais 05 dias, cabendo recurso em trs dias, sem efeito suspensivo. Partidos polticos tanto podem desencadear o processo como tambm assumir a defesa do eleitor cuja excluso esteja sendo questionada (art. 27, II da Resoluo TSE n 21.538/03). O procedimento para a excluso e cancelamento do ttulo de eleitor irregular poder ser instaurado a qualquer tempo, sem prazo decadencial ou prescricional.

    Assertiva B INCORRETA. O TSE determinar, de ofcio, a reviso sempre que: I total de trans-ferncias de eleitores ocorridas no ano em curso seja dez por cento superior do ano anterior; II eleitorado for superior ao dobro da populao entre dez e quinze anos, somada idade superior a 70 anos do territrio daquele municpio; III eleitorado for superior a 65% da populao projetada para aquele ano pelo IBGE

    Assertiva D INCORRETA. Tal prazo de 150 dias, e na de 180, como afirmado.

  • 28 Jaime Barreiros Neto

    Assertiva E INCORRETA. O partido tem legitimidade para a defesa do eleitor cuja excluso esteja sendo promovida.

    06. (FCC Juiz de Direito Substituto-GO/ 2012) Relativamente ao alistamento eleitoral, INCORRETO afirmar que

    a) o alistamento se faz mediante a qualificao e inscrio do eleitor.

    b) para o efeito da inscrio, domiclio eleitoral o lugar de residncia ou moradia do requerente, e, verificado ter o alistando mais de uma, considerar-se- domiclio aquela que coincida com o seu local de trabalho.

    c) o alistando apresentar em cartrio ou local previamente designado, requerimento em frmula que obedecer ao modelo aprovado pelo Tribunal Superior.

    d) poder o juiz se tiver dvida quanto a identidade do requerente ou sobre qualquer outro requisito para o alistamento, converter o julgamento em diligncia para que o alistando esclarea ou com-plete a prova ou, se for necessrio, comparea pessoalmente sua presena.

    e) os cegos alfabetizados pelo sistema Braille, que reunirem as demais condies de alistamento, podem qualificar-se mediante o preenchimento da frmula impressa e a aposio do nome com as letras do referido alfabeto.

    |COMENTRIOS|.

    Alternativa correta: assertiva b. ERRADO. Segundo jurisprudncia consolidada do TSE (Ac. 18.124, de 16.11.00, do TSE, RJTSE, v. 12, t.3), o domiclio eleitoral no se confunde, necessariamente, com o domiclio civil. Assim, o fato de o eleitor residir em determinado municpio no constitui bice para que o mesmo se aliste como eleitor de outro, desde que com este outro mantenha vnculos (negcios, propriedades, atividades polticas etc.). o chamado domiclio eleitoral afetivo.

    Assertiva A CERTO. O alistamento eleitoral, segundo o artigo 42 do Cdigo Eleitoral, se faz mediante a qualificao e a inscrio do eleitor. A qualificao o ato atravs do qual o indivduo faz prova que satisfaz as exigncias legais para se tornar eleitor. J a inscrio o registro da pretenso condio de eleitor, realizada por servidor da Justia Eleitoral a partir de postulao do cidado. atra-vs do preenchimento de formulrio especfico denominado RAE (requerimento de alistamento elei-toral) que se realiza a postulao ao alistamento eleitoral. O RAE serve como documento de entrada de dados e processado eletronicamente, em todo o territrio nacional, por servidor da Justia Elei-toral, na presena do eleitor.

    Assertiva C CERTO. atravs do preenchimento de formulrio especfico denominado RAE (requerimento de alistamento eleitoral) que se realiza a postulao ao alistamento eleitoral. O RAE serve como documento de entrada de dados e processado eletronicamente, em todo o territrio nacional, por servidor da Justia Eleitoral, na presena do eleitor.

    Assertiva D CERTO. O juiz pode at mesmo indeferir o alistamento, podendo firmar o seu con-vencimento da forma ilustrada na questo, conforme previso da Resoluo n 21.538/03.

    Assertiva E CERTO. O alistamento obrigatrio tambm para os cegos, os quais podero se utilizar do sistema Braille para tal procedimento.

    07. (CESPE Juiz de Direito Substituto-PI/ 2012) Assinale a opo correta acerca do alistamento eleito-ral e de procedimentos a ele correlatos.

    a) No caso de transferncia de domiclio eleitoral, ser alterado o nmero de inscrio originrio do eleitor.

    b) Os partidos polticos podem requerer, por seus delegados, a excluso de qualquer eleitor inscrito ilegalmente, sendo-lhes, contudo, vedada, por inexistncia de interesse jurdico, a defesa de elei-tor cuja excluso seja promovida.

  • Captulo iii os direitos poltiCos e o alistameNto eleitoral 29

    c) Para o acompanhamento e exame dos procedimentos de alistamento, transferncia, reviso e segunda via de ttulo eleitoral, os partidos polticos podem manter, em cada zona eleitoral, at dois delegados, que podero atuar simultaneamente.

    d) As revises de eleitorado devero ser presididas pelo corregedor regional eleitoral.

    e) Para efeito do processamento eletrnico do alistamento eleitoral, dever ser consignada OPERAO 1 ALISTAMENTO quando o alistando requerer inscrio e, em seu nome, for localizada uma nica inscrio cancelada por determinao de autoridade judiciria (Fase 450).

    |COMENTRIOS|.

    Alternativa correta: assertiva e. CERTO. No caso de inscrio cancelada por determinao de autoridade judicial, o eleitor dever se alistar novamente, fazendo novo ttulo com novo nmero de inscrio.

    Assertiva A INCORRETO. No h alterao de nmero de inscrio na transferncia de ttulo.

    Assertiva B INCORRETO Os partidos podero sim fazer a defesa do eleitor cuja excluso do cadastro esteja sendo promovida.

    Assertiva C INCORRETO. O limite de trs delegados e no de dois, segundo o art. 28 da Reso-luo n 21.538/03.

    Assertiva D INCORRETO O juiz eleitoral da zona submetida reviso dever presidir os traba-lhos, que podero ser fiscalizados pelos partidos polticos, dando incio aos procedimentos no prazo mximo de 30 dias da aprovao da reviso pelo tribunal competente. O TRE, atravs da corregedoria regional, inspecionar os trabalhos de reviso, que devero ter ampla divulgao junto ao eleitorado.

    08. (CESPE Juiz de Direito Substituto-PA/ 2012) Olavo, mdico com vinte e cinco anos de idade, em cumprimento do servio militar obrigatrio no Comando Areo Regional de Belm PA, pretendendo votar nas eleies de 2012, requereu, no prazo fixado para requerimento, inscrio como eleitor. Nessa situao, de acordo com as disposies contidas na CF e na legislao aplicvel, o juiz eleitoral deve

    a) deferir o pedido, desde que o requerente apresente documento assinado pelo comandante do referido comando areo, referendando o pedido de alistamento eleitoral do oficial mdico.

    b) deferir o pedido caso o requerente comprove, em documento oficial do comando areo, o licen-ciamento do contingente de mdicos at um ms antes da data da eleio.

    c) indeferir o pedido, deciso da qual cabe recurso, em razo de o conscrito no poder alistar-se como eleitor durante o perodo do servio militar obrigatrio.

    d) indeferir o pedido caso o requerente, no tendo pleiteado a inscrio at o final do ano subse-quente ao ano em que completou dezoito anos de idade, no apresente prova do pagamento da multa pelo atraso do alistamento eleitoral.

    e) deferir o pedido, com base no fato de ser a inscrio eleitoral dever legalmente imposto a todo brasileiro com mais de dezoito anos de idade e direito lquido e certo a ele garantido.

    |COMENTRIOS|.

    Alternativa correta: assertiva c. A aquisio da capacidade poltica, para todos os brasileiros alfabetizados, inclusive os naturalizados, obrigatria aos maiores de 18 e menores de 70 anos de idade, conforme previso do artigo 14 da Constituio Federal de 1988, salvo os conscritos (art. 14, 2 da CF/88), durante o perodo do servio militar obrigatrio (conscrito aquele indivduo recrutado para o servio militar obrigatrio). O mdico citado no exemplo da questo encontra-se na condio de conscrito. Responde as demais.

    09. (FCC Juiz Substituto RR/ 2008) A recusa de cumprimento de obrigao a todos imposta ou prestao alternativa, acarreta

  • 30 Jaime Barreiros Neto

    a) somente a imposio de pena pecuniria.

    b) a cassao dos direitos polticos.

    c) a perda dos direitos polticos.

    d) a suspenso dos direitos polticos.

    e) somente a aplicao de pena privativa de liber dade.

    |COMENTRIOS|.

    Nota do autor: Podemos afirmar que a perda dos direitos polticos definitiva, enquanto que a suspenso temporria. Diante desta diferenciao, possvel concluir que a nica hiptese de perda de direitos polticos prevista no ordenamento jurdico brasileiro ocorre quando o indivduo perde a sua nacionalidade, seja em ao de cancelamento de naturalizao, ou seja, voluntariamente. Deixando de ser brasileiro, o indivduo fica, evidentemente, impedido de exercer direitos polticos no Brasil, de forma definitiva. A cassao dos direitos polticos, caracterizada como uma imposio arbi-trria, tambm vedada no direito brasileiro. de se destacar que a suspenso dos direitos polticos atinge a capacidade poltica passiva e tambm a ativa do cidado.

    Alternativa correta: assertiva D Acarreta a suspenso dos direitos polticos.

    10. (FCC Juiz Substituto RR/ 2008) A respeito dos direitos polticos, correto afirmar:

    a) A lei que alterar o processo eleitoral entrar em vigor na data de sua publicao, mas no se apli-car eleio que ocorra at um ano da data de sua vigncia.

    b) Para candidatar-se a Governador de Estado, dentre outras condies de elegibilidade na forma da lei, exige-se a idade mnima de 21 anos.

    c) O mandato eletivo poder ser impugnado ante a Justia Eleitoral no prazo mximo de 30 dias contados da diplomao.

    d) A condenao criminal ainda no transitada em julgado implica em suspenso dos direitos polti-cos.

    e) A ao de impugnao de mandato, por fora do princpio da transparncia, no tramitar em segredo de justia e o autor no responder por litigncia de m-f.

    |COMENTRIOS|.

    Alternativa correta: Assertiva A CORRETA. o princpio da anualidade eleitoral, previsto ano artigo 16 da Constituio Federal, de fundamental importncia para a preservao da segurana jur-dica, o qual dispe que a lei que alterar o processo eleitoral entrar em vigor na data da sua publica-o, no se aplicando eleio que ocorra at um ano da data da sua vigncia. Evita-se, a partir da aplicao do princpio da anualidade, que as normas eleitorais sejam modificadas faltando menos de um ano e um dia para as eleies, prejudicando o equilbrio da disputa, com a mudana das regras do jogo.

    Assertiva B ERRADA. A idade mnima para um brasileiro candidatar-se a governador, de acordo com a Constituio Federal, 30 anos. A referida idade dever ser verificada na data da posse.

    Assertiva C ERRADA. O prazo ser de 15 dias, a contar da data da diplomao (artigo 14, 10 da Constituio Federal de 1988).

    Assertiva D ERRADA. Mesmo aps a publicao da Lei da Ficha Limpa, em 2010 (aps a elabo-rao da questo, portanto), condenao criminal no transitada em julgado no implica suspenso dos direitos polticos (com restrio das capacidades polticas ativa e passiva). O mximo que pode acontecer, caso haja condenao criminal pendente de recurso decidida por rgo judicial colegiado, a inelegibilidade (restrio apenas da capacidade poltica passiva).

    Assertiva E ERRADA. Em virtude de mandamento constitucional (artigo 14, 11), a AIME trami-tar em segredo de justia.

  • Captulo iii os direitos poltiCos e o alistameNto eleitoral 31

    11. (FGV Juiz Substituto MS/ 2008) O domiclio eleitoral:

    a) subsume-se ao local em que a pessoa tenha vnculos sociais e empresariais.

    b) deve ser analisado de forma restritiva para evitar fraudes.

    c) conceito que se identifica com o de domiclio civil.

    d) requer prova, a despeito de declarao escrita do eleitor.

    e) no caso de funcionrio pblico obrigatoriamente o seu domiclio legal ou de lotao.

    |COMENTRIOS|.

    Nota do autor: De acordo com o pargrafo nico do artigo 42 do Cdigo Eleitoral, o domiclio eleitoral o lugar de residncia ou moradia do requerente e, verificado ter o alistando mais de uma, considerar-se- domiclio qualquer delas. Segundo jurisprudncia consolidada do TSE (Ac. 18.124, de 16.11.00, do TSE, RJTSE, v. 12, t.3), o domiclio eleitoral no se confunde, necessariamente, com o domi-clio civil. Assim, o fato de o eleitor residir em determinado municpio no constitui bice para que o mesmo se aliste como eleitor de outro, desde que com este outro mantenha vnculos (negcios, propriedades, atividades polticas etc.). o chamado domiclio eleitoral afetivo.

    Alternativa correta: Assertiva A CORRETA. o chamado domiclio afetivo, explicado na nota acima.

    Assertiva B ERRADA. Como visto, o TSE, em sua jurisprudncia, ampliou o conceito de domi-clio eleitoral.

    Assertiva C ERRADA. O domiclio eleitoral pode abranger o chamado domiclio afetivo.

    Assertiva D ERRADA. A lei 6.996/82 dispensou a prova do domiclio pelo alistando, bastando a autodeclarao, sob as penas da lei.

    Assertiva E ERRADA. De acordo com o pargrafo nico do artigo 42 do Cdigo Eleitoral, o domiclio eleitoral o lugar de residncia ou moradia do requerente e, verificado ter o alistando mais de uma, considerar-se- domiclio qualquer delas.

    2. QUESTES DE CONCURSO PARA O MINISTRIO PBLICO ESTADUAL (PROMO-TOR DE JUSTIA).

    12. (FCC Promotor de Justia-CE/ 2011) Segundo a Constituio Federal o alistamento eleitoral e o voto so:

    a) obrigatrios para os maiores de dezesseis anos.

    b) facultativos para os estrangeiros residentes no pas h mais de trs anos.

    c) facultativos para os analfabetos e os conscritos du rante o servio militar obrigatrio.

    d) obrigatrio o alistamento e facultativo o voto dos maiores de dezesseis e menores de dezoito anos.

    e) facultativos para os maiores de setenta anos.

    |COMENTRIOS|.

    Alternativa correta: alternativa e: O alistamento eleitoral e o voto so obrigatrios, no Brasil, para todos os brasileiros natos e naturalizados, desde que alfabetizados, maiores de 18 anos e meno-res de 70 anos. Para os brasileiros entre 16 e 18 anos e maiores de 70 anos, alm dos analfabetos a partir de 16 anos, o voto e o alistamento so facultativos. Para quem o alistamento facultativo, o voto tambm o ser. Estrangeiros no podem votar no Brasil, a no ser que se naturalizem brasileiros. Neste caso, devero estes, obrigatoriamente, se alistar como eleitores no prazo de at um ano aps a naturalizao.

  • 32 Jaime Barreiros Neto

    13. (CESPE Promotor de Justia-RN/ 2009) No Brasil, o alistamento e o voto so obrigatrios nos termos constitucionais. No que se refere a esse assunto, assinale a opo correta.

    a) O eleitor que no votar em duas eleies consecutivas ter cancelada a sua inscrio.

    b) O bito do eleitor deve ser comunicado justia eleitoral pelos herdeiros necessrios.

    c) A pluralidade de inscries eleitorais resolvida mediante o cancelamento de ofcio das inscries mais antigas.

    d) Qualquer eleitor tem legitimidade para requerer da justia eleitoral a excluso de eleitor que tiver suspensos os direitos polticos.

    e) Eleitor objeto de processo por alistamento fraudulento tem a sua inscrio suspensa cautelar-mente.

    |COMENTRIOS|.

    Nota do autor: Eventualmente, podero ocorrer irregularidades no processo de alistamento de eleitores. Sempre que um brasileiro estiver inscrito como eleitor com infrao legislao eleitoral, a Justia Eleitoral poder ser acionada para proceder a excluso ou cancelamento do ttulo irregular. Qualquer eleitor, assim como o Ministrio Pblico, partidos polticos e, at mesmo, o Juiz Eleitoral, de ofcio, poder provocar a deflagrao de procedimento de excluso de eleitor. Considera-se como eleio, para os fins do inciso V do artigo 71 do Cdigo Eleitoral, segundo o entendimento do TSE, turno de eleio ou mesmo consulta popular (plebiscito ou referendo). Assim, se o eleitor deixa de votar no primeiro e segundo turnos de uma eleio e em plebiscito que ocorra a seguir, seu ttulo dever ser cancelado. As hipteses de suspenso e perda dos direitos polticos esto previstas no artigo 15 da Constituio Federal. de se destacar que a perda ser sempre definitiva, enquanto que a suspenso dos direitos polticos temporria. sugerimos a releitura do trecho adequando a explica-o para uma melhor compreenso

    Alternativa correta: assertiva d: CORRETO. Regra prevista no artigo 71, 1 do Cdigo Eleitoral.

    Assertiva a: INCORRETO. O cancelamento da inscrio ocorrer caso o eleitor deixe de votar e justificar a ausncia por trs pleitos consecutivos.

    Assertiva b: INCORRETO. A comunicao realizada pelos rgos estatais competentes.

    Assertiva c: INCORRETO. Conferir artigo 75 do Cdigo Eleitoral, o qual dispe que:Art. 75. O Tribunal Regional, tomando conhecimento atravs de seu fichrio, da inscrio do mesmo eleitor em mais de uma Zona sob sua jurisdio, comunicar o fato ao Juiz competente para o cancelamento, que de preferncia dever recair:

    I. na inscrio que no corresponda ao domiclio eleitoral;

    II. naquela cujo ttulo no haja sido entregue ao eleitor;

    III. naquela cujo ttulo no haja sido utilizado para o exerccio do voto na ltima eleio;

    IV. na mais antiga.

    Assertiva e: INCORRETO.De acordo com o artigo 72 do Cdigo Eleitoral, durante o processo e at a excluso pode o eleitor votar validamente.

    14. (FCC Promotor de Justia AP/2012) A reviso do eleitorado

    a) no poder ser presidida pelo juiz eleitoral da zona submetida reviso, devendo ser designado pelo Tribunal Regional Eleitoral outro juiz para exercer essas funes.

    b) poder ser ordenada de ofcio pelo Tribunal Superior Eleitoral quando o total de transferncias de eleito res ocorridas no ano em curso seja dez por cento superior ao do ano anterior.

    c) poder ser ordenada de ofcio pelo Tribunal Regio nal Eleitoral quando o eleitorado for superior a ses senta e cinco por cento da populao projetada para aquele ano pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatstica IBGE.

  • Captulo iii os direitos poltiCos e o alistameNto eleitoral 33

    d) poder ser realizada em ano eleitoral, independen temente de autorizao do Tribunal Superior Eleito ral, quando houver representao nesse sentido do Corregedor Regional Eleitoral.

    e) poder ser ordenada de ofcio pelo Tribunal Regio nal Eleitoral quando o eleitorado for superior ao do bro da populao entre dez e quinze anos, somada de idade superior a setenta anos no territrio da quele municpio.

    |COMENTRIOS|.

    Nota do autor: Anualmente, de forma ordinria, ou extraordinariamente, sempre que entender necessrio ou ante a existncia de indcios de irregularidade, o corregedor-regional eleitoral realizar correio do eleitorado, a fim de verificar se existem irregularidades no processo de alistamento elei-toral que comprometam a normalidade e a legitimidade das eleies (excesso de eleitores em determi-nado municpio, acima da mdia populacional, ou inscrio de eleitores falecidos, por exemplo). Caso, na correio, seja comprovada irregularidade comprometedora, ser realizada a reviso do eleitorado, procedimento equivalente a um recadastramento, a partir do qual todos os eleitores de determinada zona ou regio sero convocados para uma reviso eleitoral, sob pena de cancelamento do ttulo. O pro-cedimento de reviso eleitoral poder ser provocado mediante denncia fundamentada de fraude no alistamento em zona ou municpio, dirigida ao TRE. Provada a fraude em proporo comprometedora, TRE determina reviso, comunicando ao TSE. O juiz eleitoral da zona submetida reviso dever presidir os trabalhos, que podero ser fiscalizados pelos partidos polticos, dando incio aos procedimentos no prazo mximo de 30 dias da aprovao da reviso pelo tribunal competente. O TRE, atravs da cor-regedoria regional, inspecionar os trabalhos de reviso, que devero ter ampla divulgao junto ao eleitorado. Edital dever ser publicado pelo juiz cinco dias antes do incio dos trabalhos, comunicando a populao. O juiz eleitoral prolatar sentena de cancelamento dos ttulos no revisados, cabendo recurso, no prazo de 03 dias, ao TRE. Aps, o juiz far relatrio e o encaminhar Corregedoria Regional Eleitoral. Por fim, o Corregedor Regional Eleitoral, ouvido o Ministrio Pblico, indica eventuais provi-dncias a serem tomadas, se verificar irregularidades na realizao dos trabalhos, e submete o relatrio ao TRE, para homologao, se entender regular os trabalhos revisionais.

    Alternativa correta: assertiva b: CORRETO. O TSE determinar, de ofcio, a reviso sempre que: I total de transferncias de eleitores ocorridas no ano em curso seja dez por cento superior do ano anterior; II eleitorado for superior ao dobro da populao entre dez e quinze anos, somada idade superior a 70 anos do territrio daquele municpio; III eleitorado for superior a 65% da populao projetada para aquele ano pelo IBGE

    Assertiva a: INCORRETO. O juiz eleitoral da zona submetida reviso dever presidir os traba-lhos, que podero ser fiscalizados pelos partidos polticos, dando incio aos procedimentos no prazo mximo de 30 dias da aprovao da reviso pelo tribunal competente.

    Assertiva c: INCORRETO. o TSE que faz esta determinao de ofcio, e no o TRE.

    Assertiva d: INCORRETO. Neste caso, dever ocorrer a autorizao do TSE.

    Assertiva e: INCORRETO. O TSE, e no o TRE, far esta determinao.

    15. (CESPE Promotor de Justia-RN/ 2009) A CF e as leis eleitorais brasileiras estabelecem a disci-plina da nacionalidade do candidato, que pode ter particularidades conforme o cargo pretendido. A esse respeito, assinale a opo correta.

    a) Um cidado portugus que goze do estatuto da reciprocidade pode ser candidato a presidente da Repblica.

    b) Em qualquer caso, a dupla nacionalidade de um cidado brasileiro impe a inelegibilidade.

    c) Brasileiro que se naturalizar alemo em virtude de imposio legal da Alemanha perde a capaci-dade eleitoral passiva.

    d) Estrangeiro nacionalizado brasileiro somente pode ser candidato a cargos legislativos.

    e) Cidado brasileiro nascido no exterior e registrado no consulado do Brasil pode ser candidato a presidente da Repblica.

  • 34 Jaime Barreiros Neto

    |COMENTRIOS|.

    Alternativa correta: assertiva e: CORRETO. Nesta hiptese, o referido cidado ser brasileiro nato, conforme previso do artigo 12 da Constituio Federal.

    Assertiva a: INCORRETO. O cargo de Presidente da Repblica privativo de brasileiro nato.

    Assertiva b: INCORRETO. Para fins eleitorais, no importa se o brasileiro tem dupla nacionali-dade.

    Assertiva c: INCORRETO. A Constituio Federal de 1988, em seu artigo 12, prev a possibilidade de brasileiro naturalizado estrangeiro manter a nacionalidade brasileira.

    Assertiva d: INCORRETO. Brasileiro naturalizado pode ser candidato a prefeito e a governador.

    16. (MPE-MS Promotor de Justia MS/2011) Embora eleitores, no podem votar:

    a) os eleitores analfabetos;

    b) Os oficiais, aspirantes a oficiais, subtenentes ou suboficiais, sargentos ou alunos das escolas milita-res de ensino superior para formao de oficiais;

    c) Os eleitores conscritos;

    d) Os estrangeiros naturalizados;

    e) nenhuma das alternativas anteriores.

    |COMENTRIOS|.

    Alternativa correta: assertiva c: CORRETO. Os eleitores conscritos ficam com seus direitos pol-ticos suspensos, durante o servio militar obrigatrio, caso j sejam alistados.

    Assertiva a: INCORRETO. Analfabeto alistado pode votar, s no pode ser votado.

    Assertiva b: INCORRETO. Salvo os conscritos, os militares devem votar.

    Assertiva d: INCORRETO. Estrangeiro naturalizado brasileiro, submetendo-se tambm regra do voto obrigatrio.

    17. (MPE-MS Promotor de Justia MS/2011) Assinale a alternativa incorreta. E vedada a cassao de direitos polticos,

    a) salvo se for decretada a incapacidade civil absoluta;

    b) salvo escusa de conscincia, invocada por quem pretende eximir-se do adimplemento de obriga-o legal a todos imposta (art. 5, VIII, da CF);

    c) salvo se houver condenao criminal transitada em julgado, enquanto durarem seus efeitos;

    d) salvo condenao por improbidade administrativa, nos termos do art. 37, 4 da CF;

    e) todas as alternativas so corretas.

    |COMENTRIOS|.

    Nota do autor: o gabarito oficial determinou a alternativa e como correta. Contudo, a questo deveria ter sido anulada, uma vez que a cassao dos direitos polticos vedada em qualquer hiptese no Brasil. Cassao um termo que denota a retirada arbitrria dos direitos polticos, o que vedado no nosso pas.

    18. (MPE-MS Promotor de Justia MS/2011) Analise as assertivas abaixo.

    I. A perda ou suspenso dos direitos polticos pode acarretar vrias conseqncias jurdicas, e ser automtica, no cabendo mais recurso visando a manuteno dos direitos polticos do cidado.

  • Captulo iii os direitos poltiCos e o alistameNto eleitoral 35

    II. Uma das conseqncias jurdicas da perda ou a suspenso de direitos polticos o cancelamento do alistamento.

    III. No automtica a excluso do corpo de eleitores, em caso de perda ou suspenso dos direitos polticos, devendo seguir um procedimento prprio junto da Justia Eleitoral.

    IV. O eleitor que teve suspenso seus direitos polticos no tem legitimidade para propor ao popular, enquanto perdurar esta situao.

    V. O cidado tem direito a ampla defesa, antes de ser excludo do corpo de eleitores, podendo, se for o caso, requerer produo de prova visando manter os seus direitos polticos.

    a) todos os itens esto corretos;

    b) somente os itens I, III e V esto incorretos;

    c) somente os itens II, III, IV e V esto corretos;

    d) somente os itens I, II e IV esto incorretos;

    e) todos os itens esto incorretos.

    |COMENTRIOS|.

    Alternativa correta: assertiva c. II, III, IV e V esto corretos. De acordo com o artigo 15 da Cons-tituio Federal de 1988, vedada a cassao de direitos polticos, cuja perda ou suspenso s se dar nos casos de: I cancelamento da naturalizao por sentena transitada em julgado; II incapa-cidade civil absoluta; III condenao criminal transitada em julgado, enquanto durarem seus efeitos; IV recusa de cumprir obrigao a todos imposta ou prestao alternativa, nos termos do art. 5, VIII; V improbidade administrativa, nos termos do art. 37, 4. Como j observado, o gozo dos direitos polticos requisito para o exerccio das capacidades polticas ativa e passiva. Da a importncia do estudo das hipteses de perda e suspenso dos direitos polticos, tema que suscita muita confuso na doutrina, e na prpria legislao, tendo em vista a ocorrncia de erros constantes quanto aos con-ceitos de perda e suspenso. Afinal de contas, qual a diferena entre os dois conceitos? Podemos afirmar que a perda dos direitos polticos definitiva, enquanto que a suspenso temporria. Diante desta diferenciao, possvel concluir que a nica hiptese de perda de direitos polticos prevista no ordenamento jurdico brasileiro ocorre quando o indivduo perde a sua nacionalidade, seja em ao de cancelamento de naturalizao, ou seja, voluntariamente. Deixando de ser brasileiro, o indivduo fica, evidentemente, impedido de exercer direitos polticos no Brasil, de forma definitiva. margem da hiptese de perda da nacionalidade brasileira, no restam outras possibilidades de perda de direi-tos polticos no Brasil. Afinal, a Constituio Federal muito clara ao vedar a cassao de direitos polticos. Assim, todas as demais hipteses de impedimento pleno ao exerccio de direitos polticos se vinculam a situaes de suspenso de direitos polticos, de carter temporrio. Exemplos, entretanto, no faltam, no que se refere a erros de conceituao entre perda e suspenso de direitos polticos na legislao brasileira. Notria era, neste sentido, a antiga redao do artigo 435 do Cdigo de Processo Penal, que dispunha que a recusa ao servio do jri, motivada por convico religiosa, filosfica ou poltica, importar a perda dos direitos polticos. Evidentemente, abstraindo-se a prpria discusso acerca da constitucionalidade do referido dispositivo, uma vez que, de acordo com a Constituio Federal, existe a possibilidade de prestao alternativa, quando o dispositivo legal referido falava em perda de direitos polticos dever-se-ia ler suspenso de tais direitos. Afinal, a perda, definitiva, importaria em cassao dos mesmos direitos, vedada constitucionalmente. Admitindo o equvoco, o legislador, por meio da Lei 11.689/08, alm de revogar o referido artigo 435, criou um novo, o art. 438, com a seguinte redao: a recusa ao servio do jri fundada em convico religiosa, filosfica ou pol-tica importar no dever de prestar servio alternativo, sob pena de suspenso dos direitos polticos, enquanto no prestar o servio imposto.

    3. QUESTES DE CONCURSOS PARA O MINISTRIO PBLICO FEDERAL (PROCU-RADOR DA REPBLICA).

    19. (MPF Procurador da Repblica/2006) Considerando as seguintes assertivas:

  • 36 Jaime Barreiros Neto

    I. O eleitor brasileiro residente no exterior poder votar em candidatos a deputado federal, a sena-dor e a presidente da Repblica se tiver requerido inscrio at cento e cinquenta e um dias antes do dia da eleio;

    II. O domicilio eleitoral necessariamente o lugar em que o eleitor reside e tem seu domiclio fiscal;

    III. Enquanto durarem os efeitos de condenao criminal transitada em julgado por crime de pecu-lato, os direitos polticos ficam suspensos;

    Pode-se afirmar que:

    a) todas esto erradas

    b) apenas I est certa

    c) apenas II est certa

    d) apenas III est certa

    |COMENTRIOS|.

    Nota do autor: Podemos afirmar que a perda dos direitos polticos definitiva, enquanto que a suspenso temporria. Diante desta diferenciao, possvel concluir que a nica hiptese de perda de direitos polticos prevista no ordenamento jurdico brasileiro ocorre quando o indivduo perde a sua nacionalidade, seja em ao de cancelamento de naturalizao, ou seja, voluntariamente. Deixando de ser brasileiro, o indivduo fica, evidentemente, impedido de exercer direitos polticos no Brasil, de forma definitiva. margem da hiptese de perda da nacionalidade brasileira, no restam outras possibilidades de perda de direitos polticos no Brasil. Afinal, a Constituio Federal muito clara ao vedar a cassao de direitos polticos. Assim, todas as demais hipteses de impedimento pleno ao exerccio de direitos polticos se vinculam a situaes de suspenso de direitos polticos, de carter temporrio.

    Alternativa correta: letra d apenas III est certa.

    Assertiva I Incorreto. O eleitor residente no exterior, caso se aliste at 151 dias antes da eleio como eleitor de seo eleitoral localizada fora do pas, poder votar apenas para Presidente da Rep-blica, ficando dispensado de votar para os demais cargos eletivos.

    Assertiva II Incorreto. Segundo jurisprudncia consolidada do TSE (Ac. 18.124, de 16.11.00, do TSE, RJTSE, v. 12, t.3), o domiclio eleitoral no se confunde, necessariamente, com o domiclio civil. Assim, o fato de o eleitor residir em determinado municpio no constitui bice para que o mesmo se aliste como eleitor de outro, desde que com este outro mantenha vnculos (negcios, propriedades, atividades polticas etc.). o chamado domiclio eleitoral afetivo.

    Assertiva III Correto. De acordo com o artigo 15 da Constituio Federal de 1988, vedada a cassao de direitos polticos, cuja perda ou suspenso s se dar nos casos de: I cancelamento da naturalizao por sentena transitada em julgado; II incapacidade civil absoluta; III condenao criminal transitada em julgado, enquanto durarem seus efeitos; IV recusa de cumprir obrigao a todos imposta ou prestao alternativa, nos termos do art. 5, VIII; V improbidade administrativa, nos termos do art. 37, 4.

    20. (MPF Procurador da Repblica 2008) Os direitos polticos no sistema constitucional-eleitoral do Brasil:

    a) Compreendem o alistamento no obrigatrio e o voto obrigatrio, porm o eleitor deve se vincu-lar a uma circunscrio eleitoral havendo relao com o seu domicilio, o qual no se confunde com o domiclio civil.

    b) So exercidos apenas pelos brasileiros natos, desde que presentes os requisitos de domiclio elei-toral, alistamento, idade mnima, ausncia de condenao criminal, condies de elegibilidade e ausncia de hipteses de inelegibilidade.

  • Captulo iii os direitos poltiCos e o alistameNto eleitoral 37

    c) Esto entre os direitos fundamentais e se manifestam, alm das eleies para os cargos pblicos, atravs do plebiscito e referendo e a necessidade de prvia consulta populao para a elabora-o das resolues do Tribunal Superior Eleitoral.

    d) Envolve a cidadania ativa e passiva, sendo um dos pilares do Estado democrtico de direito, inexis-tindo possibilidade de cassao.

    |COMENTRIOS|.

    Alternativa correta: letra d Os direitos polticos no Brasil envolvem a cidadania ativa, corres-pondente capacidade poltica do cidado para exercer o sufrgio, bem como a cidadania passiva, relativa elegibilidade (capacidade de ser votado).

    Assertiva a Incorreta. O alistamento eleitoral obrigatrio para todos os brasileiros alfabeti-zados, natos ou naturalizados, entre 18 e 70 anos de idade, sendo facultativo apenas para os analfabe-tos de qualquer idade, os jovens entre 16 e 18 anos e os maiores de 70 anos de idade.

    Assertiva b Incorreta. Os brasileiros naturalizados tambm podem exercer direitos polticos, sendo-lhes vedados, to somente, os acessos aos cargos de Presidente e Vice-Presidente da Repblica; Presidente da Cmara dos Deputados; Presidente do Senado Federal; Ministro do Supremo Tribunal Federal; cargos da carreira diplomtica; Oficial das Foras Armadas; e Ministro de Estado da Defesa.

    Assertiva c Incorreta. No h necessidade prvia de consulta populao para a elaborao das resolues do TSE.

    21. (MPF Procurador da Repblica/2012) A suspenso dos direitos polticos em virtude de condena-o criminal transitada em julgado:

    a) s ocorre quando a sentena condenatria expressamente a declarar, no constituindo seu efeito automtico;

    b) para cessar depende do cumprimento da pena, da declarao da reabilitao do condenado e, quando for o caso, da comprovao da reparao dos danos causados vtima;

    c) no ocorre quando a sentena condenatria aplicar exclusivamente pena de multa;

    d) perdura durante o perodo de prova da suspenso condicional da pena.

    |COMENTRIOS|.

    Nota do autor: Segundo o inciso III do artigo 15 da Constituio Federal, causa de suspenso dos direitos polticos a condenao criminal transitada em julgado enquanto durarem seus efeitos. Assim, pode-se afirmar que a condenao criminal sem trnsito em julgado no gera suspenso de direitos polticos, embora possa gerar inelegibilidade, conforme previsto na LC 135/10 (Lei da Ficha Limpa). Uma antiga discusso, entretanto, no que se refere expresso enquanto durarem seus efeitos, vale ser ressaltada: o no cumprimento dos efeitos subsidirios da condenao, como, por exemplo, o dever de indenizar a vtima, preserva a suspenso dos direitos polticos mesmo aps o cumprimento da pena? Em 1992, o TRE-RS, em deciso paradigmtica (Ac. 50/92, Rel. Juiz Armindo Jos Lima da Rosa) decidiu que enquanto no atendida a obrigao de indenizar, perduraro os efeitos da condenao e, portanto, a suspenso dos direitos polticos. Posteriormente, entretanto, o Tribunal Superior Eleitoral, atravs da sua smula n 09, firmou entendimento no sentido contrrio, esclarecendo que o cumprimento ou extino da pena faz cessar a suspenso dos direitos polticos imediatamente, independentemente de reabilitao criminal ou prova de reparao de danos. Ainda no que se refere suspenso dos direitos polticos por condenao criminal transitada em julgado, enquanto durarem seus efeitos, uma outra polmica interessante merece ser reacendida: possvel a suspenso dos direitos polticos em virtude de condenao por contraveno penal? Duas correntes se dividem quanto a esta questo: a primeira realiza uma interpretao literal da Constituio, mais restrita, defendendo que somente a condenao definitiva por prtica de crime gera a suspenso dos direitos polticos; a segunda, por sua vez, em sentido contrrio, realiza uma interpretao teleolgica da Constituio, defendendo que o objetivo do legislador constituinte a defesa da ordem democr-

  • 38 Jaime Barreiros Neto

    tica contra a indignidade penal. Assim, para a segunda corrente, a condenao com trnsito em jul-gado por contraveno penal geraria a suspenso dos direitos polticos, enquanto durarem os efeitos da condenao. O Tribunal Superior Eleitoral, em julgado de 1996 (Ac. 13.027, Rel. Min. Marco Aurlio, DJ 18/09/1996), aderiu segunda corrente, interpretando que a condenao com trnsito em julgado por contraveno penal gera a suspenso dos direitos polticos do ru. No que se refere, por sua vez, hiptese de sursis (suspenso condicional da pena), entende o TSE que, por continuar a existir conde-nao criminal com trnsito em julgado, mantm-se a suspenso dos direitos polticos do condenado (Ac. 466, de 31.10.06, do TSE, DJ de 27.11.06). Da mesma forma, caso um indivduo condenado com trnsito em julgado por prtica de crime promova a reviso criminal, continuar o mesmo com os direitos polticos suspensos, at que o pedido da reviso seja julgado definitivamente procedente. J na hiptese de suspenso condicional do processo, como ainda no houve condenao criminal transitada em julgado, o ru preserva seus direitos polticos intactos. O mesmo ocorre na hiptese de transao penal imposta nos termos do artigo 76 da Lei n 9.099/95 (Lei dos Juizados Especiais), uma vez que no h, neste caso, sentena penal condenatria.

    Alternativa correta: assertiva d Correto. A suspenso condicional da pena s ocorre quando h condenao. Assim, pouco importa se tal benefcio for concedido ao condenado. Havendo sen-tena penal condenatria transitada em julgado, ocorre, de forma imediata, a suspenso dos direitos polticos do condenado, independentemente da espcie de pena aplicada, enquanto perdurarem os efeitos da condenao.

    Assertiva a Incorreta. De acordo com o artigo 15 da Constituio Federal de 1988, vedada a cassao de direitos polticos, cuja perda ou suspenso s se dar nos casos de: I cancelamento da naturalizao por sentena transitada em julgado; II incapacidade civil absoluta; III condenao criminal transitada em julgado, enquanto durarem seus efeitos; IV recusa de cumprir obrigao a todos imposta ou prestao alternativa, nos termos do art. 5, VIII; V improbidade administrativa, nos termos do art. 37, 4. O trnsito em julgado de sentena criminal condenatria, portanto, tem como efeito imediato a suspenso dos direitos polticos do condenado.

    Assertiva b Incorreta. De acordo com a Smula n 09 do TSE, a suspenso de direitos polti-cos decorrente de condenao criminal transitada em julgado cessa com o cumprimento ou a extin-o da pena, independendo de reabilitao ou de prova de reparao de danos.

    Assertiva c Incorreta. Havendo sentena penal condenatria transitada em julgado, ocorre, de forma imediata, a suspenso dos direitos polticos do condenado, independentemente da espcie de pena aplicada, enquanto perdurarem os efeitos da condenao.

    22. (MPF Procurador da Repblica/2013) Sobre o alistamento eleitoral e o voto, com base na Cons-tituio Federal de 1988, correto afirmar:

    a) O alistamento eleitoral obrigatrio para os maiores de dezoito anos; facultativo para os cons-critos por estarem prestando o servio militar.

    b) O alistamento eleitoral facultativo para os maiores de dezesseis anos e menores de dezoito anos, mas o voto obrigatrio.

    c) O alistamento eleitoral facultativo para os maiores de setenta anos, mas o voto obrigatrio, sendo cancelada a inscrio eleitoral se o eleitor maior de setenta anos no comparecer em trs eleies consecutivas.

    d) O alistamento eleitoral facultativo para analfabetos; os maiores de setenta anos; os maiores de dezesseis anos e menores de dezoito anos; o voto facultativo nas trs hipteses citadas.

    |COMENTRIOS|.

    Alternativa correta: assertiva d Correto. A Constituio de 1988 facultou o alistamento aos analfabetos, aos maiores de 70 anos e aos menores entre 16 e 18 anos de idade. Para os brasileiros alfabetizados entre 18 e 70 anos, salvo os conscritos, o alistamento obrigatrio.

  • Captulo iii os direitos poltiCos e o alistameNto eleitoral 39

    Assertiva a Incorreta. Os conscritos so inalistveis, no lhes sendo facultado, portanto, o alistamento eleitoral.

    Assertiva b Incorreta. No h obrigatoriedade nem de alistamento nem de voto para os jovens entre 16 e 18 anos.

    Assertiva c Incorreta. O maior de 70 anos no obrigado a votar no Brasil.

    23. (MPF Procurador da Repblica/2013) Em relao aos direitos polticos, previstos na Constituio Federal de 1988, correto afirmar:

    a) A soberania popular ser exercida somente pelo sufrgio universal e pelo voto direto e secreto, com valor igual para todos, inclusive na hiptese de ocorrer a vacncia para os cargos de Presidente e Vice-Presidente nos ltimos dois anos do perodo presidencial.

    b) A soberania popular ser exercida, inclusive, nos termos da lei complementar, mediante plebiscito, referendo e iniciativa popular, sendo esta admitida somente para elaborao de leis federais.

    c) A soberania popular ser exercida, inclusive, nos termos da lei, mediante plebiscito, referendo e iniciativa popular, sendo esta admitida tambm para apresentao de projetos de lei de interesse especfico do Municpio, da cidade ou de bairros, atravs da manifestao de pelo menos, 5% (cinco por cento) do eleitorado.

    d) A soberania popular ser exercida, inclusive, nos termos da lei complementar, mediante plebiscito, referendo e iniciativa popular, sendo da competncia exclusiva da Cmara dos Deputados, com-posta por representantes do povo, autorizar referendo, plebiscito e a iniciativa popular.

    |COMENTRIOS|.

    Alternativa correta: assertiva c Correto. Regra prevista na Constituio Federal, no seu artigo 29, XIII.

    Assertiva a Incorreta. Nesta hiptese, a eleio ser indireta, por colgio eleitoral.

    Assertiva b Incorreta. Leis estaduais e municipais tambm podero ter iniciativa popular, de acordo com o princpio da simetria.

    Assertiva d Incorreta. No h necessidade de autorizao, por parte da Cmara, para a apre-sentao de projeto de iniciativa popular de lei.

    24. (MPF Procurador da Repblica/2011) Com base nas disposies constitucionais sobre eleies, nacionalidade e direitos polticos, assinale a alternativa correta:

    a) a lei que alterar o processo eleitoral publicada no dia 10 (dez) de dezembro somente entrar em vigor no primeiro dia do ano seguinte ao de sua publicao, podendo ser aplicada eleio que ocorrer em outubro deste mesmo ano;

    b) o Presidente e o Vice-Presidente da Repblica so eleitos segundo o sistema majoritrio (princpio majoritrio), enquanto os membros do Congresso Nacional so eleitos pelo sistema proporcional;

    c) a lei complementar que dispuser sobre casos de inelegibilidade no poder estabelecer distines entre brasileiros natos e naturalizados alm das previstas na Constituio;

    d) a eleio do Prefeito e do Vice-Prefeito se dar pelo sistema majoritrio (princpio majoritrio), e nos municpios com mais de duzentos mil habitantes ficar sujeita a dois turnos de votao entre os dois candidatos mais votados, se no primeiro turno nenhum dos candidatos alcanar maioria absoluta de votos.

    |COMENTRIOS|.

    Alternativa correta: assertiva c direito poltico fundamental, acessvel a qualquer brasileiro, o exerccio da capacidade poltica ativa. A nacionalidade brasileira, neste diapaso, constitui-se em

  • 40 Jaime Barreiros Neto

    condio de elegibilidade, a qual no deve ser restringida por norma infraconstitucional, sob pena de violao a direito individual fundamental protegido por clusula ptrea. Apenas o texto origin-rio da Constituio poderia trazer algum tipo de diferenciao de direitos entre brasileiros natos e naturalizados, o que o fez no art. 12, 3. No mesmo artigo 12, s que no 2, a Constituio Federal estabelece que a lei no poder estabelecer distino entre brasileiros natos e naturalizados, salvo nos casos previstos nesta Constituio.

    Assertiva a Incorreta. De acordo com o artigo citado, a lei que alterar o processo eleitoral entrar em vigor na data da sua publicao, no se aplicando eleio que ocorra at um ano da data da sua vigncia. Estabeleceu, assim, o legislador constitucional originrio, o princpio da anualidade eleitoral, de fundamental importncia para a preservao da segurana jurdica. Evita-se, a partir da aplicao do princpio da anualidade, que as normas eleitorais sejam modificadas faltando menos de um ano e um dia para as eleies, prejudicando o equilbrio da disputa, com a mudana das regras do jogo.

    Assertiva b Incorreta. Nem todos os membros do Congresso nacional so eleitos pelo sis-tema proporcional. Apenas os deputados federais so eleitos desta forma. Os senadores, tambm membros do Congresso nacional, so eleitos pelo sistema majoritrio simples.

    Assertiva d Incorreta. O erro da questo se encontra na expresso se no primeiro turno nenhum dos candidatos alcanar maioria absoluta de votos, uma vez que para que no ocorra segundo turno bastar que o candidato mais votado tenha a maioria dos votos vlidos, e no do total de votos dados na eleio. Se a questo falasse em votos vlidos estaria correta.

    4. QUESTES DE CONCURSOS PARA A DEFENSORIA PBLICA DA UNIO.

    25. (CESPE Defensor Pblico DPU/ 2007) O alistamento eleitoral obrigatrio para todos os que tiverem idade superior a 18 anos.

    |COMENTRIOS|.

    Nota do autor: O alistamento eleitoral, considerado a primeira etapa do processo eleitoral, o ato pelo qual o indivduo se habilita, perante a Justia Eleitoral, como eleitor e sujeito de direitos polticos, conquistando a capacidade eleitoral ativa. O alistamento eleitoral, segundo o artigo 42 do Cdigo Eleitoral, se faz mediante a qualificao e a inscrio do eleitor. A qualificao o ato atravs do qual o indivduo faz prova que satisfaz as exigncias legais para se tornar eleitor. J a inscrio o registro da pretenso condio de eleitor, realizada por servidor da Justia Eleitoral a partir de pos-tulao do cidado. atravs do preenchimento de formulrio especfico denominado RAE (requeri-mento de alistamento eleitoral) que se realiza a postulao ao alistamento eleitoral. O RAE serve como documento de entrada de dados e processado eletronicamente, em todo o territrio nacional, por servidor da Justia Eleitoral, na presena do eleitor. De grande relevncia a distino estabelecida entre alistamento eleitoral, transferncia eleitoral, reviso eleitoral e segunda via, prevista nos artigos 4 a 7 da Resoluo n 21.538/03, conforme a seguinte tabela:

    Distino entre alistamento eleitoral, transferncia, reviso e segunda via

    alistamento: quando o alistando requerer inscrio e em seu nome no for identificada inscrio em nenhuma zona eleitoral do pas ou exterior, ou a nica inscrio localizada estiver cancelada por determina-o de autoridade judiciria.

    transferncia: ocorre sempre que o eleitor desejar alterar seu domiclio eleitoral. Neste caso, mantido o nmero do ttulo de eleitor.

    reviso: ocorre quando o eleitor necessitar alterar local de votao no mesmo municpio, ainda que haja mudana de zona eleitoral, retificar dados pessoais ou regularizar situao de inscrio cancelada por faleci-mento, duplicidade/pluralidade, deixar de votar em trs eleies consecutivas e reviso do eleitorado, desde que comprovada a inexistncia de outra inscrio regular ou suspensa para o eleitor.

  • Captulo iii os direitos poltiCos e o alistameNto eleitoral 41

    Distino entre alistamento eleitoral, transferncia, reviso e segunda via

    segunda via: ocorre quando o eleitor estiver inscrito e em situao regular na zona por ele procurada e dese-jar apenas a segunda via do seu ttulo eleitoral, sem nenhuma alterao.

    nos casos de reviso e segunda via, a data de domiclio do eleitor no ser alterada.

    Resposta: alternativa incorreta. Os analfabetos, mesmo quando maiores de 18 anos, no so obri-gados a realizar o alistamento eleitoral, embora tenham esta faculdade garantida pela Constituio de 1988.

    5. QUESTES DE CONCURSOS PARA ANALISTA JUDICIRIO REA JUDICIRIA DOS TRIBUNAIS REGIONAIS ELEITORAIS.

    26. (CESPE Analista Judicirio rea Judiciria TRE-RJ/2012) Com base no disposto no Cdigo Eleitoral (Lei n 4.737/1965) acerca do cancelamento e da excluso do alistamento eleitoral, julgue os itens a seguir.

    I. No processo de excluso de alistamento eleitoral, a defesa pode ser realizada pelo prprio interes-sado, por outro eleitor ou, ainda, por delegado de partido.

    II. Ressalvada a hiptese de falecimento, a partir da instaurao do processo de excluso, o eleitor, preventivamente, j no poder votar. Busca-se, com isso, evitar que seja computado como vlido voto passvel de ser anulado posteriormente no caso de sentena final que determine a excluso do referido eleitor.

    |COMENTRIOS|.

    Nota do autor: So causas de cancelamento do ttulo eleitoral a infrao s regras do domiclio eleitoral; a suspenso ou perda dos direitos polticos (que sero estudadas ainda neste captulo); a plu-ralidade de inscrio; o falecimento do eleitor e a falta injustificada em trs eleies consecutivas, sem pagamento de multa. Anualmente, de forma ordinria, ou extraordinariamente, sempre que entender necessrio ou ante a existncia de indcios de irregularidade, o corregedor-regional eleitoral reali-zar correio do eleitorado, a fim de verificar se existem irregularidades no processo de alistamento eleitoral que comprometam a normalidade e a legitimidade das eleies (excesso de eleitores em determinado municpio, acima da mdia populacional, ou inscrio de eleitores falecidos, por exem-plo). Caso, na correio, seja comprovada irregularidade comprometedora, ser realizada a reviso do eleitorado, procedimento equivalente a um recadastramento, a partir do qual todos os eleitores de determinada zona ou regio sero convocados para uma reviso eleitoral, sob pena de cancelamento do ttulo.

    Respostas:

    Item I. Certo. O eleitor poder realizar sua defesa, neste caso, assim como pode ser defendido por outro eleitor. De acordo com o artigo 27, II da Resoluo n 21.538/03, partido poltico tambm pode assumir a defesa do eleitor cuja excluso esteja sendo promovida. A presente regra est prevista, expressamente, no artigo 73 do Cdigo Eleitoral

    Item II. Errado. De acordo com o artigo 72 do Cdigo Eleitoral, durante o processo e at a exclu-so, pode o eleitor votar validamente.

    27. (FCC Analista Judicirio rea Judiciria TRE-PR/2012) Paulo servidor pblico federal e foi removido para cidade de outro Estado da Federao. A transferncia do domiclio eleitoral no prazo estabelecido pela legislao vigente s ser admitida se Paulo

    a) demonstrar o transcurso de, pelo menos, seis meses do alistamento ou da ltima transferncia.

    b) estiver quite com a Justia Eleitoral.

    c) declarar, sob as penas da lei, residncia mnima de trs meses no novo domiclio.

  • 42 Jaime Barreiros Neto

    d) demonstrar o transcurso de, pelo menos, um ano do alistamento ou da ltima transferncia.

    e) provar residncia mnima de seis meses no novo domiclio.

    |COMENTRIOS|.

    Alternativa correta: letra b. A quitao com a Justia Eleitoral requisito fundamental para o deferimento da transferncia do domicilio eleitoral, de acordo com regra prevista no artigo 18 da Resoluo n 21.538/03.

    Alternativa a. Errado. Segundo o artigo 18, II da Resoluo n 21.538/03, o prazo referido ser de um ano, e no de seis meses. Tal prazo, contudo, no se aplica a transferncia de servidor pblico civil, militar, autrquico ou de membro de sua famlia, por motivo de remoo ou transferncia (lei n 6.996/82, art. 8, Parg. nico).

    Alternativa c. Errado. Tal exigncia no se aplica a transferncia de servidor pblico civil, mili-tar, autrquico ou de membro de sua famlia, por motivo de remoo ou transferncia (lei n 6.996/82, art. 8, Parg. nico).

    Alternativa d. Errado. Tal exigncia no se aplica a transferncia de servidor pblico civil, mili-tar, autrquico ou de membro de sua famlia, por motivo de remoo ou transferncia (lei n 6.996/82, art. 8, Parg. nico).

    Alternativa e. Errado. Tal prazo, para qualquer eleitor, seria de trs meses. Nem isso, contudo, requerido no presente caso, pois tal exigncia no se aplica a transferncia de servidor pblico civil, militar, autrquico ou de membro de sua famlia, por motivo de remoo ou transferncia (lei n 6.996/82, art. 8, Parg. nico).

    28. (FCC Analista Judicirio rea Judiciria TRE-SP/2012) Os dados pessoais do eleitor Jos da Silva (filiao, data de nascimento, profisso, estado civil, escolaridade, telefone e endereo) podero ser fornecidos

    a) a qualquer pessoa que justifique adequadamente o pedido.

    b) ao seu credor, desde que justifique o pedido com demonstrao da dvida e a inrcia do devedor.

    c) a entidades autorizadas pelo Tribunal Superior Eleitoral, desde que exista reciprocidade de inte-resses.

    d) aos jornalistas em geral, desde que desenvolvam matria relacionada sua profisso.

    e) aos parentes do eleitor, quando estiverem buscando o seu paradeiro.

    |COMENTRIOS|.

    Alternativa correta: letra c (responde as demais alternativas). De acordo com o artigo 29, 1 da Resoluo n 21.538/03, em resguardo da privacidade do cidado, no se fornecero informa-es de carter personalizado constante do cadastro eleitoral, exceto quando os dados forem reque-ridos pelo prprio eleitor pesquisado, por autoridade judicial ou pelo MP, no exerccio das suas ativi-dades funcionais, ou por entidades autorizadas pelo TSE, desde que haja reciprocidade de interesses.

    29. (FGV Analista Judicirio / TRE-PA / 2011) Joo da Silva, eleitor devidamente registrado, teve seus direitos polticos suspensos em virtude de improbidade administrativa e cumpriu integralmente a pena determinada pelo Poder Judicirio. Nos casos de perda ou suspenso dos direitos polticos, correto afirmar que

    a) quando da suspenso, a autoridade judiciria responsvel determina a incluso de dados no sis-tema mediante comando de FASE. Entretanto, no se tratando de eleitor de sua zona eleitoral, o juiz eleitoral comunicar o fato diretamente zona eleitoral a que pertencer a inscrio.

    b) cessadas as causas da suspenso, a pessoa com restries pode pleitear a regularizao da sua situao eleitoral, preenchendo requerimento e instruindo o pedido com a Declarao de Situa-

  • Captulo iii os direitos poltiCos e o alistameNto eleitoral 43

    o de Direitos Polticos e documentao comprobatria de sua alegao, que, no caso descrito, pode ser a sentena judicial, certido do juzo competente ou outro documento.

    c) a legislao eleitoral determina que a outorga a brasileiros do gozo dos direitos polticos em Por-tugal, devidamente comunicada ao Tribunal Superior Eleitoral, no importar suspenso desses mesmos direitos no Brasil.

    d) os direitos polticos podem ser cassados no caso de cancelamento da naturalizao por sentena judicial transitada em julgado, incapacidade civil absoluta, condenao criminal transitada em jul-gado e recusa em cumprir obrigao a todos imposta.

    e) quando se tratar de pessoa com inscrio cancelada no cadastro, o registro ser feito diretamente na Base de Perda e Suspenso de Direitos Polticos pelo juiz eleitoral da zona onde originalmente a pessoa estava cadastrada.

    |COMENTRIOS|.

    Nota do autor: Podemos afirmar que a perda dos direitos polticos definitiva, enquanto que a suspenso temporria. Diante desta diferenciao, possvel concluir que a nica hiptese de perda de direitos polticos prevista no ordenamento jurdico brasileiro ocorre quando o indivduo perde a sua nacionalidade, seja em ao de cancelamento de naturalizao, ou seja, voluntariamente. Deixando de ser brasileiro, o indivduo fica, evidentemente, impedido de exercer direitos polticos no Brasil, de forma definitiva. margem da hiptese de perda da nacionalidade brasileira, no restam outras possibilidades de perda de direitos polticos no Brasil. Afinal, a Constituio Federal muito clara ao vedar a cassao de direitos polticos. Assim, todas as demais hipteses de impedimento pleno ao exerccio de direitos polticos se vinculam a situaes de suspenso de direitos polticos, de carter temporrio.

    Alternativa correta: letra b. Cessada a causa de suspenso dos direitos polticos, a pessoa pode pleitear a regularizao de sua situao eleitoral, preenchendo requerimento e instruindo o pedido com a Declarao de Situao de Direitos Polticos e documentao comprobatria de sua alegao (art. 52 da Resoluo n 21.538/03). No caso de improbidade administrativa, que causa de suspenso dos direitos polticos, os documentos comprobatrios esto relacionados no art. 53, inciso II, cuja al-nea a inclui sentena judicial, certido do juzo competente ou outro documento.

    Alternativa a. Errado. Nos termos do caput do artigo 51, de fato a autoridade judiciria deter-minar a incluso dos dados no sistema mediante comando de FASE. Ocorre que, em se tratando de eleitor que no seja de sua zona eleitoral, a comunicao pelo juiz eleitoral, zona eleitoral a que pertencer a inscrio, ser feita por intermdio das correspondentes corregedorias regionais e, no, diretamente, como afirmado na proposio, como decorre do 1 do citado artigo.

    Alternativa c. Errado. justamente o inverso, como decorre do art. 51, 4 da Resoluo, segundo o qual a outorga a brasileiros do gozo dos direitos polticos em Portugal, devidamente comu-nicada ao Tribunal Superior Eleitoral, importar suspenso desses mesmos direitos no Brasil. Importa destacar que Brasil e Portugal firmaram, em 22 de abril de 2000, o Tratado de Amizade, Cooperao e Consulta, cujo art. 17, item 3, dispe que o gozo de direitos polticos no Estado de residncia importa na suspenso do exerccio dos mesmos direitos no Estado da nacionalidade.

    Alternativa d. Errado. A Constituio Federal probe a cassao de direito polticos, os quais podem apenas serem suspensos ou perdidos.

    Alternativa e. Errado. Em tal hiptese, o registro ser feito pela Corregedoria Regional Eleito-ral que primeiro tomar conhecimento do fato, conforme previso do 2 do art. 51 da Resoluo n 21.538/03.

    30. (FCC Analista Judicirio / TRE-AP / 2011) De acordo com a Resoluo TSE no 21.538/2003, no que concerne reviso do eleitorado, considere:

  • 44 Jaime Barreiros Neto

    I. Compete ao Tribunal Superior Eleitoral ordenar a reviso do eleitorado quando houver denncia fundamentada de fraude no alistamento de uma zona ou municpio, aps realizada correio e provada a fraude em proporo comprometedora.

    II. O Tribunal Superior Eleitoral determinar, de ofcio, a reviso ou correio das zonas eleitorais sempre que o eleitorado for superior ao dobro da populao entre dez e quinze anos, somada idade superior a setenta anos do territrio daquele municpio.

    III. A reviso do eleitorado dever ser sempre presidida pelo juiz eleitoral da zona submetida revi-so, que dar incio aos procedimentos revisionais no prazo mximo de 30 dias, contados da apro-vao da reviso pelo tribunal competente.

    Est correto o que se afirma SOMENTE em

    a) I e II.

    b) II e III.

    c) I e III.

    d) I.

    e) III.

    |COMENTRIOS|.

    Nota do autor: Conforme o disposto no 1 artigo 58 da Resoluo n 21.538/03, a competn-cia para ordenar a reviso do eleitorado quando houver denncia fundamentada de fraude no alis-tamento de uma zona ou municpio, aps realizada correio e provada a fraude em proporo com-prometedora ser do TSE, que determinar a reviso de ofcio, quando: I o total de transferncias de eleitores ocorridas no ano em curso seja dez por cento superior ao do ano anterior; II o eleitorado for superior ao dobro da populao entre dez e quinze anos, somada de idade superior a setenta anos do territrio daquele municpio; III o eleitorado for superior a sessenta e cinco por cento da popula-o projetada para aquele ano pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatstica (IBGE).

    Alternativa correta: letra b. II e III esto corretos.

    Item I. Errado. Em conformidade com o disposto no art. 58 da Resoluo n 21.538/03, a compe-tncia para determinar a reviso do eleitorado em tais hipteses do TRE.

    Item II. Correto. De acordo com o artigo 58, 1, II da Resoluo TSE n 21.538/03, haver revi-so de ofcio do eleitorado, determinada pelo TSE, quando o eleitorado for superior ao dobro da populao entre dez e quinze anos, somada de idade superior a setenta anos do territrio daquele municpio.

    Item III. Correto. Texto expresso do art. 62, caput e 1 da Resoluo do TSE, o qual estabelece que A reviso do eleitorado dever ser sempre presidida pelo juiz eleitoral da zona submetida revi-so, que dar incio aos procedimentos revisionais no prazo mximo de 30 dias, contados da aprova-o da reviso pelo tribunal competente.

    31. (CESPE Analista Judicirio / TRE-ES / 2011) Julgue o item abaixo, acerca de transferncia de domiclio eleitoral.

    Na hiptese de transferncia de domiclio eleitoral, o eleitor permanece com o nmero originrio da inscrio, devendo ser, obrigatoriamente, consignada, em campo prprio, a sigla da unidade da Federao anterior.

    |COMENTRIOS|.

    Certo. Disposio reproduz texto do artigo 5, 1 da Resoluo TSE n 21.538/03, o qual dispe que na hiptese de transferncia de domiclio eleitoral, o eleitor permanece com o nmero originrio da inscrio, devendo ser, obrigatoriamente, consignada, em campo prprio, a sigla da unidade da Federao anterior.

  • Captulo iii os direitos poltiCos e o alistameNto eleitoral 45

    32. (FCC Analista Judicirio / TRE-RS / 2010) A respeito do alistamento e do ttulo eleitoral, consi-dere:

    I. A certido de nascimento ou casamento extrada do Registro Civil no documento hbil para fins de alistamento.

    II. O ttulo eleitoral prova, a qualquer tempo, a quitao do eleitor para com a Justia Eleitoral.

    III. Nas hipteses de alistamento, transferncia, reviso e segunda via, a data de emisso do ttulo ser a de preenchimento do requerimento.

    Est correto o que se afirma SOMENTE em

    a) III.

    b) I e II.

    c) I e III.

    d) II e III.

    e) II.

    |COMENTRIOS|.

    Alternativa correta: letra a. Apenas III est correta.

    Item I. Errado. Conforme art. 13, c da Resoluo TSE 21.538/2003, correspondente tambm ao artigo 14 do Cdigo Eleitoral, a certido de nascimento ou casamento, extrada do Registro Civil documento hbil para fins de alistamento.

    Item II. Errado. O ttulo eleitoral somente faz prova da quitao do eleitor para com a Justia eleitoral at a data de sua emisso, conforme previso do art. 26 da Resoluo TSE n 21.538/2003.

    Item III. Correto. Norma expressa no art. 23, 2 da Resoluo TSE 21.538/2003, a qual dispe que nas hipteses de alistamento, transferncia, reviso e segunda via, a data de emisso do ttulo ser a de preenchimento do requerimento.

    33. (FCC Analista Judicirio / TRE-TO / 2011) De acordo com a Resoluo do TSE no 21.538/2003, no ttulo de eleitor, os dois ltimos algarismos correspondem

    a) unidade da federao de origem da inscrio.

    b) cidade a que pertence o ttulo eleitoral.

    c) ao cdigo da residncia do titular.

    d) aos dgitos verificadores.

    e) ao cdigo do Tribunal que autorizou a expedio.

    |COMENTRIOS|.

    Alternativa correta: letra d (responde as demais alternativas). Regra expressa no artigo 12, pargrafo nico, alnea c da Resoluo n 21.538/03, o qual dispe que os dois ltimos algarismos constituiro dgitos verificadores.

    34. (CESPE Analista Judicirio / TRE-BA / 2010) Considerando que um cidado brasileiro tenha dupla cidadania e candidate-se a deputado federal, julgue os prximos itens com base nas leis eleitorais e partidrias e nas disposies constitucionais sobre cidadania.

    I. A justia eleitoral dever indeferir essa candidatura, pois a CF veda que pessoa detentora de cida-dania estrangeira seja candidata a esse cargo eletivo, ainda que se trate de caso de dupla cidada-nia.

    II. A justia eleitoral dever deferir a candidatura apenas se o candidato em apreo renunciar expres-samente cidadania de outro pas.

  • 46 Jaime Barreiros Neto

    III. A candidatura considerada poder ser deferida, mas, se o candidato for eleito, ele no poder ocupar a presidncia da Cmara dos Deputados.

    IV. A candidatura em questo poder ser deferida, mas, se o candidato for eleito, ele no poder ocu-par nenhum cargo da Mesa Diretora da Cmara dos Deputados.

    |COMENTRIOS|.

    Respostas:

    Item I e II. Errados. No importa para a legislao eleitoral brasileira se o indivduo possui dupla nacionalidade. A condio de elegibilidade requerida na Constituio de 1988 a nacionalidade bra-sileira, independentemente da existncia de polipatria.

    Item III. Errado. Se o indivduo for brasileiro nato, independentemente de ser poliptrida, poder ocupar a presidncia da Cmara dos Deputados, caso eleito.

    Item IV. Errado. Se o indivduo for brasileiro nato, independentemente de ser poliptrida, poder ocupar qualquer cargo na Mesa Diretora da Cmara dos Deputados, caso eleito.

    35. (CESPE Analista Judicirio rea Judiciria TRE-MS/2013) luz da legislao de regncia e da Resoluo/TSE/21.538/2003, assinale a opo correta no que se refere a alistamento eleitoral.

    a) A segunda via do ttulo de eleitor deve ser solicitada at trinta dias antes da eleio, podendo ser entregue ao solicitante at dez dias antes do pleito.

    b) O despacho de pedido de inscrio eleitoral, transferncia ou segunda via proferido pelo juiz elei-toral aps o prazo legal estabelecido crime para o qual prevista pena de recluso e multa.

    c) A excluso de eleitor no pode ser promovida de ofcio pelo magistrado.

    d) No caso de excluso de eleitor, a defesa deve ser feita por advogado constitudo.

    e) Os requerimentos de inscrio eleitoral ou de transferncia do ttulo de eleitor s podem ser rece-bidos at cem dias antes da data da eleio.

    |COMENTRIOS|.

    Alternativa correta. Letra b. De acordo com o artigo 292 do Cdigo Eleitoral, crime negar ou retardar a autoridade judiciria, sem fundamento legal, a inscrio requerida.

    Alternativa a. ERRADO. A segunda via do ttulo pode ser requerida at dez dias antes da eleio, desde que entregue ao eleitor neste mesmo prazo. Segundo o artigo 8 da Res. TSE n 21.538/03, a segunda via do ttulo dever ser expedida automaticamente.

    Alternativa c. ERRADO. Segundo o artigo 71, 1 do Cdigo Eleitoral, o juiz, de ofcio, poder deflagrar o procedimento de excluso do eleitor. O artigo 74 do Cdigo tambm dispe a respeito, ao determinar que o juiz eleitoral mandar processar a excluso do eleitor sempre que tiver conheci-mento de algumas das causas de cancelamento.

    Alternativa d. ERRADO. No h esta previso legal. Pelo contrrio, o Cdigo Eleitoral admite que at partidos polticos assumam a defesa do eleitor.

    Alternativa e. ERRADO. Os requerimentos podem ser recebidos at 151 dias antes das eleies, conforme determina a Lei das Eleies no seu artigo 91.

    6. QUESTES DE CONCURSOS PARA ANALISTA JUDICIRIO REA JUDICIRIA DO TRIBUNAL SUPERIOR ELEITORAL.

    36. (Consulplan Analista Judicirio rea Judiciria TSE/2012) O conceito de domiclio eleitoral

    a) igual ao conceito de domiclio do direito civil.

    b) idntico ao conceito de residncia do direito civil.

  • Captulo iii os direitos poltiCos e o alistameNto eleitoral 47

    c) o local onde o eleitor exerce sua profisso.

    d) o lugar onde o eleitor possui moradia ou residncia.

    |COMENTRIOS|.

    Nota do autor: Segundo jurisprudncia consolidada do TSE (Ac. 18.124, de 16.11.00, do TSE, RJTSE, v. 12, t.3), o domiclio eleitoral no se confunde, necessariamente, com o domiclio civil. Assim, o fato de o eleitor residir em determinado municpio no constitui bice para que o mesmo se aliste como eleitor de outro, desde que com este outro mantenha vnculos (negcios, propriedades, ativi-dades polticas etc.). o chamado domiclio eleitoral afetivo. A banca examinadora, de forma equi-vocada, atribuiu como resposta correta a letra a. Na verdade, a questo no tem resposta correta.

    7. QUESTES DE CONCURSOS PARA ANALISTA JUDICIRIO REA ADMINIS-TRATIVA DOS TRIBUNAIS REGIONAIS ELEITORAIS.

    37. (FGV Analista Judicirio / rea Administrativa / TRE-PA / 2011) Joo da Silva, eleitor devida-mente registrado, teve seus direitos polticos suspensos em virtude de improbidade administrativa e cumpriu integralmente a pena determinada pelo Poder Judicirio. Nos casos de perda ou suspenso dos direitos polticos, correto afirmar que

    a) quando da suspenso, a autoridade judiciria responsvel determina a incluso de dados no sis-tema mediante comando de FASE. Entretanto, no se tratando de eleitor de sua zona eleitoral, o juiz eleitoral comunicar o fato diretamente zona eleitoral a que pertencer a inscrio.

    b) cessadas as causas da suspenso, a pessoa com restries pode pleitear a regularizao da sua situao eleitoral, preenchendo requerimento e instruindo o pedido com a Declarao de Situa-o de Direitos Polticos e documentao comprobatria de sua alegao, que, no caso descrito, pode ser a sentena judicial, certido do juzo competente ou outro documento.

    c) a legislao eleitoral determina que a outorga a brasileiros do gozo dos direitos polticos em Por-tugal, devidamente comunicada ao Tribunal Superior Eleitoral, no importar suspenso desses mesmos direitos no Brasil.

    d) os direitos polticos podem ser cassados no caso de cancelamento da naturalizao por sentena judicial transitada em julgado, incapacidade civil absoluta, condenao criminal transitada em jul-gado e recusa em cumprir obrigao a todos imposta.

    e) quando se tratar de pessoa com inscrio cancelada no cadastro, o registro ser feito diretamente na Base de Perda e Suspenso de Direitos Polticos pelo juiz eleitoral da zona onde originalmente a pessoa estava cadastrada.

    |COMENTRIOS|.

    Nota do autor: Podemos afirmar que a perda dos direitos polticos definitiva, enquanto que a suspenso temporria. Diante desta diferenciao, possvel concluir que a nica hiptese de perda de direitos polticos prevista no ordenamento jurdico brasileiro ocorre quando o indivduo perde a sua nacionalidade, seja em ao de cancelamento de naturalizao, ou seja, voluntariamente. Deixando de ser brasileiro, o indivduo fica, evidentemente, impedido de exercer direitos polticos no Brasil, de forma definitiva. margem da hiptese de perda da nacionalidade brasileira, no restam outras possibilidades de perda de direitos polticos no Brasil. Afinal, a Constituio Federal muito clara ao vedar a cassao de direitos polticos. Assim, todas as demais hipteses de impedimento pleno ao exerccio de direitos polticos se vinculam a situaes de suspenso de direitos polticos, de carter temporrio.

    Alternativa correta: letra b. Cessada a causa de suspenso dos direitos polticos, a pessoa pode pleitear a regularizao de sua situao eleitoral, preenchendo requerimento e instruindo o pedido com a Declarao de Situao de Direitos Polticos e documentao comprobatria de sua alegao

  • 48 Jaime Barreiros Neto

    (art. 52 da Resoluo n 21.538/03). No caso de improbidade administrativa, que causa de suspenso dos direitos polticos, os documentos comprobatrios esto relacionados no art. 53, inciso II, cuja al-nea a inclui sentena judicial, certido do juzo competente ou outro documento.

    Alternativa a. Errado. Nos termos do caput do artigo 51, de fato a autoridade judiciria deter-minar a incluso dos dados no sistema mediante comando de FASE. Ocorre que, em se tratando de eleitor que no seja de sua zona eleitoral, a comunicao pelo juiz eleitoral, zona eleitoral a que pertencer a inscrio, ser feita por intermdio das correspondentes corregedorias regionais e, no, diretamente, como afirmado na proposio, como decorre do 1 do citado artigo.

    Alternativa c. Errado. justamente o inverso, como decorre do art. 51, 4 da Resoluo, segundo o qual a outorga a brasileiros do gozo dos direitos polticos em Portugal, devidamente comu-nicada ao Tribunal Superior Eleitoral, importar suspenso desses mesmos direitos no Brasil. Importa destacar que Brasil e Portugal firmaram, em 22 de abril de 2000, o Tratado de Amizade, Cooperao e Consulta, cujo art. 17, item 3, dispe que o gozo de direitos polticos no Estado de residncia importa na suspenso do exerccio dos mesmos direitos no Estado da nacionalidade.

    Alternativa d. Errado. A Constituio Federal probe a cassao de direito polticos, os quais podem apenas serem suspensos ou perdidos.

    Alternativa e. Errado. Em tal hiptese, o registro ser feito pela Corregedoria Regional Eleito-ral que primeiro tomar conhecimento do fato, conforme previso do 2 do art. 51 da Resoluo n 21.538/03.

    8. QUESTES DE CONCURSOS PARA TCNICO JUDICIRIO DOS TRIBUNAIS RE-GIONAIS ELEITORAIS.

    38. (Tcnico Judicirio rea Administrativa TRE/MS 2013 CESPE) Relativamente aos direitos pol-ticos e aos partidos poltic